Card image
Testes
Por outro caminho

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 08/07/2015
  • Por: admin

<p>Na Europa ela se chama Z1000 SX, aqui no Brasil chegou com o nome de Ninja 1000, fato este que não faz muita diferença para o consumidor final, mesmo porque não era necessário um novo nome ou explicação de engenheiro da Nasa para perceber que a Ninja 1000 não era 100% nova, e sim, uma adaptação da Kawasaki em cima da consagrada Z1000. Mas com o tempo, a marca percebeu que o cliente é exigente, quer conforto, mas não abre mão dos detalhes. Em um segmento em que o apelo estético das concorrentes pesa, e muito, criou-se uma nova Ninja 1000, menos insinuante, que não se trata apenas de uma moto adaptada com acessórios e sim, uma moto rica em detalhes e desenhada exclusivamente para a proposta sport-touring. <span style="line-height: 1.6em;">Tarefa difícil, afinal de contas quem compra uma Kawasaki verde não abre mão da esportividade. Visualmente a nova versão, que ainda vai demorar para chegar ao Brasil, não é somente uma moto que ganhou malas rígidas de série. É preciso pilotá-la para perceber todas as mudanças deste novo modelo.</span></p>

<p><img alt="Kawasaki Ninja 1000 Tourer" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_13_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Sem dúvida, mais importante que as malas laterais muito bem encaixadas, é o novo pacote eletrônico. Agora ela conta com controle de tração de três níveis e dois modos de potência, um normal com 142 cv e outra opção que retira cerca de 30% dessa potência máxima declarada. Com novos mapas, ela ganhou quatro cavalos. O sistema ABS também é completamente novo. Saiu o sistema Hitachi que vinha na Ninja 1000 2013 e chega o praticamente universal sistema Bosch, muito bem assistido por pinças monobloco radiais da Tokico. </p>

<p><img alt="As pinças dos poderoso freio dianteiro são monobloco" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_9_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Com a finalidade de tornar a vida do proprietário mais prática, as novas malas rígidas, além de completarem o visual touring, não necessitam de armações para encaixe e utilizam a mesma chave do contato para abrir. Ambas possuem a mesma quantidade volumétrica de 27 litros cada. Contudo, também redesenharam o display digital do painel para informar os modos de injeção e o controle de tração, e obviamente tiveram de modificar os comandos para que o piloto tenha fácil acesso a esse novo set up.</p>

<p>Com essas mudanças a Ninja 1000 não teve sua personalidade alterada, mas elas facilitaram muito a vida do piloto em viagens. A moto está muito bem preparada para amenizar as vibrações. Suas pedaleiras são cobertas por borrachas e há grandes contrapesos nas extremidades do guidão. A posição de pilotagem é muito relaxada, mas o que pode fazer falta para alguns pilotos mais altos, é uma bolha um pouco mais elevada, apesar de a original ser suficiente na maioria das vezes, com três posições diferentes de altura. No nosso primeiro contato com a moto, enfrentamos um pouco de chuva, e teria sido bem-vinda uma maior proteção para a parte de cima do corpo. Agora, a engrenagem da sexta marcha está mais longa, ou seja, ela não perdeu sua excelente esportividade em acelerações e ficou um pouco mais suave e menos arisca em velocidade constante em sexta marcha, apesar de acreditarmos que alguns pilotos estradeiros ainda desejarão mais suavidade e menos giros. Porém, para muitos, a esportividade é o grande diferencial e maior ponto a favor da Ninja 1000 Tourer.</p>

<p><img alt="Com ABS atual e com dois mapas de potência do motor selecionáveis, a Ninja 1000 Tourer está bem armada contra a concorrência" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_11_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Muitos usuários de superesportivas se cansaram de ficar com as costas arqueadas e com os braços dormentes. Eles querem mais conforto, sem abrir mão do desempenho, é exatamente nestes que a Kawasaki focou o projeto. Você pode retirar as malas e vestir um macacão de couro para fazer curvas com os joelhos no chão, e se preferir, também pode vestir o equipamento de cordura e atravessar o país, e com companhia na garupa e muito conforto. As suspensões são mais macias que as das motos superesportivas, porém contam com diversas regulagens. Os pneus originais são os Bridgestone S20, de nítido caráter esportivo.</span></p>

<p><img alt="Bem diferente da Z1000 (2014) a Ninja 1000 Tourer é mais segura e confortável" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_5_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Com banco baixo e tanque alto, o piloto fica bem encaixado nela, bom para centenas de quilômetros, todavia alguns podem achar que a espuma do banco poderia ser mais macia. Visualmente parece que não mudou muito, mas dinamicamente, o pacote eletrônico mudou completamente a dirigibilidade em relação à antiga versão. Agora é possível enfrentar com total segurança qualquer tipo de estrada, faça chuva ou faça sol. É muito fácil de mudar sua personalidade, não é preciso parar a moto para mudar seu gerenciamento eletrônico e também não é preciso um curso para entender como fazer o acerto, é bem didático e prático.</p>

<p><img alt="A linha de acessórios conta com para-brisa maior, escape e mais malas para bagagem" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Apesar de a Ninja 1000 ser uma derivada da Z1000, ela está cada vez mais distante da sua irmã naked. A nova versão está mais confortável sem perder seu caráter esportivo. O motor recebeu muitas modificações. Todo o sistema de admissão foi revisto, com filtro de ar e dutos novos, assim como o comando de válvulas. As conexões entre os coletores e os cilindros são novas e os cilindros estão cortados embaixo para reduzir a força da bomba de óleo. Os silenciosos também são inéditos, e a sexta marcha está 10% mais longa. São 142 cv, frente aos 138 cv da versão precedente. Também foram alteradas as regulagens das suspensões, e o amortecedor traseiro agora conta um manípulo para regular a pré-carga sem ferramentas. Os freios melhoraram com a adoção de pinças monobloco, e a centralina do ABS agora é assinada pela Bosch. O sistema K-TRC para evitar que a roda patine nas acelerações, e os modos de potência, dispensam comentários.</p>

<p><img alt="Painel mescla conta-giros analógico com display digital, rico em informações" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_kawasaki_ninja_1000_tourer_8_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A Kawasaki acertou nessa maneira de conduzir suas ideias e estratégias. Vestiram com maestria uma naked em vez de despirem uma esportiva.</p>

<p><strong style="line-height: 1.6em;">Ficha Técnica</strong></p>

<p><strong>Motor</strong> tetracilíndrico em linha, 4T, refrigeração líquida, DOHC, 16 válvulas, injeção eletrônica, embreagem multidisco em óleo, 6 marchas, transmissão por corrente. <strong>Cilindrada</strong> 1 043 cm³ <strong>Potência máxima declarada</strong> 142 cv a 10 000 rpm <strong>Torque máximo declarado</strong> 11,3 kgf.m a 10 000 rpm <strong>Diâmetro x curso do pistão</strong> 77 mm x 56 mm <strong>Taxa de compressão</strong> 11,8:1 <strong>Quadro</strong> dupla viga de alumínio<strong> Cáster</strong> 24,5° <strong>Suspensão dianteira</strong> bengalas invertidas <strong>Suspensão traseira</strong> Monoamortecedor progressivo <strong>Curso dianteiro / traseiro</strong> 120 mm / 138 mm <strong>Regulagens</strong> 3 vias / Pré-carga e extensão Freio dianteiro / traseiro 2 discos de 300 mm / 1 disco de 250 mm <strong>Pinça dianteira / traseira</strong> 4 pistões radiais / 1 pistão<strong> Pneu / roda dianteiro</strong> 120/70-17" <strong>Pneu / roda traseiro</strong> 190/50-17" <strong>Comprimento</strong> 2 105 mm <strong>Entre-eixos</strong> 1 445 mm <strong>Altura do assento</strong> 820 mm <strong>Largura</strong> 890 mm <strong>Peso cheio</strong> 230 kg <strong>Tanque</strong> 19 litros </p>

Conteúdo Recomendado

Comentários