Card image
Testes
Honda XRE 190 X Dafra NH 190: quem entrega melhores atributos?

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 19/01/2022
  • Atualizado: 26/01/2022 às 19:41
  • Por: Guilheme Derrico

Fazer um comparativo entre motocicletas nem sempre é uma tarefa das mais fáceis, ainda mais quando se pretende confrontar uma marca como a Honda, que é a líder em vendas no Brasil há anos. Contudo, pegamos essa missão para cumprir, e assim foi feito! No comparativo de hoje vamos entender as particularidades da Honda XRE 190 e da Dafra NH 190. Afinal, qual das duas é melhor para rodar no dia a dia? E no ambiente off-road, será que existe alguma que se destaca? Acompanhe conosco essa jornada!

Honda XRE 190, a aventureira de pequeno porte

Primeiramente, falaremos da Honda XRE 190. Vendida atualmente por R$ 17.480 (mais frete), essa aventureira de baixa cilindrada conseguiu conquistar uma parcela interessante do público, visto que sua irmã maior, a XRE 300, já tem um nome consolidado no país. Ela possui um painel totalmente digital que conta com as principais informações para nortear o piloto, e são apresentadas de maneira intuitiva.

A motocicleta vem com sistema ABS no freio dianteiro, o qual trabalha para evitar o bloqueio da roda em situações de frenagens ríspidas. Apesar de ser uma moto de apenas 190 cm³, sua posição de pilotagem colabora para uma condução confortável para a rotina diária e até para viagens curtas.

O motor é bicombustível, exclusivo nesta categoria, com exatos 184,4 cm³, que alcança uma potência máxima de 16,3 cv a 8.500 rpm com gasolina, ou 16,4 cv a 8.500 rpm usando etanol. O torque máximo é de 1,65 kgf.m a 6.000 rpm utilizando gasolina, ou ainda 1,66 kgf.m a 6.000 rpm a base de etanol. Sua transmissão é de 5 velocidades, com sistema de partida elétrica de série.

O tanque de combustível suporta 13,5 litros, sendo que o óleo do motor é de 1,2 litro. A relação comprimento x largura x altura é de 2.075 x 821 x 1.179 mm. A distância entre eixos é de 1.358 mm, e a distância mínima do solo é de 241 mm, enquanto a altura do banco até o chão tem 836 mm. Seu peso seco é de 127 kg. As suspensões da XRE tem bengalas convencionais na dianteira com 180 mm de curso e atrás o monoamortecedor oferece 150 mm de curso à roda, o que lhe garante boa capacidade de absorção de impactos e bom nível de conforto.

A XRE 190 se destaca pelo design e ergonomia. Com linhas angulosas e bem harmoniosas, ela possui um guidão alto, que permite uma pilotagem mais ereta, com braços abertos e que remete aos modelos de uso misto. Apesar do estilo trail não ser o preferido dos brasileiros, esta máquina é bastante confortável para enfrentar as ruas esburacadas do nosso Brasil, por um preço mais acessível que outras opções desta categoria.

A Honda XRE 190 dispõe de uma versão ABS e outra ABS Adventure. De acordo com os dados da Fenabrave, foram emplacadas 1.996 motocicletas do tipo em dezembro de 2021, sendo que o acumulado no ano alcançou o número de 21.954 emplacamentos.

Dafra NH 190: pronta para desafiar as japonesas

Agora, vamos destrinchar os detalhes da concorrente direta, a Dafra NH 190. Essa moto chega para estreitar ainda a parceria da Dafra com a taiwanesa SYM, que se iniciou com o Citycom 300i e foi expandida com lançamentos como a Next 250, o scooter Maxsym 400i e a Next 300. A NH 190 foi a aposta da Dafra para inaugurar sua participação no segmento de uso misto. Ela está disponível nas cores cinza e azul com branco, e traz alguns diferenciais para se fazer competitiva frente à concorrência.

Um desses exemplos é o motor arrefecido à água para alcançar mais durabilidade. Trata-se de um monocilíndrico de 4 válvulas, de 183 cm³, com câmbio de 6 marchas, fatores que prometem mais economia de combustível. A motocicleta chega com um conjunto ótico full LED e carregador USB, que facilita a utilização do GPS ou carregamento de gadgets, o painel totalmente digital fecha o pacote eletrônico. Os freios tem o sistema combinado (FH-CBS) e o guidão é largo e alto, bem ao estilo trail.

Moto de Ouro: conheça as concorrentes da 23ª edição do prêmio

O motor rende 18 cv a 8.500 rpm e alcança torque máximo  de 1,6 kgf.m a 7.500 rpm. Do mesmo modo que a Honda XRE 190, ela também vem com sistema de partida elétrica de série. A suspensão dianteira telescópica tem curso de 135mm, enquanto a traseira conta com um braço oscilante/monoamortecida de 145mm, e as rodas são de aço raiadas. A capacidade do tanque de combustível é de 11 litros, ou seja, menor que sua rival direta. Ela também é mais pesada que a moto japonesa, atingindo 141 kg de peso seco.

Sua altura total chega a 1.357 mm, com largura de 900 mm e comprimento de 2.068 mm. A distância entre eixos é de 1.405 mm. Já a altura mínima do solo é menor que a da XRE190, são 180 mm, enquanto do assento ao chão há 820 mm. Ao subirmos na Dafra NH 190 temos a impressão de que o banco é mais baixo do que os números sugeridos, o que compromete um pouco o conforto durante a pilotagem, principalmente em longas distâncias.

Explorando mais sua ergonomia, notamos um guidão elevado por dois risers, que o aproximam do piloto. As pernas ficam levemente flexionadas, mas a cintura estreita da motocicleta oferece um encaixe interessante para elas. Em relação às suspensões, podemos dizer que elas são bastante rígidas, o que torna mais divertido o contorno das curvas. Segundo a Fenabrave, 159 motos foram emplacadas em dezembro de 2021, e no acumulado anual temos 1.796 emplacamentos deste modelo.

Se o montante geral das vendas da XRE190 é muito maior do que o da NH 190, segundo o Denatran, na região da grande São Paulo, as duas motos vendem dividem quase a mesma quantidade de motos nas vendas.

O preço sugerido é R$ 16.990, mais o frete, que deve bater a casa dos R$ 500. A conclusão é que a Honda XRE 190 ganha da Dafra NH 190 em diversos atributos, como nível de conforto, maior curso de suspensões, a economia do motor bicombustível, além do tamanho de sua rede de concessionárias, apesar do preço acabar sendo maior por conta do frete.

Porém, não se deve desmerecer as virtudes e diferenciais da Dafra NH190, já que tem motor de refrigeração líquida, iluminação total LED, também é capaz de atender os trajetos urbanos com desenvoltura e ainda é um pouco mais barata. Mas como cada piloto é um mundo diferente e tem sua preferência, o melhor a se fazer é testar os dois modelos para ver em qual deles você se sente melhor.

  • Moto de Ouro: conheça as concorrentes da 23ª edição do prêmio
  • 22ª edição do Concurso Moto de Ouro

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas mídias sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Conteúdo Recomendado

Comentários