Card image
Testes
Yamaha NEO 125: o pequeno e invocado serelepe

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 21/11/2020
  • Atualizado: 23/11/2020 às 9:41
  • Por: Alexandre Nogueira

O Yamaha Neo 125 chega aliando design marcante com um desempenho superior para a categoria e que atende melhor às expectativas do motociclista iniciante ou experiente que procura mobilidade com economia sem abrir mão do estilo esportivo.

Esta geração do Neo 125 é um projeto totalmente novo e não usa um parafuso sequer do antigo modelo Neo AT 115 que já apresentava um desempenho acima da média para o segmento na época.

Veja também:
Ducati Panigale V4 SP é exclusiva edição numerada
Novo Yamaha NMAX 160 ABS 2021: primeiro contato
Confira o MOTOCICLISMO Scooter Catálogo 2020

Yamaha Neo 125 2021: visual futurista (Divulgação)

O Neo 125 impressiona logo de cara pelo visual transformers e pelas rodas com aro de 14 polegadas que o diferenciam dos pequenos scooter da categoria que adotam rodas de aro 10 ou 12 polegadas. As linhas retas das carenagens e o belo farol em LED radicalizam o visual e garantem forte identidade para a pequena notável motoneta da japonesa Yamaha.

Yamaha Neo 125 2021: para lazer ou dia a dia (Divulgação)

Desta vez a proposta do teste foi um pouco diferente e resolvi sair da grande metrópole para simular em alguma cidade menor as correrias do dia a dia não menos importantes e agitadas. Escolhi o litoral norte de São Paulo pela facilidade do acesso e por mesclar um roteiro de rodovias bem asfaltadas com um roteiro dentro dos municípios de São Sebastião, mais precisamente as praias de Juquehy, 12 kilômetros mais adiante a isolada Cambury e 2 kilômetros mais adiante Boiçucanga, melhor estruturada com agências bancárias e os mais diversos comércios locais.

Yamaha Neo 125 2021: pura diversão (Divulgação)

Na rodovia o Neo 125 se comportou como gente grande encarando ladeiras íngremes sem reclamar e esbanjando agilidade com o novo motor monocilíndrico de 125 cilindradas com comando único no cabeçote de duas válvulas equipado com injeção eletrônica de combustível. A potência declarada é de 9,8 cv a 8.000 rpm e o torque entregue é na casa dos 0,98 kgf.m a 5.500 rpm, trabalhando em conjunto com o câmbio CVT de relações contínuas deixa as respostas sempre de prontidão, tornando a pequena scooter bastante esperta. Nas arrancadas quando parado ele ganha velocidade rapidinho e vai junto com os scooters maiores de 150 cilindradas, que tem mais potência, mas, são mais pesados.

Yamaha Neo 125 2021: carenagem frontal protege bem na chuva (Divulgação)

Abastecido o Neo 125 pesa apenas 96 kg então a relação peso potência fica aproximadamente na ordem dos 10 kg por cavalo o que pode parecer muito, mas, o câmbio CVT e o ótimo acerto da injeção eletrônica é quem dão conta do melhor desempenho deste conjunto. Alcancei os 110 km/h de velocidade final limitada, as retomadas são rápidas e eficientes como numa motocicleta de 150 cilindradas mesmo nas subidas íngrimes que encarei no percurso. Circulando dentro da cidade e respeitando os limites de velocidade impostos pela lei e que não ultrapassam 60 km/h o novo Neo 125 chegou a fazer 65 km/l de gasolina e na rodovia andando com o acelerador totalmente aberto para manter 100 km/h o novo Neo 125 chegou a fazer módicos 25 km/l. Uma luz de advertência ECO no painel sinaliza a melhor faixa de utilização para máxima economia e este aviso vai até o limite de 70 km/h e andando nesta faixa na rodovia o consumo ficou na casa dos 55 km/l. Comprovei esse índice de consumo completando o pequeno tanque de 4,2 litros de gasolina após 110 km rodados, e quando fui ver na bomba, apenas dois litros entraram até completá-lo novamente.

Yamaha Neo 125 2021: monobraço traseiro agrega visual (Divulgação)

O chassis é reforçado por duas barras superiores na coluna de direção, mais próximas da caixa de rolamento da direção e isso evita torções exageradas do conjunto que na maioria dos scooters tem um cano único subindo desde o assoalho até a caixa de rolamentos e com certeza ele sofre muito com as torções principalmente em velocidades mais altas e ruas mal pavimentadas. As suspensões são adequadas para a proposta urbana do scooter com garfo hidráulico convencional na dianteira com curso de apenas 90 mm e a traseira, como em todo scooter, utiliza o motor como balança e vem equipada com um único amortecedor de mola progressiva na lateral esquerda sem qualquer regulagem e com curso de apenas 80 mm.

Yamaha Neo 125 2021: lanterna traseira ainda convencional (Divulgação)

O curso das suspensões é pequeno e tem uma boa dose de estabilidade, mas elas tendem a chegar no fim do curso em solicitações mais severas de uso pisos ruins porque não há progressividade no funcionamento. Carregando garupa a situação se agrava mais ainda e faz o único amortecedor de pequenas proporções sofrer. O que colabora para a boa estabilidade do Neo 125 são as rodas de 14 polegadas calçadas com pneus Metzeler sem câmara que tem ótimo grip e garantem segurança extra em curvas e freadas.

Yamaha Neo 125 2021: cockpit amplo e confortável (Divulgação)

O sistema de freios não conta com auxílio do ABS e traz a tecnologia UBS de sistema unificado de freio, onde, ao acionar a alavanca do freio traseiro o freio dianteiro também é acionado em menor proporção de força. O freio dianteiro conta com um disco de 200 mm que trabalha em conjunto com uma pinça Nissin de pistão simples e que dão conta do recado garantindo freadas muito fortes, com funcionamento independente. O freio traseiro adota o bom o velho tambor com lonas e ajuda bem nas freadas, chegando até a travar a roda quando solicitado com muita força, o que é desnecessário levando-se em conta a proposta da máquina. O sistema de freios é bem forte para os 96 kg de peso do conjunto.

Yamaha Neo 125 2021: Freios UBS combinados (Divulgação)

Muita praticidade para o dia a dia com os dois porta objetos na carenagem frontal e o pequeno compartimento para um capacete aberto tipo Jet embaixo do assento, onde também fica o bocal do tanque de combustível. Para a garupa grandes alças de alumínio ajudam na segurança e embelezam mais ainda o Yamaha Neo.

Yamaha Neo 125 2021: visual agrada aos mais jovens (Divulgação)

A ergonomia é neutra e bem ereta, com o painel frontal mais próximo das pernas e o guidão estreito que dá muita firmeza na pegada. O assoalho tem espaço limitado, então pilotos com mais de 1.80 metros podem sofrer um pouco para encontrar uma posição adequada. O conjunto de carenagens tem um design moderno inspirado nas motos de competição da marca. O sistema de iluminação é excelente e conta com três faróis em LED na dianteira, sendo dois para o foco baixo e um central para o foco alto. A lanterna traseira, as setas e as luzes de posição são dotadas de lâmpadas comuns. O painel de instrumentos é bem simples e conta com velocímetro analógico apenas com hodômetro total e marcador de combustível também analógico. Luzes espia de setas, farol alto e da faixa ECO agregam o pacote de informações de bordo.

Yamaha Neo 125 2021: painel simples e essencial (Divulgação)

A nova Yamaha Neo 125 chega com uma ótima proposta de mobilidade e é uma grande surpresa para o disputado segmento dos scooters pequenos trazendo jovialidade para encantar novos motociclistas. O comportamento do Neo 125 foi excelente em todas as solicitações deste teste e ficamos realmente chateados na hora de devolvê-lo tamanha a alegria que ele nos proporcionou nas correrias do dia a dia. O Yamaha Neo 125 é oferecido nas cores azul, prata ou preta, todos com preço sugerido de R$ 9.690.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter