Card image
Testes
Haojue Nex 115: seu nome é praticidade

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 09/05/2020
  • Atualizado: 11/05/2020 às 10:14
  • Por: Willian Teixeira

Apresentamos a Haojue Nex 115, modelo que chega para disputar o concorrido segmento das pequenas cub prometendo versatilidade, praticidade e muita economia de combustível

Texto: Alexandre Nogueira
Edição: Willian Teixeira
Fotos: Renato Durães

Acaba de chegar ao mercado brasileiro a nova Haojue Nex 115 que se agrega à linha de motocicletas da marca representada pela JTZ, empresa do grupo J. Toledo, que também tem a operação de Suzuki e dos scooter Kymco no Brasil. Com uma fórmula que mescla simplicidade, economia e resistência, a Haojue Nex 115 torna-se perfeita para o cidadão iniciante no mundo das duas rodas ou para quem procura uma opção barata de mobilidade urbana.

Pequena notável: a Haojue Nex 115 chega com boas aptidões para enfrentar a concorrência

O segmento cub é um dos que mais crescem mundo afora, assim como o dos scooters, os quais têm a nítida vantagem na facilidade de condução proporcionada pelo câmbio automático CVT, ou seja, basta acelerar e frear.

Atualizada

A Haojue Nex 115 chega com um visual atraente e traz linhas modernas que lembram as demais cubs do mercado. A versão avaliada vem com partida elétrica e freio dianteiro a disco combinado com o freio a tambor traseiro. Apesar de encarecer o preço da pequena motocicleta, trata-se de um item obrigatório e muito importante para a segurança do piloto iniciante, porque ele atua corretamente nas duas rodas.

Elegante: acabamento de qualidade exalta as linhas desta cub

As duas rodas são de 17 polegadas e calçam os ótimos pneus Pirelli, que encaram a buraqueira das ruas brasileiras com muita tranquilidade e segurança, por conta da roda traseira maior que a de outros modelos do mercado. O espaço debaixo do assento é reduzido e comporta apenas miudezas, e o capacete pode ser colocado no top case, que vem como item de fábrica, um diferencial. Embaixo do assento também fica o bocal do tanque de combustível de apenas 4 litros, suficientes para rodar uma média de 160 km na cidade, se forem respeitados os limites dos radares das vias públicas urbanas.

Um projeto arrojado

O Haojue Nex 115 tem painel com velocímetro, nível de combustível e um útil indicador de marchas digital na cor vermelha que, infelizmente, é bem difícil de visualizar durante o dia. Uma característica positiva do Haojue Nex 115 é o motor de um único cilindro horizontal com câmbio de quatro marchas rotativo e embreagem automática, que facilita muito a condução. Trocam-se as marchas sem precisar acionar a embreagem com a mão esquerda e as quatro marchas são engatadas para baixo. Quando parado em quarta e última marcha, é só acionar o pedal para baixo mais uma vez para engatar o ponto morto.

Velocímetro e marcador de combustível bem visíveis, mas indicador de marchas não aparece durante o dia

Veja também:
Motociclismo atinge mais de um milhão de acessos
Haojue DR 160 FI chega às lojas por R$ 12.900
Quiz: teste seus conhecimentos sobre scooters

Essa embreagem automática ajuda bastante na saída, porque a motocicleta pode ficar parada com a marcha engatada, é só acelerar para arrancar e as trocas de marcha são feitas apenas acionando o pedal, que aciona também a embreagem eliminando a necessidade do manete para as trocas.

A forma de usar o pedal do câmbio também é diferente, usa-se apenas a ponta do pé, pisando na frente do pedal para aumentar as marchas e pisando na parte traseira do pedal com o calcanhar (se você tiver elasticidade suficiente) para reduzir as marchas, pois não é possível colocar a ponta do pé por baixo do pedal, o que ajuda a preservar o calçado. Os engates na unidade testada exigiram força no pé para movimentar a alavanca que estava um tanto rígida.

Por ser pequena e leve a boa agilidade é um ponto positivo

O Haojue Nex 115 vem equipado com injeção eletrônica de combustível, abandonando o carburador que equipava a versão anterior, por isso o funcionamento do motor é mais preciso e as médias de consumo são ótimas. É preciso acelerar quase tudo para arrancar nos semáforos e o pequeno motor mostrar sua força e fazê-la ganhar velocidade, mas, mesmo acelerando tudo, a unidade avaliada, que chegou zero km, obteve marcas de consumo acima de 30 km/l e foi melhorando à medida que o motor foi amaciando.

Na cidade, com trânsito apertado, o consumo ficou na casa dos 35 km/l e acredito que após o amaciamento as médias de consumo melhorem significativamente. A velocidade máxima ficou em 90 km/h, mas depois de amaciado o motor deve ficar mais solto e melhorar o desempenho.

Encaixes nas carenagens são de boa qualidade

Como se trata de uma moto urbana e quase utilitária, uma melhoria que poderia ser feita é o aumento da capacidade do tanque de combustível, pois os 4 litros de capacidade, mesmo sendo econômica, garantem uma autonomia muito modesta para este tipo de motoneta, por volta dos 160 km. O marcador de combustível do painel, como em quase todas as motos que tem este equipamento, é pouco preciso e mostra reserva muito cedo, o que acaba antecipando os abastecimentos.

O baixo peso (100 kg a seco) torna seus 9 cavalos de potência suficientes para empurrar a moto com facilidade nos deslocamentos na cidade, mas sem exageros, pois o baixo torque de 0,92 kgf.m pede mais rotação para se mostrar disponível. Por isso a necessidade de aceleração forte quase o tempo todo. O Haojue Nex 115 trafega com desenvoltura entre os carros, mesmo em corredores mais apertados e espaços estreitos, pois ela é magrinha, leve, ágil e muito fácil de direcionar.

Os pneus estreitos fazem pouca resistência à rolagem e favorecem a economia e agilidade. A pequena motocicleta é rápida nas manobras e esperta nas curvas, e em linha reta mantém boa estabilidade. Com pouca carga ela se comporta bem, mas com garupa a frente fica leve, tende a vacilar e as pancadas de final de curso são frequentes, por isso é necessário ficar atento na calibragem dos pneus e redobrar a atenção na tocada. Os freios são compatíveis com o peso da moto.

Amortecedor traseiro possui 5 regulagens na pré-carga da mola

O disco dianteiro atua muito bem e na traseira, o tambor atua em conjunto com o disco dianteiro, com frenagens bem satisfatórias. A suspensão traseira tem cinco posições de ajustes, porém é conveniente ajustar a pré carga da mola para uma posição mais rígida para levar um piloto e um garupa não muito pesados. O bom amortecimento proporciona um rodar confortável e na frente não é diferente. Apenas nas frenagens mais fortes notei um mergulho maior das bengalas. O bom encaixe das peças plásticas e a qualidade nas partes metálicas e de pintura mostram bom acabamento.

Bauleto comporta 26 litros e é de série, útil para transportar cargas

A Haojue Nex 115 custa R$ 8.490 (sem frete), está disponível em seis cores e vem equipada com cavalete central e bauleto de 26 litros. Mais uma opção interessante para quem busca mobilidade urbana a um custo reduzido.

Primeira impressão – por Alexandre Nogueira

A pequenina Haojue Nex 115 chega como mais uma opção para o concorrido segmento das cub que já tem modelos bem consagrados como as Honda Biz 110i e 125. Em nosso teste ela se apresentou muito bem, com boa desenvoltura nas ruas e avenidas, boa agilidade para serpentear em meio ao trânsito e muita praticidade com o baú e o pequeno porta objetos sob o assento.

A facilidade de condução e a economia de combustível são os pontos preponderantes na hora da escolha, mas o tamanho enxuto da rede de concessionários pode pesar contra. É uma excelente opção para os iniciantes que têm descoberto a facilidade de pilotagem por conta do câmbio semiautomático.

Pedal de partida ajuda em caso de pane elétrica
Pinça de freio dianteiro é enorme, devido ao sistema combinado
Como o porta-objeto embaixo do assento é bem pequeno, a Haojue Nex 115 vem com um bauleto de 26 litros de série
A Haojue Nex 115 é completa e bem preparada para o dia a dia
Lanterna traseira tem ótima visualização
Farol ainda utiliza lâmpada halógena