Card image
Testes
Harley-Davidson FXDR 114: estilo e pegada poderosos

8 Minutos de leitura

  • Publicado: 23/12/2019
  • Atualizado: 23/12/2019 às 10:47
  • Por: Willian Teixeira

As mudanças feitas na família Softail melhoraram a sensação sobre a Harley-Davidson FXDR 114 e o motor Milwaukee-Eight 114 é, sem dúvida, seu grande trunfo.

Texto: Alexandre Nogueira
Fotos: Renato Duraes

Dentre todos os últimos lançamentos do mercado motociclístico, um dos que mais me chamaram a atenção foi a nova Softail da americana Harley Davidson, neste caso a FXDR 114. Ela é a décima nova moto da família, que foi drasticamente aperfeiçoada em 2018, com novo chassi e nova suspensão traseira monochoque como principais mudanças. A nova FXDR 114 é nitidamente inspirada nas corridas de arrancada, tem chassi baseado na Breakout, com maior ângulo de inclinação para o garfo invertido, e uma balança traseira de alumínio para compor o visual dragster. O belo par de rodas, calçadas com pneus Michelin Scorcher, garante o design esportivo. Na frente usa aro 19” e atrás a roda maciça de 18” é equipada com um enorme pneu 240.

A musculosa Harley-Davidson FXDR 114

O visual da FXDR é a parte mais marcante. Vários detalhes saltam aos olhos, como aqueles em vermelho no tanque e no motor. Originalmente o assento é monoposto, mas se você quiser levar garupa vai ter que comprar o acessório com as pedaleiras. Detalhe importante a ressaltar é o painel em LCD com fundo preto que tem ótima visualização durante o dia e à noite não atrapalha, à diferença de outros com fundo branco que transmitem luz excessiva. Para finalizar, o belo escape dois em um é apaixonante e sugere as intenções esportivas do modelo.

Torque de sobra

A usina que equipa o bólido é o novo motor Milwaukee-Eight 114 VTwin de 45º com 1.868 cilindradas no total. Como de praxe, a marca americana não divulga a potência, mas o torque máximo são brutais 16,11 kgf.m a baixas 3.500 rpm para empurrar o conjunto de 303 kg em ordem de marcha. O câmbio de seis marchas tem engates mais precisos e menos barulhentos ao acionar a primeira e nas trocas, e uma correia dentada faz os trabalhos de transmissão da cavalaria para a roda traseira rígida. Um enorme filtro de ar voltado para frente e uma ponteira do escapamento dois em um diferenciam o visual e atraem os olhares. Toda iluminação em LED e o painel digital trazem modernidade ao clássico.

Veja também:
Harley-Davidson inicia produção de moto de baixa cilindrada
Produção de motos no Brasil supera 1 milhão de unidades
Triumph começa a vender peças pelo Mercado Livre

A nova FXDR 114 foi pensada para quem gosta de andar rápido, com atitude. Afinal, este motor de 1.868 cc proporciona arrancadas rápidas, altas velocidades nas retas, ótimas saídas de curvas e estabilidade acima da média para o segmento custom. No restrito nicho das custom anabolizadas, podemos colocar como concorrentes da FXDR 114 aqui no Brasil a Harley Davidson Breakout 114 e as italianas Ducati Diavel e X Diavel. Se ainda estivessem sendo comercializadas, a Triumph Rocket III e a Yamaha VMax estariam no páreo.

Essas motocicletas anabolizadas têm motores bem diferentes na concepção e na forma de despejar a cavalaria, cada qual carrega suas características, com distinto desempenho e comportamento geral do conjunto. Das motocicletas anabolizadas encontradas por aqui atualmente as italianas Ducati Diavel e XDiavel, receberam importante renovação. Seu famoso motor em L agora tem 1.262 cilindradas, comando de válvulas desmodrômico e variável, 159 cavalos de potência a 9.500 rpm e torque máximo de 13,1 kgf.m a 7.500. Isso se traduz em aceleração de 0 a 100 km/h em menos de 3 s – uma custom bem diferente de tudo que havia até então no segmento. A Ducati Diavel e a XDiavel adotam um chassi de aço de treliça, marca registrada das motocicletas italianas de Borgo Panigale, e eletrônica muito mais avançada do que a Harley.

Projeto renovado

O novo chassi da linha Softail da H-D foi redesenhado e reprojetado com foco na maneabilidade e na leveza das manobras de baixa, mas ainda carrega o DNA dos modelos mais antigos e continua pesado, dificultando as manobras. A mudança mais significativa e que trouxe excelentes resultados na ciclística e no desempenho é a nova suspensão traseira monoamortecida, dotada de uma balança de alumínio ligada a um amortecedor central numa posição quase vertical no lugar dos dois amortecedores horizontais das Softail anteriores. A impressão ao pilotar realmente é melhor na nova linha Softail que, apesar das mudanças, ainda continua pesada e com reações mais lentas do que nas concorrentes italianas. Esta Harley-Davidson vem originalmente com semiguidões e a posição de pilotagem não é das mais agradáveis, porque eles estão muito avançados e abertos, o que, somado às pedaleiras avançadas, torna a pilotagem longa uma tarefa de guerreiro.

Nos meus testes de estrada senti as costas latejarem depois de pouco mais de uma hora pilotando por uma serra sinuosa com muitas subidas e descidas e cheguei quase quebrado. As novas suspensões desta FXDR funcionam satisfatoriamente para uma tocada mais radical, mas a traseira continua dura e com pouca progressividade. A suspensão dianteira invertida garante firmeza ao atacar curvas de alta e de baixa velocidade e se mostrou apropriada ao apelo esportivo, já a traseira, agora monoamortecida, mantém a roda traseira bem grudada no chão, mas ainda notei alguns balanços nas saídas de curvas mais rápidas. Uma válvula na lateral esquerda da motocicleta permite uma regulagem mais fina apenas na pré-carga da mola, suficiente para adequar a motocicleta ao peso de cada piloto, mas por conta do enorme pneu 240 ainda há sofrimento nos pavimentos irregulares.

Detalhe interessante é a furação sob o emblema FXDR que possibilita a instalação de guidão convencional para ajustar a ergonomia caso o proprietário ache necessário. As pedaleiras não podem ser alteradas, mas sua posição mais elevada permite inclinar mais a moto na tocada esportiva. Posso dizer que pouco raspei as pedaleiras e que o largo pneu traseiro exige força para manter-se nas curvas e poder fazê-lo.

Alta velocidade

Em linha reta durante o teste alcancei 193 km/h no painel, que me pareceu limitado, porque o velocímetro da FXDR travou nessa velocidade. Sempre no trilho e estável, a moto não balançou, diferentemente de outros modelos da linha que se mexem bem mais em alta velocidade, mas para isso precisei ajustar a pré-carga da mola em posição mais rígida, pois sem o ajuste a moto balança mais, mas também fica mais confortável.

Harley-Davidson FXDR 114 tem estilo e pegada poderosos!

No quesito freios, a nova FXDR agradou bastante com freadas fortes e bem equilibradas. O sistema composto por duplo disco na dianteira mordido por pinças de quatro pistões e disco simples e pinça de dois pistões dão conta do recado. A assistência eletrônica do ABS ajuda bastante e é pouco intrusivo. A nova Harley-Davidson FXDR 114 é uma motocicleta muito interessante e divertida, mas é imprescindível que o pretendente faça um test ride, afinal ela é bonita, imponente, muito forte e a posição de pilotagem não é das melhores para qualquer uso. A FXDR 114 está disponível em seis cores (três variações de preto, bege, vermelho e marrom) e o valor varia entre elas de R$ 82.200 a R$ 82.800. Sem dúvida é uma motocicleta que agrada muito pelo visual e pelas especificações, mas nem tanto pelo conforto.

Números da Harley-Davidson FXDR 114

No dinamômetro
Potência máxima: 77,51 cv a 4.750 rpm
Torque máximo: 15,04 kgf.m a 3.280 rpm

Potência específica: 41,49 cv/litro
Relação peso/potência: 3,90 kg/cv
Relação peso/torque: 18,80 kg/kgf.m
Consumo/autonomia média: 14,5 km/l /242,1 km

O motor de dois cilindros em V a 45º não é potente, mas o alto torque de 15,04 kgf.m a baixas 3.280 rpm compensa com arrancadas insanas, ótimas e gratificantes retomadas sem precisar reduzir marchas. O novo motor Milwaukee Eight é dotado de quatro válvulas por cilindro e novos balanceiros que proporcionam um funcionamento mais liso e livre de vibrações.

Conclusão

A americana Harley-Davidson é um ícone indiscutível e suas motocicletas têm caráter único e exclusivo. As motocicletas são poderosas e chamam muito a atenção por onde passam, mas agradar ao olhar não é tudo que se deve considerar em uma máquina com o preço premium que elas têm. A linha Softail tem uma proposta mais voltada para passeios e, no caso da FXDR 114, o apelo esportivo a torna uma motocicleta muito específica para um nicho restrito de apreciadores de adrenalina e altas velocidades, afinal a fama da marca é de motos clássicas que proporcionam passeios tranquilos. Esta Harley agrada bastante pela força de sobra e respostas sempre de prontidão, mas o piloto paga o preço da esportividade sacrificando bastante o conforto, portanto uma avaliação minuciosa quanto às pretensões do piloto deve ser feita antes da compra, afinal ela custa mais de R$ 80.000.