Card image
Testes
Honda CBR 650R: Traje esporte fino

8 Minutos de leitura

  • Publicado: 03/11/2021
  • Por: Willian Teixeira

Porta de entrada para o universo esportivo, a Honda CBR 650R oferece uma receita racional em um conjunto simples e amigável, encantando desde os mais inexperientes até os veteranos do motociclismo

Texto: Alexandre Nogueira
Fotos: Renato Durães e Divulgação

A Honda CBR 650R é a porta de entrada para o universo dos motores de quatro cilindros em linha da marca da asa. Estes motores são sinônimo de paixão desde o lançamento da motocicleta que virou referência mundial, a CB 750 Four, em 1968, apresentada no Salão de Tóquio daquele ano e, por aqui, mais conhecida como Sete Galo.

No Brasil ela chegou em 1969 e teve seu auge contemporâneo em 1986, com a famosa versão importada do Japão que utilizava uma roda dianteira com aro de 16 polegadas, até 1994, e com a CBX 750F, nacionalizada a partir de 1987 com a versão mais famosa, conhecida como Hollywood.

As novas CB 650 seguem uma receita racional, com um motor forte e amigável, de funcionamento liso e sem engasgos para aumentar o conforto e o prazer de pilotar, aliado a um simples e eficiente conjunto ciclístico, tendo a leveza como um de seus principais atributos e o excelente nível de acabamento, digno da marca.

Parece, mas não é

Esta CBR 650R vermelha se parece muito com a superesportiva CBR 1000RR, mas é só você reparar no assento em peça única na 650R que já mata a charada e reconhece a irmã menor. As superesportivas têm banco bipartido que podem virar monoposto.

Produzida em Manaus, a CBR 650R tem preço sugerido na etiqueta de R$ 45.760 e está disponível nas cores vermelha ou cinza metálica. A Honda oferece aos novos proprietários três anos de garantia e o Honda Assistence 24 horas, um serviço gratuito em caso de acidente, furto, roubo ou pane, que tem cobertura em Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

Honda CBR 650R oferece pacote racional

Ainda ouço alguns entusiastas desinformados insistindo em chamar esta 650 de Hornet carenada, mas a linha CB 650 é uma motocicleta que não tem nada a ver com a antiga Hornet, a Honda criou uma receita totalmente nova na família CB atual. O motor tem vários cavalos a menos, é mais manso e racional, com mais torque em rotações mais baixas, também foi otimizado para ter maior eficiência no funcionamento, gerando maior economia de combustível e, consequentemente, menores índices de poluição.

A CBR 650R usa o motor de quatro cilindros com 649 cilindradas que entrega “apenas” 88,4 cv a 11.500 rpm, frente aos pouco mais de 100 cv da Hornet que utilizava o motor da CBR 600RR F3. O torque de 6,13 kgf.m é quase o mesmo da Hornet, mas surge a 8.000 rpm, 2.500 rpm antes, então você pode perceber que o motor da CBR 650R acorda mais cedo e empurra mais bem-disposto em baixa rotação.

A injeção eletrônica PGM-FI está muito bem acertada, e o mapeamento gerencia perfeitamente todo o arco de rotações para o melhor aproveitamento na entrega do torque. Geralmente os motores de quatro cilindros em linha têm menos força em baixas rotações do que outras configurações de propulsores de mesma cilindrada, como os de dois cilindros em V, por exemplo.

No caso da CB 650R, conforme a proposta mais urbana da motocicleta, ela vai muito bem em meio ao trânsito e com uma economia fora do comum para um motor de quatro cilindros, imagine, cheguei a ver 30 quilômetros por litro no computador de bordo, em alguns momentos de contemplação, juro que notei 45 quilômetros por litro quando rodei na estrada, em constantes 60 quilômetros por hora, acredite.

Também fiz o teste de sair praticamente sem acelerar, trocando marchas, e foi incrível notar a CBR 650R rodar em sexta e última marcha a 30 quilômetros por hora, lisinha, sem o menor tranco ou engasgo, o que facilita a vida dos menos experientes com as máquinas de alta cilindrada.

Na cidade consegui uma média de 20 quilômetros por litro com a CBR 650R, boa marca para uma bancada de quatro cilindros em linha.

Ergonomia e tocada da CBR 650R

A CBR 650R é muito fácil de pilotar, a posição de pilotagem é bastante relaxada, mas não é tão ereta como numa naked, porém não obriga o piloto a estar sobre o tanque como nas esportivas.

As pernas ficam levemente recuadas, e a menos que você seja muito alto, vai bem encaixado. Ela é leve, precisa e muito ágil, mesmo no tráfego apertado, andar entre os carros não exige muito exercício, apenas atenção com corredores mais estreitos, nesse caso às vezes é recomendável fechar os espelhos retrovisores, que coincidem com os dos carros.

A força do motor de quatro cilindros, entre 4.000 e 6.000 rpm, colabora para uma tocada ágil e esperta sem exigir muitas trocas de marcha, pois é só engatar e sexta e sair rodando confortavelmente dentro da lei, mesmo nos percursos que mandam 50 quilômetros por hora. O câmbio, como de costume nas motos da Honda, tem excelente escalonamento, e as trocas são suaves no pedal e precisas no encaixe entre as marchas.

Leia mais:
BMW F 850 GS: herança de tradição e aventura
Usada da Vez: a versátil e incompreendida Honda NC 750X
Mesmo “aposentada”, Honda Hornet é destaque em buscas na internet

Se a intenção é uma tocada agressiva na estrada ou em track day, a CBR 650R atende de prontidão a qualquer solicitação esportiva, e o motor pode ser explorado até seu limite pouco acima das 11.000 rpm, é divertida e, a menos que você tente ultrapassar seu próprio limite, não causa o estresse que as motos de 1.000 cm³ são capazes de causar.

Ciclística e freios

O chassi utiliza o motor como parte integrante da estrutura, é construído com dupla viga de aço e foi projetado e elaborado para a melhor distribuição das massas. A CB tem agregada uma suspensão dianteira invertida do tipo Separate Function Front Fork (SFF), com 120 mm de curso, que tem um funcionamento bastante progressivo e têm muito equilíbrio entre conforto e performance, mesmo quando solicitada mais severamente, garantindo precisão e conforto na utilização tanto nas ruas como na estrada.

A traseira utiliza uma balança assimétrica em alumínio com monoamortecedor com regulagem na pré-carga da mola e que proporciona 128mm de curso para a roda traseira. As rodas são de 17 polegadas e calçam pneus Dunlop Sportmax D214F de perfil esportivo que apresentaram excelente grip, gerando bastange confiança na tocada, mesmo na pista.

Os freios se mostraram competentes e com ótima sensibilidade no acionamento, os dois discos de 310 mm da dianteira são mordidos por pinças radiais de quatro pistões e têm potência de sobra para segurar a CB. O disco de 240 mm e a pinça de pistão único ajudam na tarefa, e ambos são auxiliados pelo ABS de série que funciona suavemente e sem trancos nas alavancas.

Eles se mostraram bem adequados, principalmente por não apresentarem fadiga mesmo após fortes freadas na pista. Se você quiser uma pegada ainda mais forte, basta trocar as pastilhas originais por uma de composto mais macio, geralmente utilizadas em pista, mas, cuidado, há modelos que só trabalham bem a alta temperatura, condição que na rua é difícil de conseguir.

Honda CBR 650R, sinônimo de capricho

O acabamento é impecável, a carenagem tem linhas mais agressivas e esportivas, e o conjunto óptico com duplo farol e lanterna traseira em LED acentua a modernidade. A posição da garupa é confortável e permite passeios mais demorados sem muita reclamação.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas mídias sociais!
– 
Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

As curvas do escapamento são o grande charme da motocicleta, e uma nova ponteira ampliou com um toque de agressividade o inconfundível ronco do motor de quatro cilindros em linha para excitar ainda mais na tocada esportiva.

Definitivamente, a CBR 650R é uma excelente motocicleta que figura muito bem no mercado e é muito desejada por diferentes tribos pela dose de equilíbrio entre esportividade e conforto que oferece, além da facilidade de pilotar nos deslocamentos diários pela cidade.

Conclusão

Para quem gosta de esportividade, a Honda CBR 650R já encanta logo ao primeiro olhar com sua carenagem inspirada na CBR 1000RR. A facilidade na tocada e o funcionamento liso do motor tornam o passeio muito prazeroso em qualquer situação, desde os deslocamentos no trânsito caótico até as viagens na estrada.

O mais legal é que ela também permite uma tocada esportiva na pista, e garanto que a adrenalina e a diversão serão a tônica, mas com muita segurança, porque o destaque desta motocicleta é a confiança que ela transmite ao piloto. A CBR 650R é um bom passo para quem quer subir de categoria e desenvolver a pilotagem.

Conteúdo Recomendado

Comentários