Card image
Testes
Quando três é ótimo

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 19/05/2015
  • Por: admin

<p>A Yamaha deu um passo à frente ao se enquadrar na moda dos scooter de três rodas. Sem medo de ser feliz no segmento, traz diferenças em relação aos modelos que já rodam há algum tempo, o Piaggio MP3 e o Peugeot Metropolis. O Tricity se destaca pela sua tremenda maneabilidade. Ao contrário do que acontece com os concorrentes, este pequeno Yamaha tem um foco completamente diferente, que a leveza e a facilidade de pilotagem são os elementos-chave para encarar o dia a dia dentro dos grandes centros urbanos. Seu tamanho e peso, equivalem ao de um scooter 125 convencional, e as duas rodas dianteiras oferecem grande agilidade e muito mais doses de confiança e sensação de estabilidade. </p>

<p><img alt="Nas apertadas ruas do centro de Amsterdam, o compacto Tricity surpreendeu pela agilidade" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama3_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p><strong> Pelos canais de Amsterdam</strong><br />
A capital holandesa foi o cenário escolhido para a apresentação europeia do novo modelo. De fato foi o lugar ideal para testar este scooter, pois movimentar-se pelas ruas estreitas e transitar pelos canais, dividindo espaço com a milhares de bicicletas, foi pura prova de fogo. Sem dúvidas a equipe de desenvolvimento do Tricity acertou em colocar total ímpeto, para criar um veículo urbano funcional.</p>

<p><img alt="O novo motor de 125 cm³ e de refrigeração líquida proporciona excelentes números de consumo" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O novo chassi, batizado pela marca de Leaning Multi Wheel ou LMW, é estraordinário e faz jus ao nome, pois, mesmo em inclinação, oferece grande sensação de estabilidade, combinada a uma condução ágil, seja para um iniciante ou para um expert. Atrás do escudo que protege as pernas, há uma suspensão com paralelogramas que proporciona ao piloto o poder de inclinar o Tricity com total neutralidade, muito similar a um scooter convencional. Os componentes deste paralelograma se unem às bengalas da suspensão e à caixa de direção, de forma tal que, quando entramos na curva, as duas rodas dianteiras se inclinam em paralelo. Apesar da inclinação, a distância entre as rodas permanece constante, e é isso que garante uma sensação natural e intuitiva durante a curva. Um outro elemento essencial é a utilização de bengalas duplas, do tipo cantilever, ou seja, são dois tubos independentes para cada roda. Os tubos traseiros trabalham como guias, e os dianteiros se encarregam realmente de amortecer. Curioso notar que o sistema de suspensão de uma roda é completamente independente do da outra roda. O resultado é muito conforto, com suavidade para passar por depressões ou buracos.</p>

<p><img alt="As rodas dianteiras são de alumínio e de 14 polegadas" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama7_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Como não poderia ser de outra forma, ele monta um inovador motor de quatro tempos, refrigerado a água, que oferece baixo consumo graças a um exclusivo sistema de injeção. Surpreendente ouvir dos engenheiros que a distribuição de peso é 50% / 50%. Assim sendo, o centro de gravidade está embaixo da parte dianteira do banco, bem no centro da moto e é por isso que ele é tão fácil, ágil e neutro. Para aprimorar a segurança, o sistema de freio é combinado, sendo dois discos de 220 mm na dianteira e um de 230 mm na traseira. O Tricity está tendo uma grande aceitação em seu país de origem, a Tailândia, onde foram comercializados mais de 4 mil unidades em quatro meses e antes de ter sido lançado no Japão, foram mais de 2 mil reservas, ou seja, o sucesso já está garantido no oriente, agora falta Europa e, quem sabe América do Sul. Na Espanha ele custa 3 500 euros e espera-se vender mil unidades até o final de 2015. De fato é mais um excelente scooter Yamaha que, com certeza, faria um tremendo sucesso no Brasil. Mas será que vem?</p>

<p><img alt="O Tricity funciona tão bem quanto um scooter, só que com mais segurança e conforto" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /><strong>Primeira impressão </strong> <br />
A iniciativa da Yamaha em construir um scooter de três rodas, muito mais leve, compacto e ágil foi sem dúvidas um grande acerto. Por ser compacto e baixo, trafega com facilidade entre carros ou ruas estreitas e apertadas. Não é exagero afirmar que ele faz tudo que um scooter pequeno é capaz de fazer e ainda oferece muito mais sensação de segurança em curvas. São qualidades perfeitas para aqueles que sempre desejaram abandonar os carros e não se sentiam totalmente seguros ou equilibrados pilotando um veículo de duas rodas. O Tricity é ideal para quem está começando a se aventurar com menos rodas. Ele é pequeno em todos os sentidos, até na distância do banco ao solo. As espectativas da Yamaha são otimistas, tanto pela ousadia de se aventurar em um novo segmento quanto pela qualidade do seu produto. Não vamos negar que gostamos muito do Tricity, ele surpreendeu e esperamos que todo o desempenho que a Yamaha dedicou a este novo scooter se reflita em puro êxito.</p>

<p><img alt="O painel é todo digital e traz tudo que precisamos para o uso urbano" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama5_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><img alt="Embaixo do banco há espaço para um capacete integral " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yama6_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong>Ficha Técnica</strong></p>

<p>Motor monocilíndrico, arrefecido a líquido <br />
SOHC  I  2 válvulas  I  CVT</p>

<p>Cilindrada: 124,8 cm³ <br />
Potência máxima declarada: 11 cv a 9 000 rpm <br />
Torque máximo declarado: 1,0 kgf.m a 5 000 rpm <br />
Diâmetro x curso do pistão: 52,4 mm x 57,9 mm <br />
Taxa de compressão: 10,9:1 <br />
Quadro: Trave inferior de aço<br />
Suspensão dianteira: Garfo telescópico, com 90 mm de curso, sem regulagem <br />
Suspensão traseira: Unidade oscilante, auxiliada por dois amortecedores  <br />
Freio dianteiro: Dois discos de 220 mm<br />
Freio traseiro: Disco de 230 mm  <br />
Modelo do pneu: Maxxis <br />
Pneu dianteiro:  90/80 – 14 <br />
Pneu traseiro: 110/90 – 12</p>

<p>Medidas <br />
Comprimento • 1 905 mm    Largura • 735 mm <br />
Altura do assento • 780 mm    Entre-eixos • 1 310 mm <br />
Tanque • 6,6 litros    Peso cheio • 152 kg</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários