Card image
Testes
Com freio unificado, Yamaha Fazer 150 fica mais segura

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 06/12/2016
  • Por: admin

<p>Foi-se o tempo em que as motocicletas de 150 cm³ eram sinônimo de utilitárias. As marcas equipam hoje seus modelos com recursos que as colocam em outro patamar, e a <strong>Yamaha Fazer 150 ilustra bem esse cenário</strong>. Um modelo pensado para suprir as necessidades de quem precisa de uma motocicleta urbana para o dia a dia, mas com algo a mais.</p>

<p><img alt="Yamaha Fazer 150 UBS" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_8_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" />A novidade da versão 2017 da Fazer 150 está nas três letras que seguem o nome: UBS, abreviação de <strong>Unified Brake System</strong> ou ‘sistema de freios unificados’. A marca dos três diapasões segue a receita da Honda CG Titan CBS, lançada há dois anos.</p>

<p>Funciona assim: quando o piloto aciona o freio traseiro com boa intensidade, uma mola ligada ao pistão é contraída e faz o freio dianteiro entrar em ação. Dessa maneira, mesmo pisando apenas no pedal, o freio dianteiro também funciona, deixando a motocicleta mais equilibrada. A intenção é corrigir o péssimo hábito do brasileiro de parar a moto utilizando só o freio traseiro (quando o correto seria distribuir a dosagem entre as duas rodas). </p>

<p><img alt="Surpreende para uma moto desta categoria. O indicador ECO acende quando o motor trabalha de forma econômica" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_9_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A Yamaha nada fez além de atribuir o UBS à pequena Fazer. O visual é o mesmo e, convenhamos, permanece atual. Antes da avaliação, vale uma pausa para tratar de alguns itens. No painel, além do basicão, tem relógio, indicador de marcha e a função “eco”, um indicador que aparece quando o motor trabalha em um ritmo que privilegia a economia de combustível, seja ele etanol ou gasolina. No punho esquerdo, conta com o lampejador do farol — um bom aliado para nossa segurança. Do outro lado, porém, faltou um corta-corrente. Uma pena. </p>

<p><img alt="A Fazer 150 mantém a mesma aparência da versão anterior, mas segue moderna e atraente" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Outros detalhes que mereciam uma atenção especial são os retrovisores, que são belos, mas pouco funcionais, e a tampa do tanque. Esta poderia ser como a irmã maior, que fica presa ao tanque. Se faltou um capricho aqui, sobrou em outros locais, a exemplo da inscrição “Fazer” no guidão. Agrados que fazem a diferença.</p>

<p>A posição de pilotagem é ótima, bem natural. As pedaleiras são sutilmente recuadas, mas não comprometem. O tanque de combustível se encaixa bem às pernas, os braços ficam em condição bem cômoda para longas jornadas, e o assento é convidativo. Entretanto, a espuma é dura e cansa um pouco.</p>

<p><img alt="As alças são bonitas, mas não tão funcionais" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_7_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Por falar nisso, o garupa está a salvo, pois há espaço suficiente, e as alças laterais de apoio são generosas. A falha aí está se você quiser amarrar alguma bagagem. Falta aquele pino para travar o elástico. Assim, seus pertences podem se perder pelo caminho…</p>

<p>Em movimento, a Fazer 150 cumpre com excelência sua proposta. É ágil nas mudanças de direção, por isso vai muito bem no trânsito pesado e tira de letra os corredores. A ciclística é excelente. A aceleração é bem honesta e permite andar com desenvoltura. Pormenor: as ladeiras não intimidam. É reduzir uma marcha e seguir sem medo de ser feliz. As suspensões estão bem calibradas e dão, em proporções iguais, conforto e estabilidade. Os pneus Metzeler ME Street são muito eficientes.</p>

<p><img alt=" Yamaha segue a receita da rival Honda e lança a Fazer 150 com freios combinados na versão 2017" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O freio, a grande cereja do bolo, entrega o que promete, com uma pequena ressalva. O dianteiro da unidade testada não estava em sua melhor forma. Já o traseiro estava ok. O UBS funciona bem e melhora consideravelmente a segurança do usuário, já que mantém o equilíbrio da motocicleta nas frenagens.</p>

<p>Na maior parte do teste, freamos com a traseira sem dó, e o mecanismo dava conta do recado. Não se perde a traseira, e o conjunto fica bem mais estável em comparação com a versão anterior.</p>

<p><img alt="Esse é o mecanismo que, quando pisamos no pedal de freio, aciona a bomba dianteira" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_6_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Claro que em freadas bruscas a roda traseira acaba escorregando um pouco (não estamos falando de um ABS), mas no uso cotidiano isso não ocorre. E se a frenagem for sutil, o pistão da frente não é acionado. Assim, não se afeta, por exemplo, manobras em baixas velocidades em que se controla a moto apenas com o freio traseiro.</p>

<p><img alt="Assim como na Honda CG Titan CBS, a Yamaha Fazer 150 UBS tem o freio traseiro a tambor" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_fazer_150_ubs_3_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Não dá para encerrar sem falar do consumo. Fez 49,1 km/l na gasolina, uma marca elogiável mesmo para o segmento das “econômicas”.</p>

<p><strong>CONCLUSÃO</strong><br />
A Fazer 150 é uma velha conhecida do consumidor brasileiro e conquistou seu espaço no mercado nos últimos anos por sua inegável qualidade. Ciclística excelente e economia de combustível são seus principais atributos, que seguem intactos na versão 2017. E deu um salto de qualidade com a adoção do sistema de frenagem UBS, mais seguro, além de bastante útil no cotidiano do motociclista.</p>

<p>A nova Yamaha Fazer 150 chegou para bater de frente com a lendária CG, que ganhou freios combinados dois anos antes. Agora que estão em condições de igualdade, a briga ganha um novo capítulo.</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários