Card image
Testes
Aprilia põe em cena a nova RSV4; veja análise

6 Minutos de leitura

  • Publicado: 12/11/2015
  • Por: admin

<p>A nova RSV4, derivada da moto usada no Mundial de Superbike, tem um motor mais potente e melhorias na ciclística para ser a mais rápida em circuito. </p>

<p><img alt="Aprilia RSV4" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_9_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Ainda temos fresco na memória o dia da apresentação da primeira Aprilia RSV4 Factory, em abril de 2009. O cenário era o mesmo, o circuito de Misano, na bela Itália, mas as condições eram muito diferentes; chovia absurdamente sobre a escorregadia pista.</span><span style="line-height: 1.6em;"> </span></p>

<p>Duas semanas depois deste chuvoso evento, organizamos com nossos colegas da revista Motosprint (italiana) um comparativo entre as superbike da época, que deixou claro que não havia um chassi melhor que o da Aprilia, tanto que o próprio Max Biaggi optou por usar um no lugar do desenvolvido pela equipe oficial Aprilia do Mundial de Superbike.</p>

<p><img alt="A forma como a RSV4 RF contorna as curvas é realmente incrível. E ainda podemos conferir tudo no aplicativo V4-MP" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_3_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Em 2009, a única coisa que faltava à Factory era um pouco de potência em alta para ser a mais rápida em um circuito, e foi justamente nesse ponto que os engenheiros de Noale, Itália, onde fica a matriz da Aprilia, trabalharam bastante.</p>

<p>A grande experiência que a marca adquiriu nos últimos cinco anos (período em que faturou três títulos no Mundial de Superbike), é agora transferida às motos de rua da marca, que infelizmente, não são comercializadas no Brasil… </p>

<p>A nova superbike italiana chegou em três versões. A RSV4 RR é a versão básica, onde motor e chassi são iguais aos das outras versões, mas as suspensões são Sachs. Na RSV4 RR Race Pack entram as suspensões Öhlins e as rodas de alumínio forjado, enquanto a RSV4 RF, a utilizada neste teste, mantém os mesmos equipamentos da Race Pack e agrega pintura especial, chamada “Superpole”.</p>

<p>Para torná-la ainda mais especial, serão produzidas apenas 500 unidades, com direito a uma placa numerada na mesa superior.</p>

<p><img alt="Na mesa da nova RSV4, está gravado o número de série da edição limitada" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_7_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Ne época dos motores dois tempos, os chassis das motos de GP eram incrivelmente rápidos para conseguir uma grande velocidade no contorno de curvas, algo que a Aprilia domina como poucas, já que foi a moto  de referência no Mundial por vários anos.</p>

<p>A primeira RSV4 tinha essa característica e transmitia a sensação de estarmos pilotando uma legítima moto de competição, algo que, felizmente, não mudou em nada.</p>

<p>A posição de pilotagem, sim, mudou com os semiguidões mais elevados, no entanto, continua sendo uma moto pequena e radical. Antes mesmo de afivelar o capacete, nos encontramos com um novo recurso que exige atenção: a plataforma multimídia V4-MP. </p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">O sistema — que permite trabalhar com a gestão eletrônica da moto e a telemetria — se instala em um celular que se conecta à moto por bluetooth e também faz a função de GPS. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Antes de entrar na pista podemos carregar no celular os ajustes pré-definidos para a pista em que você está, podendo ajustar para cada setor o controle de tração e antiwheelie. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Terminando a sessão, podemos acessar os tempos de volta e a aquisição de dados com diagramas, ângulo de inclinação, abertura do acelerador e atuação dos freios. Muito interessante.</span></p>

<p><img alt="Além do estilo renovado, o conjunto frontal traz luzes de posição em LED e mais proteção aerodinâmica" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_10_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A própria volta de aquecimento já serve para comprovar que esta Aprilia continua sendo uma moto excepcional em curvas. Ela é incrivelmente ágil, permitindo mudar de direção com facilidade e, uma vez que soltamos os freios na aproximação de curvas, a moto deita e entra na curva como nenhuma outra da categoria.</p>

<p>A nova geometria de direção é um pouco mais fechada para compensar o maior comprimento da balança que, por sua vez, minimiza as empinadas pela maior potência disponível. </p>

<p>A única contrapartida é que em ritmo forte — nas regulagens de fábrica — ela está um pouco mais nervosa. Dependendo de como (e quanto) aceleramos, podemos ter alguns movimentos indesejados, mas basta saber trabalhar nas várias possibilidades de ajuste que a RSV4 oferece para poder deixá-la ao nosso gosto.</p>

<p>Além dos tradicionais ajustes nas suspensões, podemos ajustar a posição do motor no chassi, o ângulo da direção e a altura do eixo da balança. Obviamente é necessário conhecimento técnico para conseguir extrair o máximo da RSV4 e suas regulagens, para baixar alguns segundos no seu tempo de volta. </p>

<p><img alt="Para uma moto com potência de sobra no motor, freios igualmente potentes para mantê-la sob controle" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_6_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>As suspensões Öhlins são tão sensitivas quanto robustas, transmitindo muita informação e passando a sensação de termos tudo sob o mais absoluto controle.</p>

<p>O mesmo acontece com os freios, com pinças Brembo M50 e Race ABS, são potentes nas frenagens fortes em reta, de excelente tato e fáceis de dosar nas entradas de curva, mas exigem braços fortes já que não há muito espaço no tanque para segurar-nos com as pernas. </p>

<p><strong>Agora sim!</strong><br />
A mudança no regulamento do Mundial de Superbike obrigou as fabricantes a buscar mais potência com menos preparação, e esse esforço é notado nesta moto de rua. É um motor muito especial devido à sua configuração, e mesmo configurado para atingir os declarados 201 cv de potência máxima, ainda preserva um tato progressivo.</p>

<p>Em baixas e médias rotações a resposta é linear e previsível, permitindo-nos antecipar qualquer perda de tração, entretanto, quando aceleramos tudo com a moto ainda inclinada, a resposta é brusca, e o APRC (que integra o controle de tração, o antiwheelie e os modos do motor) trabalha bastante para corrigir nossos erros ou abusos.</p>

<p>O sistema foi atualizado e conta com uma ECU mais rápida além de novos modos de gestão do motor (Sport, Track e Race) com menos freio motor. <span style="line-height: 1.6em;">O controle de tração é regulável em oito posições, e a sua atuação é sutil, fazendo o piloto notar uma pequena diminuição no fluxo de potência quando exageramos com a mão direita. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">O tato do acelerador também foi muito bem calibrado, o que permite a sua abertura ou fechamento em plena curva sem que isso gere qualquer tipo de brusquidão nas respostas. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Esse conjunto de características facilita a pilotagem, o que, consequentemente, nos incentiva a buscar o máximo… E quando superamos as 10 000 rpm percebemos como a moto mudou. </span></p>

<p>De fato, a nova RSV4 está muito mais forte, fazendo o antiwheelie entrar em ação a toda hora para evitar empinadas involuntárias, o que não acontecia com a versão anterior. Além de alcançar 500 rpm mais que a geração passada, ela faz isso com muita disposição, assim que dá um enorme prazer levar o motor até bem perto da rotação de corte e mudar de marcha sem aliviar o acelerador graças ao quickshifter. </p>

<p><img alt="Desenho do renovado motor da Aprilia RSV4" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_5_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong style="line-height: 1.6em;">Mais eficiente</strong><br />
<span style="line-height: 1.6em;">A maior eficiência do V4 a 65° e 999 cm³ vem do trabalho realizado na fluidodinâmica, na combustão e na capacidade de aumentar os giros. A caixa do filtro teve o desenho inspirado naquela que é utilizada na moto do Mundial de Superbike e foram modificados tanto os dutos de admissão variável quanto os injetores superiores. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Os cabeçotes são novos e fabricados por máquinas CNC, e as válvulas agora são de titânio (33 mm) e ganharam novas molas.</span></p>

<p>Os comandos de válvula, as bielas Pankl e o virabrequim estão mais leves para conseguir um maior regime de rotações. O cárter é fundido por um processo novo e ganhou janelas de ventilação maiores. O sistema de escape também é novo, e a ECU está mais potente. A eletrônica é APCR com controle de tração, largada, antiwheelie, quickshifter e três modos de gestão eletrônica do motor.</p>

<p>O chassi se manteve, mas com nova geometria, um centro de gravidade mais baixo e uma balança 4 mm mais longa. As suspensões são Öhlins multirreguláveis com amortecedor de direção. Os freios são Brembo com pinças M50 e um Race ABS regulável em três níveis.</p>

<p><img alt="Mamma mia! A traseira da RSV4 é belíssima" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_aprilia_rsv4_8_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong>Fala piloto!</strong><br />
Um dos pilotos da equipe oficial da Aprilia no Mundial de Superbike, o espanhol Jordi Torres, estava como convidado na apresentação da RSV4 em Misano, e, claro, quisemos ouvir as suas impressões sobre a moto e a categoria:</p>

<p>“Essa categoria é muito mais física que a Moto2, mas permite aos pilotos aproveitar melhor o estilo de pilotagem de cada um, já que podemos adaptar toda a eletrônica da moto a cada necessidade. Antes de entrar na pista já temos um mapa específico para cada circuito. Gosto muito do comportamento da Aprilia com seu motor V4, que é estreito, muito potente e permite uma velocidade excelente no contorno de curvas. Sinceramente, achava que seria uma moto muito mais difícil de pilotar, mas me enganei.”</p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Finalizando, a nova RSV4 é uma motocicleta muito mais “física” do que antes, o que é uma consequência da potência insana, mas, ainda assim, o que mais queremos quando estamos pilotando essa nova Aprilia RSV4 em uma pista é dar mais e mais voltas com ela.</span></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários