fbpx
Card image
Testes
Honda Biz 125: ideal para quem busca mais mobilidade

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 31/01/2020
  • Atualizado: 31/01/2020 às 11:27
  • Por: Ismael Baubeta

Bonita, estilosa, leve, ágil, muito fácil de pilotar e acessível, estes são alguns dos atributos que fazem da Honda Biz 125 a segunda moto mais vendida no país e, segundo a fabricante, a de maior contingente feminino. E seu sucesso não é acaso.

O conceito de CUB (Cheap Urban Bike), que em português quer dizer moto urbana barata, nasceu no Japão e saiu da mente visionária do senhor Soichiro Honda, um sonhador japonês que quis oferecer à população japonesa uma motocicleta leve, ágil tão fácil de pilotar que fosse capaz de substituir as bicicletas, o veículo mais utilizado na época. Nascia então a Honda Super Cub, revolucionária na época com seu motor de 50cc e câmbio de embreagem automática.

Honda Biz 125 é boa opção para mobilidade urbana (Christian Castanho)

Veja também:
Honda inicia pré-venda das novas CB 650R e CBR 650R
Honda lança XRE 190 Special Edition ABS 2020
Honda CG 160 Titan S: uma guerreira estilosa

Aqui no Brasil a Honda inaugurou o segmento CUB em 1992 com a C-100 Dream, que depois de alguns anos e muitas pesquisas de mercado se transformaria na Biz, em 1997. De lá para cá, a marca já vendeu quase 3,5 milhões de unidades. Só em 2019, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) ela emplacou mais de 155 mil unidades, ficando atrás apenas da CG, a campeã de vendas no Brasil, com praticamente o dobro desse número no mesmo período.

Honda Biz 125 2020 tem novas opções de cores (Christian Castanho)

Segredos do sucesso

A BIZ 125i está muito bem resolvida e com nível de acabamento de dar inveja. Novas combinações de cores, como a bege com detalhes na parte interna do frontal e banco em marrom, e a prata com os mesmos detalhes em azul, ficaram bem bonitas. As duas vêm com as rodas em liga de novo desenho com raios duplos, de estilo duvidoso a meu ver.

Décadas se passaram do lançamento, mas o conceito se manteve, claro, tecnologicamente muito mais avançada, agora com motor bicombustível, sistema de freio combinado. Ela mantém as virtudes da agilidade, leveza e competência para transitar no tráfego urbano, o câmbio de embreagem automática ajuda na tarefa.

Motonetas

O fato de ter pedaleiras e câmbio em vez de assoalho e transmissão CVT são algumas características que diferenciam as Cub dos scooter. O peso também é um diferencial, a Biz 125 é 26 quilos mais leve do que uma PCX 125, por exemplo, o que facilita sua pilotagem e manobras em espaços apertados. 

Desempenho da Biz 125

O motor monocilíndrico rende honestos 9,2 cv a 7.500 rpm de potência máxima e 1,04 a 3.500 rpm de torque, suficientes para fazê-la competentemente nas arrancadas de saída dos semáforos, mas suas retomadas também permitem uma tocada divertida e segura.

Acionar o câmbio não tem segredo, todas as marchas são para baixo e, caso você pare em quarta e última marcha, não precisa voltar todas as marchas para cima, é só pisar novamente no pedal para baixo e selecionar o neutro entra, uma caraterística do câmbio rotativo. As reduções devem ser feitas com pequena aceleração para evitar os trancos, principalmente quando devagar, de segunda para primeira.

Alavanca de câmbio sequencial de embreagem automática

Quanto à ciclística, a Biz 125 é bem resolvida, obedece rapidamente aos comandos e sua leveza é capaz de fazer você curvar antes do tempo se você for meio afoito ou se distrair e apontar na direção de uma vez. Suas suspensões têm boa capacidade de amortecimento e são ajudadas pela rodas, de 17 polegadas na dianteira e de 14 na traseira. Os dois amortecedores traseiros são desprovidos de regulagem, tem funcionamento limitado e transmitem parte de seus movimentos para o corpo do piloto, com garupa os encontros no final de seu curso são frequentes e as pancadas podem ser cruéis.

Parada final

Agora a Biz 125 tem como equipamento de série (obrigatório) os freios combinados, eles permitem paradas rápidas e seguras, principalmente para os menos experientes, que costumam utilizar o freio traseiro como único meio de parada em qualquer situação. O sistema aciona a pinça dianteira ao pisar no pedal do freio traseiro, multiplicando a capacidade de frenagem com a utilização somente do traseiro. Em algumas situações, pode ser a salvação dos ocupantes, embora este sistema atrapalhe um pouco nas manobras de baixa velocidade. Uma prova de que não se pode ter tudo ao mesmo tempo.

Pouco mais de R$ 10.077 (mais frete) é um preço justo para esta motoneta que é capaz de enfrentar todos os desafios do ir e vir do dia a dia com desenvoltura e estilo. Para quem não quer uma moto e prefere a postura das motos à dos scooter é perfeita. Sem dúvida a melhor opção das Cub e venda.

Praticidade no deslocamento diário