Card image
Testes
Combinação quase invisível

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 09/01/2015
  • Por: admin

<p>Não é nenhuma novidade que no Brasil, salvo raras exceções, o que é ensinado no Curso de Formação de Condutores (CFC) está bem longe das necessidades que um motociclista terá no seu cotidiano. O resultado disso são números exorbitantes de acidentes (por distintas causas, que não vamos detalhar neste momento). Como tentar reduzir esses índices envolvendo motos?</p>

<p><img alt="Diagrama do sistema de freios combinados (CBS) aplicado na CG 150 Titan" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/sistem2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A resposta inicial seria uma reestruturação geral do CFC atual, tornando-o coerente com a realidade. Como isso cabe ao governo, as fabricantes ficam com a responsabilidade, diante desta deficiência na formação do condutor, de criar motocicletas mais seguras, reduzindo, assim, os riscos de um usuário se envolver em um acidente. A Honda apresentou uma novidade, que consideramos muito significativa para mudar esta realidade: o sistema de freios combinados, ou simplesmente CBS (Combined Brake System). Este sistema já está disponível nos scooters Lead 110 e PCX e é apelidado pela Honda de “Combi brake”. A primeira motocicleta escolhida para receber o novo sistema é a CG 150 Titan, nas duas versões (ESD e EX), como item de série, e não como versão opcional.<img alt="Honda CG 150 Titan CBS" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/2d8a70552_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O que isso significa? Vamos explicar a importância deste lançamento, com números oficiais da Fenabrave (Federação Nacional da distribuição de veículos automotores). O total acumulado de vendas das versões da CG 150 Titan entre janeiro e julho de 2014 foi de 74 740 unidades. Um sistema novo, que garante maior estabilidade e eficiência nas frenagens, exigindo menor esforço no acionamento do pedal/manete de freio e distribuindo o poder de frenagem entre as duas rodas, aplicado em uma moto com números altos de venda por todo o Brasil, representa, a curto prazo, uma grande quantidade de novas motos, mais seguras nas ruas — basta prestar atenção nas ruas, para comprovar o que estamos afirmando—, além de um empurrão na concorrência, por melhorias em seus modelos.</p>

<p><img alt="Além do segundo flexível, item mais aparente do novo sistema, sob as carenagens, estão também um segundo reservatório de fluido de freio e um cilindro mestre" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A apresentação do novo modelo foi realizada no CETH (Centro de Educacional de Trânsito Honda) de Indaiatuba. Alfredo Guedes Júnior, relações públicas da Honda, ministrou uma palestra técnica apresentando o funcionamento do sistema  da CG 150 Titan e esclarecendo muitas dúvidas dos motojornalistas presentes. Entre elas, duas que você deve estar pensando neste momento: por que não tem freio a disco na traseira como na NXR 160 Bros? Por que não tem freio ABS? A resposta para as duas pode ser polêmica, mas faz sentido. Muitos usuários não sabem frear corretamente, pois não aprenderam isso no CFC e não buscaram, depois, participar de um curso de pilotagem particular, para obter tal aperfeiçoamento. Além disso, muitos ainda acreditam que o freio a disco na roda dianteira é “perigoso” e que se utilizá-lo em uma frenagem de emergência podem cair, por isso, optam por motos que têm freio a tambor, menos eficiente em comparação ao disco, e menos “perigoso” para eles.</p>

<p><img alt="Além da apresentação técnica do CBS, foram apresentados dados da Abraciclo que mostram que o usuário não cuida da manutenção dos freios" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/apresenta2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Por isso, apresentar um modelo com freio a disco nas duas rodas, como item de série, afastaria os compradores, além de deixar a motocicleta com preço mais elevado que o da concorrência, o que, do ponto de vista comercial, não é bom. Sobre o ABS, por todo o Brasil a CG 150 Titan é utilizada nas mais variadas situações, muitas vezes em estradas de terra. Nessa condição, com ABS, as distâncias de frenagem necessárias seriam maiores em comparação a uma versão sem o sistema, o que, do ponto de vista da segurança, é um grande problema! Por isso, a opção do CBS, com disco na frente e tambor na traseira. A diferença visível é basicamente uma mangueira do freio adicional e uma pinça maior (com três pistões) na roda dianteira. Funcionalmente, quando se aciona o pedal do freio traseiro, em um primeiro momento, o tambor é acionado, e dosando mais o pedal, o cilindro mestre, ligado a ele, gera pressão para acionar o terceiro pistão da nova pinça do freio dianteiro, dosando, quando o pedal é totalmente acionado, 25% do total de poder de frenagem da roda dianteira da moto.</p>

<p>Outro detalhe a esclarecer. Quando acionamos apenas o freio dianteiro, os dois pistões externos geram, quando totalmente acionados, 100% do poder de frenagem do freio dianteiro. Quando pedal e manete são totalmente acionados, continua sendo gerado 100% de poder de frenagem na dianteira. Não existe funcionalmente a soma da potência dos dois pistões externos com a potência do pistão central, do CBS.</p>

<p><img alt="Comparativo de frenagem entre o modelo 2014, branco, e o modelo 2015 (com CBS), vermelho, mostrou que o CBS faz a Titan parar antes e com mais estabilidade" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/demostra2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Foi realizada uma demostração comparativa, utilizando uma Titan 2014 e uma Titan 2015 (com CBS), ambas EX, para demonstrar a diferença em frenagens a 20 km/h, 40 km/h e 60 km/h, utilizando apenas o freio traseiro. Na última frenagem, com a velocidade utilizada na maioria das ruas do Brasil, a distância da moto com CBS foi bem menor. O Instituto Mauá de Tecnologia realizou medições comparando a versão com CBS e a anterior, e a 60 km/h. Utilizando apenas o freio traseiro, com travamento da roda, a redução do espaço de frenagem com CBS foi de 14,1 m. E qual foi o acréscimo no preço final para a Titan oferecer mais segurança? Apenas R$ 180…</span></p>

<p><img alt="Nas curvas, pode-se acionar sem medo o freio traseiro, que a dosagem do dianteiro não interfere na estabilidade" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/freiar2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários