Card image
Testes
Conheça a nova geração da família Honda CB 500

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 22/06/2016
  • Por: admin

<p><span style="line-height: 1.6em;">Depois de ser apresentada no salão de Milão, em novembro do ano passado, chegou a vez da família CB 500 linha 2016 chegar ao Brasil. Uma atualização que chega no momento certo e com a missão de dar novo fôlego aos modelos que, juntos, venderam quase 8 000 unidades em 2015. Praticamente a metade só com a versão X.</span></p>

<p><img alt="A família Honda 500 recebe sua primeira grande atualização. Elas deixam a caretice de lado e ganham porte e status, sem perder a característica eficiência." height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_honda_cb_500_familia_2016_brasil_2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Os três modelos — a naked CB 500F, a esportiva CBR 500R e a crossover CB 500X — ganharam novidades, contudo, é nas versões F e R que as mudanças surtiram mais efeito. Nelas, o resultado causado pela profunda renovação visual não as deixou apenas mais atuais e modernas, mas trouxe aos modelos uma imagem de categoria superior.</p>

<p>Além do novo design, outras novidades encontradas no trio versão 2016 são o farol e lanterna de LED, nova pinça de freio dianteira, capacidade e bocal do tanque, chave tipo wave e calibragem das suspensões. Só a F e a R ganharam alças embutidas na rabeta, um novo assento e uma nova ponteira de escape (mais bonita no visual e também no ronco que emite).</p>

<p>Por sua vez, a X conta agora com um para-brisa maior, ajustável em duas posições e que efetivamente proporciona uma proteção aerodinâmica superior ao anterior. O painel de instrumentos não muda. É completo e bem legível, mas a marca poderia ter aproveitado para incluir um indicador de marcha.</p>

<p>Visualmente, a CBR 500R dá um salto que poderia ser medido em décadas. Agora, se não repararmos que há apenas dois tubos de escape saindo do motor, ela é facilmente confundida com uma das irmãs RR. No mesmo caminho, podemos dizer que a naked 500F abandonou o estilo mais urbano que identificava o modelo desde seu lançamento, no final de 2013, para assumir uma identidade mais sport.</p>

<p>É como se ela deixasse de ser uma “CB Twister grande” para ser uma “CB 1000R menor”. Se a Honda a renomeasse para CB 500R não seria nenhum exagero. Possivelmente o “R” tenha ficado de fora justamente porque, apesar do novo estilo ter ficado bem mais esportivo, não houve qualquer alteração significativa na mecânica e na ciclística. </p>

<p><img alt="A CB 500F segue sendo uma moto perfeitamente válida para o dia a dia, mas agora com um visual notadamente mais esportivo" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_honda_cb_500_familia_2016_brasil_5_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Segue o bom motor bicilíndrico em paralelo de 471 cm³, com arrefecimento a líquido, duplo comando no cabeçote e acionamento das suas oito válvulas por balancins roletados. Segundo a Honda, a potência e o torque máximos seguem os mesmos de antes para os três modelos: respectivamente 50,4 cv a 8 500 rpm e 4,55 kgf.m a 7 000 rpm.</p>

<p>Ainda segundo a marca, o novo catalisador da crossover e a nova ponteira que equipa os modelos F e R produzem maior contrapressão no sistema de escape, o que favorece o torque em baixa rotação e deixa a curva de torque mais plana em toda a faixa de rotações. Algo a se verificar quando tivermos uma unidade disponível para um teste completo e uma “visita” ao nosso dinamômetro.</p>

<p>Mantendo-se os números de potência e torque e considerando que o peso não mudou, o aumento do tamanho dos tanques significa maior autonomia. Os modelos 500F e 500R ganharam um litro de capacidade e chegam agora aos 16,7 litros. Por sua vez, o tanque da 500X cresceu 0,4 litro e passa a comportar 17,7 litros de gasolina (já que eles não são flex). </p>

<p>O chassi de tubos de aço tipo Diamond, que depende do motor acoplado para completar a estrutura, também é o mesmo. Nas suspensões, a novidade é que agora é possível ajustar a pré-carga do garfo por meio de um parafuso no topo das bengalas.</p>

<p><img alt="A CBR deu um salto muito grande em impacto visual e agora é facilmente confundida com as grandes RR da marca" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_honda_cb_500_familia_2016_brasil_4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Atrás, segue o eficiente sistema de monoamortecedor ligado à balança por três pontos móveis de fixação, o famoso Pro-Link da Honda. O amortecedor traseiro segue com as mesmas nove posições de ajuste da pré-carga (o acesso é bem chato), mas foi recalibrado para que cada um desses ajustes surta mais efeito e também para que o conjunto de suspensões acompanhe a nova “veia esportiva” dos modelos. </p>

<p>As rodas de liga leve de 17” e as medidas dos pneus (120/70 na dianteira e 160/60 na traseira) também são comuns às três. A esportiva e a naked adotam um modelo de pneu 100% on-road, enquanto a crossover chega equipada com um pneu mais apropriado para pequenas incursões em piso sem pavimentação, mas nada radical.</p>

<p><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/J3DCaIuT-gY" width="620"></iframe> </p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Por falar em pneus, toda a linha 500 passa a adotar a marca Dunlop, uma decisão global da Honda que afetou também o Brasil. No sistema de freios a novidade é a nova pinça dianteira (Nissin), que trouxe uma sensível melhora no tato de acionamento e na rapidez de resposta. O novo manete de freio com distância ajustável em cinco posições colabora ainda mais para a sensibilidade na frenagem. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">As três motos contam com um único e grande disco de 320 mm na dianteira e um de 240 mm atrás. Apesar do aspecto bem mais moderno e esportivo, a versatilidade e a facilidade de pilotar que caracterizam essas motos como uma boa opção até para iniciantes foram preservadas. Continuam sendo motos confortáveis, com uma ótima posição de pilotagem e sem radicalismos, mesmo a CBR.</span></p>

<p>Além da proposta dos pneus, naturalmente há outras diferenças da crossover X para as irmãs quando o assunto são dimensões e curso das suspensões. A X tem maior altura livre do solo (167 mm contra 156 mm da F e da R) e um assento mais alto (812 mm contra 789 mm). Ela ainda é um pouco mais longa (2 098 mm contra 2 081 mm) e tem maior distância entre-eixos (1 421 mm contra 1 409 mm da F e R).</p>

<p><img alt="A mais vendida da família foi a que menos mudou. O novo escape, por exemplo, não chegou à versátil X" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_honda_cb_500_familia_2016_brasil_3_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Para fazer jus à denominação crossover, a suspensão dianteira da X conta com 20 mm a mais de curso (são 140 mm), mas, curiosamente, a sua ficha técnica indica curso de 118 mm na suspensão traseira, contra exatos 119 mm das outras duas da família. </p>

<p>Outra novidade não menos importante é que a partir de agora a linha CB 500 passa a contar com três anos de garantia, sem limite de quilometragem, e com o serviço Honda Assistance pelo mesmo período. O programa de assistência da marca vale em todo o território nacional e nos países do Mercosul, o que é uma exclusividade da Honda nessa categoria de motocicletas.</p>

<p>A linha 2016 chega às concessionárias neste mês com um aumento de preços médio de 13,4% em relação à linha 2015. Disponível nas cores preto fosco, vermelho e branco, a CB 500F passa a ser a única a contar com versões sem e com ABS. O preço é de R$ 26 000 (std) ou R$ 28 000 para a sempre recomendada ABS.</p>

<p>A CBR 500R ABS chega nas cores preto ou vermelho (que é esse alaranjado das fotos) por R$ 29 000, enquanto a CB 500X pode ser vermelha ou branca e custa<br />
R$ 29 900 também com o sistema antitravamento dos freios de série. Todos os preços sem os custos de frete e seguro. Visite a concessionária Honda mais próxima de você para ter o preço exato destas novidades.</p>

<p>O que achou desta atualização? Deixe sua opinião!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários