Card image
Testes
Dafra vai enfrentar Honda e Yamaha com o Cruisym 150

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 03/09/2021
  • Por: Ismael Baubeta

A briga da Dafra vai ser dura, afinal o Cruisym vai competir com as Honda PCX, SH 150 e Yamaha NMAX, modelos consolidados no Brasil.

O preço de R$ 14.490 regula com os concorrentes, mas vai ser um páreo duro!

A fabricante taiwanesa de motos de baixa cilindrada SYM tem melhorado muito suas motocicletas e a Dafra mantém firme sua parceria com a marca e aposta em novos modelos para o Brasil.

Dafra Cruisym 150
O Cruisym 150 é estiloso e tem bom comportamento dinâmico. (Foto: Renato Durães)

Veja também:
Honda CG 2022 celebra 45 anos e está melhor do que nunca
Voltz em evolução com a EV1 Sport
Usada da Vez: Honda Gold Wing é mais do que uma moto

Por dentro do Cruisym 150

O design do Dafra Cruisym 150 é arrojado e bastante moderno, vincos e ângulos estão por toda sua carenagem e compõe um layout agradável.

O bloco óptico duplo e os piscas ocupam praticamente toda área frontal da moto, as carenagens têm encaixes bem cuidados.

  • Dafra Cruisym 150
  • Dafra Cruisym 150
  • Dafra Cruisym 150
  • Dafra Cruisym 150
  • Dafra Cruisym 150

Apesar das formas modernas dos faróis, exceto a pequena luz de posição em LED, as demais são todas tradicionais, provavelmente para reduzir custo.

Ergonomia

A posição de pilotagem é bem relaxada e há bastante espaço no cockpit para as pernas, eu com meu 1,80 metro não fiquei batendo as pernas no escudo frontal.

O banco é bastante confortável e os 771 mm de altura permitem colocar os pés no chão com facilidade.

  • Dafra Cruisym 150
  • Dafra Cruisym 150

A distância até o guidão e a largura completam a boa ergonomia da Cruisym 150. A boa posição ajuda na pilotagem.

Como é o Dafra Cruisym na prática

Logo que subi no scooter, a sensação é de que ele é todo justinho. O guidão vibra pouco e as suspensões foram bem calibradas, há bom equilíbrio entre o conforto e a rigidez necessária para uma boa pilotagem.

Na dianteira, as bengalas têm 100 mm de curso e atrás os dois amortecedores (com ajuste de pré-carga da mola), percorrem 70 mm no curso, suficientes para enfrentar qualquer tipo de asfalto.

As suspensões do Cruisym 150 tem progressividade, rigidez na medida certa. (Foto: Renato Durães)

A ressalva fica por conta do cavalete que raspa com certa facilidade nas curvas para a esquerda.

Trem de força

O motor monocilíndrico tem arrefecimento líquido e 149,6 cm3 de capacidade volumétrica. É capaz de render 12,5 cv a 8.000 rpm e 1,22 kgf.m a 6.000 rotações, de potência e torque máximos.

As respostas ao giro do acelerador são rápidas e o Cruisym 150 acelera com ímpeto nas arrancadas até o 60 km/h, daí em diante segue crescendo com mais pudor. A velocidade máxima que alcancei foi de 104 km/h marcados no painel.

O motor tem refrigeração líquida e gera 12,5 cv de potência máxima.

O motor é um pouco barulhento, mas suas respostas ao acelerá-lo suplantam a questão, o ruído não incomoda.

Freios

O sistema de freios tem funcionamento combinado, ou seja, ao acionar o freio traseiro, parte da força aplicada aciona a pinça dianteira também.

O sistema de freio combinado tem funcionamento bem equilibrado.

O item é obrigatório e ajuda bastante nas frenagens. É possível sentir a frente do scooter dar uma abaixada quando se aciona o freio traseiro com mais força.

Páreo duro

O Cruisym 150 é mais uma boa opção de compra para quem pretende entrar no mundo dos scooter, ele mostrou ter virtudes para isso.

A Dafra tem uma grande desvantagem se comparada às líderes Honda e Yamaha, que é o menor número de concessionárias.

Posto isso, a chegada do Cruisym mostra que o segmento ainda é promissor. Bom para o consumidor, que tem ampliada sua opção de escolha.

Conteúdo Recomendado

Comentários