Testes
  • 06/04/2022
Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam

7 Minutos de leitura

  • Publicado:
  • Por: Ismael Baubeta

A excelente receita da Yamaha Tracer 900 GT é eclética. Ela é capaz de agradar o motociclista tranquilo que busca uma moto para o dia a dia, como também aquele que pretende acelerar seus níveis de adrenalina e endorfina.

Embalada no sucesso da super naked Yamaha MT-09, em 2015 a Yamaha decidiu usar a mesma plataforma para criar uma moto de turismo esportivo com preço acessível, e criou a Tracer 900. Embarcando a mesma tecnologia que a super naked, a Tracer 900 ampliou o pacote de praticidade adotando um tanque maior, uma posição de pilotagem mais espaçosa, semi-carenagem e um para-brisas alto para maior conforto nas viagens.

Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam

Campeã do 23º Moto de Ouro entre as crossovers, a Yamaha Tracer 900 é considerada uma excelente motocicleta e a tecnologia que lhe faltava para brigar com motos mais equipadas foi incorporada nesta versão atual que agora o pessoal do marketing da marca dos diapasões achou mais conveniente chamar de GT, descolando-a da família MT, apesar de manter o entusiasmante motor denominado de CP3 (Cross Plane 3 cilindros).

Tudo isso para que você, interessado em comprar uma moto para viajar, a veja como uma gran turismo, mas que mantém sua excelente agilidade em centros urbanos.

Como é a Yamaha Tracer 900 GT

Para atender ao apelo de turismo esportivo da máquina, o design foi desenvolvido com várias soluções aerodinâmicas, estudadas em túnel de vento, para melhorar a proteção do piloto, aproveitando as formas e defletores também para dissipar de forma mais eficiente o calor do motor.

A Tracer 900 conta com o bonito painel TFT de design inspirado no da R1, com todo tipo de informação e possibilidade de customização também, e através do punho direito é possível ativar e desativar os componentes eletrônicos de auxílio ao piloto.

  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam
  • Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam

A iluminação da máquina é total LED e o desenho dos faróis impõe respeito. O triângulo da ergonomia proporciona uma posição bem ereta com bom encaixe do corpo na moto, graças ao tanque e banco estreitos. Isso melhorou a proteção aerodinâmica oferecida pela dianteira da moto e o apoio dos pés no chão, detalhe importante para ampliar a confiança na máquina. As pedaleiras são recuadas, deixando as pernas flexionadas sem exagero.

O banco bipartido é amplo e tem espuma macia, para garantir apoio confortável por mais horas para o piloto e garupa. Some a estas mudanças um generoso para-brisa regulável, protetores de mãos, também redesenhados para desviar o vento, manoplas aquecidas e piloto automático para ver que as virtudes da moto favorecem sua utilização em estrada.

Genética conhecida

Quanto à motorização, o potente e “torcudo” motor de três cilindros com refrigeração líquida e doze válvulas, tem as virtudes quase animalescas com acelerações impetuosas e respostas imediatas ao menor toque no acelerador eletrônico. Apesar de ter os números de potência e torque máximos da irmã naked (115 cv a 10.000 rpm e 8,92 kgf.ma 8.500 rpm, respectivamente), a Tracer 900 GT tem bom pacote eletrônico e embreagem assistida e deslizante, além do controle de tração de dois níveis de intensidade que também pode ser desligado.

Os modos de entrega de potência do motor são três, o STD que deixa a entrega com seu caráter original, o modo A faz a entrega mais bruta como se você estivesse usando um punho rápido, e o modo B suaviza a entrega de potência, as mudanças são feitas através da velocidade de abertura das borboletas do corpo de injeção.

Veja também:
Tudo sobre a nova e aguardada Triumph Tiger 1200
Yamaha MT-09 e R7 são premiadas no Red Dot Awards
H-D Heritage Classic 114 é bicampeã do Moto de Ouro entre as clássicas

A genética do propulsor continua e mantém a personalidade forte da moto, assim como permite andar de forma dócil, é só cutuca-la para ela querer agredir sem o menor respeito e te empurrar para trás, obrigando a segurar firme no guidão para não ficar para sentado no chão, e a roda dianteira é capaz de decolar por um bom tempo se você deixar, pegada que nenhuma das concorrentes visadas pela Yamaha têm. Um piloto competente é capaz de levar a Tracer 900 GT junto com as superesportivas em trecho sinuoso, pois a ciclística permite uma tocada agressiva e de alto desempenho, mas a velocidade final da Tracer 900 GT para na casa dos 240 km/h.

Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam

O controle de tração deixa o piloto mais tranquilo com o movimento do punho direito. O câmbio é bem escalonado e o novo assistente eletrônico Quick Shift só funciona para subir as marchas, seu funcionamento é ideal com o giro mais alto, caso contrário os engates sem a embreagem se tornam duros, lentos e com solavancos desagradáveis. Fazer e sentir o motor de três cilindros berrar, batendo as marchas uma depois da outra é viciante, ela parece um míssil de tão rápida, com o controle de tração desligando, é possível sentir a roda traseira derrapar riscando o asfalto. Nas saídas de curva com a moto menos inclinada a sensação da roda dianteira saindo do chão também empolga.

A bem assentada Yamaha Tracer 900 GT

Os serviços de suspensão da Tracer 900 GT ficam por conta do par de bengalas KYB invertidas do tipo assimétricas e totalmente reguláveis, além da pré-carga da mola, ajusta-se de um lado a compressão e do outro o retorno. A balança traseira é de alumínio e ancora o amortecedor com dois ajustes, pré-carga, através de um manípulo de fácil acesso, e retorno, o qual é preciso de uma chave de fenda fina para ajustar.

Yamaha Tracer 900 GT: quando razão e emoção se cruzam

A Tracer é confortável e suas suspensões se comportam muito bem, com ótima capacidade para absorver os impactos, além de permitir a adequação de seu funcionamento de acordo com o gosto do piloto e conforme o peso que vai se carregar. O conjunto é progressivo e tem comportamento suave, sem comprometer a capacidade esportiva.

Se você não procura o mais extravagante conforto e tem em mente um passeio para desfrutar com muito prazer uma estrada cheia de curvas, certamente não vai se desapontar com a Tracer 900 GT. E para facilitar a manutenção e o tato da corrente, ela tem cavalete central, uma mão na roda.

Parada forçada

O sistema de freios é potente, as pinças radiais de quatro pistões mordem dois discos de 298 mm de diâmetro e têm assistência de ABS de última geração Bosch. O sistema é forte e bem modulável, mas mangueiras tipo aeroquip (forradas com malha de aço) são uma ótima alternativa, já que é comum a fadiga do sistema em uso agressivo ou excessivo. O ABS do sistema de freios ainda não é o cornering (funciona em curvas) porque a Tracer não dispõem da central inercial IMU de seis eixos, como algumas de suas concorrentes.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas mídias sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

A Tracer 900 GT é uma excelente opção para quem quer uma moto eficiente para o dia a dia, mas que também pretende pegar estrada com vontade de se divertir com atitude, ela tem pegada forte e transmite muita segurança.

Conteúdo Recomendado

Comentários