Card image
Testes
Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 15/06/2022
  • Por: Ismael Baubeta

As mudanças estéticas que a Yamaha MT-03 recebeu encorparam seu volume, e a nova suspensão dianteira (invertida) melhorou ainda mais sua dinâmica

A Yamaha deu um tiro certeiro com a criação da família Master of Torque – abreviada simplesmente para MT. O seu conceito de fazer as respostas dessas motos mais viscerais, contemplando a emoção na pilotagem com acelerações instigantes não só faz jus à denominação da família como também caiu no gosto dos motociclistas mundo afora, e não foi diferente aqui no Brasil. A MT-03 é a representante da família de baixa cilindrada e você vai conferir como ela é divertida de se pilotar.

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
A MT-03 vai muito bem em ambiente urbano, mas também se sobressai no uso rodoviário (Foto: Renato Durães)

No final de 2020 a Yamaha renovou o design da MT-03 dando-lhe mais imponência com maior volume e formas mais agressivas e porte mais musculoso com as novas abas do tanque. No farol, ela ganhou nova identidade, assemelhando-se à irmã maior MT-09, agora com mais personalidade e ar de predador. As pequenas mudanças técnicas somam mais virtudes às já consagradas do modelo anterior.

Yamaha MT-03 e a concorrência

As concorrentes diretas da MT-03 são Honda CB 500F, a Kawasaki Z 400 e KTM 390, as duas primeiras compartilham a arquitetura de dois cilindros paralelos do motor e a terceira tem motor monocilíndrico. Entre elas, a Yamaha ainda é a mais barata das quatro. 

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida

Embora o preço sugerido seja de R$ 29.890, se calculados frete e impostos de São Paulo, ela vai sair por um valor na casa dos R$ 32.000. A Kawasaki Z 400 tem preço promocional final de R$ 32.810, enquanto Honda e KTM são as mais caras, com preços na faixa de R$ 39.100 e R$ 36.000, respectivamente.  

Engenharia duplicada

A MT-03 tem o mesmo pacote técnico da YZF-R3, o chassi é do tipo diamond com dupla trave superior em aço tubular e nesta nova versão recebeu bengalas de suspensão do tipo invertidas com 37 mm de diâmetro e 130 mm de curso, mas sem opção de regulagens. O amortecedor traseiro está ligado diretamente à balança (assimétrica), sem links, sistema batizado pela Yamaha de Monocross, que pode ser ajustado em sete níveis na pré-carga da mola com curso de 125 mm.

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
CHAMATIVA: esta versão de cor preta chama a atenção e ao mesmo tempo tem sobriedade (Foto: Renato Durães)

LEIA MAIS:
Triumph Trident 660: média cilindrada e personalidade forte
Aceleramos a Multistrada V4 S, a mais tecnológica das Ducati
Dez novidades da nova Honda CB 1000R que você precisa conhecer

O conjunto ciclístico é bem competente, mas sua vocação esportiva se evidencia pela rigidez, percebida principalmente rodando por pavimento muito ruim, ainda assim sobra conforto nessa situação. Em contrapartida, a MT-03 oferece ótimo controle e estabilidade, permitindo muita diversão para entrar com rapidez nas curvas e contorná-las com precisão. O bom comportamento do conjunto também é sentido nas frenagens, onde a moto se mantém alinhada e firme na direção desejada.

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
A MT-03 reina entre as naked. Em 2021 foram emplacadas mais de 10 mil unidades contra pouco mais de 3.500 da Honda CB 500F, vice-líder do segmento (Foto: Renato Durães)

Bom encaixe

Outro ponto positivo da MT-03 é a boa ergonomia. Ao subir na moto você percebe que o banco é baixo e por isso o apoio dos pés no chão é tranquilo. Ele também é espaçoso e o bom encaixe das pernas no tanque fazem você “vestir” a moto como se já fosse sua, condição que ajuda na hora de pilotar.

Por ter as pedaleiras recuadas e obrigar a pilotar com as pernas flexionadas, ela pode se tornar cansativa para viagens longas, mas isso não a desabona, a posição do corpo levemente para frente sobre o tanque e a distância do guidão estão bem dimensionadas e fazem um contraponto com a posição das pedaleiras.

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
NA PAISAGEM: a MT-03 preta ajudou na composição do cenárrio em nossa locação (Foto: Renato Durães)

O pulsar do coração da Yamaha MT-03

O motor da MT-03 também tem alta performance para a cilindrada, é o mesmo de sua irmã esportiva, a YZF R3, um bicilíndrico de 321 cm³ de capacidade, refrigeração a líquido e duplo comando no cabeçote tipo DOHC (Dual Over Head Camshaft) com oito válvulas. Ele é capaz de gerar 42 cv a 10.750 rpm e 3,02 kgf.m a 9.000 rpm de potência e torque máximos respectivamente, números expressivos considerando o baixo peso de 168 quilos da moto em ordem de marcha. 

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
O valente motor gera 42 cv de potência máxima a 10.750 rpm e 3,06 kgf.m de torque a 9.000 rpm (Foto: Renato Durães)

Os números também indicam que para fazê-la se engajar de verdade numa tocada esportiva é preciso deixá-la com o giro lá em cima.

Por isso, o melhor que você sente ao girar o punho são as respostas rápidas ao acelerador, sua força em baixas e médias rotações e ainda continua a empolgar ainda mais quando os giros estão mais altos. Se você combinar estas reações em um cenário de muitas curvas, vai entender do que estou falando. 

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
O novo farol em LED empresta olhar de animal predador e suas linhas mais marcadas e volumosas denotam força ao design (Foto: Renato Durães)

Quem pensa que é preciso de moto grande para se divertir e mandar uma carga extra de endorfina (o hormônio do bem-estar) para a corrente sanguínea tem que rever seus conceitos e fazer um bom test ride com a MT-03, pois ela é muito esperta e competente, inclusive para quem quer fazer track days, sem os elevados custos de pneus que as motos de alta cilindrada exigem ou de uma troca de carenagem, em caso de queda, portanto gasta-se bem menos com uma moto como esta e o nível de satisfação também é elevado. 

Este motor de dois cilindros vibra pouco e tem um ronco muito agradável, em alta ele berra com vontade e você sente a pulsação e acaba querendo mantê-lo com o giro lá em cima; dependendo do local isso é bem eletrizante. Em contrapartida ele é beberrão, já que acelerando mais forte seu marcador de consumo instantâneo chegou a mostrar 17,5 km/l, o que considerando a cilindrada da MT é bastante.

Yamaha MT-03: moderna, eficiente e muito divertida
O motor de dois cilindros paralelos da MT-03 é competente, tem acelerações rápidas e empolga em alta rotação (Foto: Renato Durães)

As opções neste segmento são muitas e todas elas têm virtudes; se você deixar uma possível paixão por alguma destas marcas de lado, a Yamaha é das melhores opções, afinal ela é muito bonita, eficiente e a mais barata entre todas.

Nosso papel é fazer o teste para que você tenha um norte das principais características da moto e algum eventual problema ou deficiência, por isso, apesar de parecer clichê, é imperativo que você teste a moto para ver se “casa” com suas características, afinal até o seu biotipo pode ser fator determinante para escolher (ou não) uma moto. Entre tantas, eu teria uma MT-03.

Conclusão

A Yamaha acertou com sua família Master of Torque, afinal todas elas carregam, além do apelo visual que a marca batizou como “The dark side of Japan”, que é agressivo e imponente, motores que empolgam, cada qual em sua respectiva cilindrada. 

A Yamaha MT-03 mostra que foi bem concebida e que a adoção de bengalas invertidas na suspensão dianteira melhorou seu desempenho dinâmico, permitindo ainda mais agilidade e confiança na tocada, inclusive se você quiser acelerar na pista. Outra boa surpresa, que pode ser determinante para sua escolha como companheira, é o preço, pois ela é a mais barata entre as concorrentes de seu segmento. 

Junte um bom pacote técnico e preço competitivo e você vai entregar a chave de sua garagem para ela entrar. Mesmo sendo beberrona e um tanto cansativa para longas viagens, a Yamaha MT-03 ainda é, sem dúvida, uma boa opção. Eu iria com ela para casa.

Conteúdo Recomendado

Comentários