Card image
Testes
Honda NC 750X, um SUV em duas rodas

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 16/05/2020
  • Por: Willian Teixeira

A crossover Honda NC 750X tem novas cores como principal novidade para sua linha 2020, mas ela continua entregando praticidade, com muito conforto e economia.

Texto: Alexandre Nogueira
Edição: Willian Teixeira
Fotos: Gustavo Epifânio

Lançada no Brasil em meados de 2012, a Honda NC não caiu no gosto do desconfiado motociclista brasileiro, mas, na Europa a Honda NC 750 foi a moto mais vendida da marca das asas da liberdade. É amor ou ódio. A grande verdade é que os brasileiros não entenderam a proposta do novo conceito desta motocicleta, que segue as tendências que sugerem a melhor eficiência dos motores, com economia de combustível e baixo índice de emissões.

A Honda NC 750X tem uma proposta diferente, assim como os SUV para os carros

O próprio nome da moto é NC, de New Concept, e esta terceira geração atende a todos os quesitos de praticidade e usabilidade com economia e extremo prazer ao pilotar. Ela é uma mistura de naked com dual purpose, o X do nome significa cross, então a proposta é bem diversificada.

A nova Honda NC 750X 2020 chega com as novas cores azul ou vermelha metálicas ou ainda a verde fosca, e nós já testamos esta moto que promete economia, conforto e segurança aos ocupantes. O visual ficou mais atual com as novas cores, acentuando o porte e a presença que a Honda NC 750X tem.

Honda NC 750X, um SUV em duas rodas
NC 750X entrega praticidade com conforto e economia

O motor de dois cilindros paralelos inclinados 62° à frente com 750 cilindradas continua inalterado e entrega 54,5 cavalos de potência declarados. Comando de válvulas único no cabeçote com uma configuração que  prioriza força em baixas rotações faz o torque máximo de 6,94 kgf.m da NC 750X se apresentar logo nas 4.750 rpm. Os desentendidos dizem que a moto não anda, mas ela chegou pertinho dos 200 km/h em nossos testes e isso é mais que suficiente para a proposta da motocicleta, em qualquer passeio por qualquer canto do mundo.

Desempenho: a NC 750X é ágil e econômica na cidade e encara qualquer desafio nas estradas

Como ela é

O chassi é produzido com uma nova liga de aço, mas a grande melhoria desta geração fica por conta da nova suspensão dianteira SDBV de Showa Dual Bending Valve, desenvolvida em parceria com a Showa e que traz um inédito sistema hidráulico que entra em ação automaticamente conforme a velocidade de solicitação da suspensão. Pura mecânica dos fluidos. Esta suspensão funciona com maior progressividade, está mais adequada a proposta da motocicleta e absorve satisfatoriamente a buraqueira de pavimentos ruins, mas não faz milagre em estrada de terra.

Honda NC 750X e seu potente motor de 745 cm³

A suspensão traseira conta com um monoamortecedor com uma nova porca-castelo com mais regulagens da carga da mola, ligado ao consagrado sistema pró-link da Honda que garante extrema maciez no funcionamento. O tanque de combustível de 14,1 litros está debaixo do banco e é preciso levantar o banco do garupa para ter acesso ao bocal do tanque, fato inconveniente para o piloto se ele estiver viajando sozinho com a bagagem amarrada.

Posição da ponteira deixa roda à mostra

As rodas continuam as mesmas com aro de 17 polegadas com pintura prateada, que, ao meu ver, dá um ar mais careta e conservador para ela. Pneus Dunlop com uma banda de rodagem mais apropriada para aguentar um pequeno off-road vêm montados na Honda NC 750X, mas não senti segurança para rodar na chuva, porque ele tende a sair da trajetória com muita facilidade, diminuindo bastante a confiança.

Disco único na dianteira é bem potente

No Brasil, a Honda NC 750X só existe em versão única com ABS auxiliando os discos simples em cada roda, mordidos por pinças com ótima sensibilidade da frenagem e muito eficientes. Para a proposta crossover da motocicleta, os freios atenderam perfeitamente em todas as solicitações dos testes. O falso tanque é um prático porta-objetos que tem capacidade de 22 litros, suficientes para guardar um capacete fechado ou carregar uma pequena mochila.

Honda NC 750X tem compartimento no lugar do tanque onde é possível armazenar um capacete
O porta-malas comporta um capacete fechado

No trem dianteiro, o conjunto óptico é em LED e um pequeno parabrisas protege nas intempéries da estrada. A rabeta conta com uma lanterna em LED integrada e amplas alças para a garupa. Mudança mais legal para o piloto é o novo painel digital com a função ECO que pode ser personalizado com mudança de cores do econômetro que aparece na escala do conta-giros. É só ficar ligado quando ele muda de cor para encontrar sempre a melhor condição de consumo.

Apesar do LED no farol e na lanterna, setas da Honda NC 750X são convencionais
O para-brisas fixo protege bem contra as intempéries

O prático indicador de marchas, computador de bordo com consumo médio e instantâneo, velocímetro e hodômetro, nível de combustível e relógio fazem parte do pacote de informações de bordo do belo painel LCD black out. Ela não deve ser comparada com nenhuma outra motocicleta da mesma cilindrada porque sua proposta é outra. Não existe outra sete-galo no mundo que faça uma média de 30 km/l na estrada rodando a 100 km/h.

Painel digital da Honda NC 750X
O painel digital tipo black out tem econômetro personalizável

Rodando a 60 km/h o computador de bordo chegou a registrar 50 km/l. O câmbio de seis marchas é longo, com a quinta marcha quase na relação 1:1, então a sexta funciona como overdrive e faz com que o motor gire a apenas 3.500 rpm a 120 km/h. É extremamente confortável o rodar da Honda NC 750X a ponto de não sentir o menor cansaço mesmo após três horas de viagem na estrada. Rodei mais de 20 km de pé em estrada de terra e ela se comportou muito bem, sempre no trilho, as suspensões absorvendo bem a buraqueira e não transmitindo solavancos no guidão.

Monte numa Honda NC 750X e perceba a facilidade de andar com ela, a praticidade que o porta-objetos proporciona e a economia de combustível impressionante. Grande atrativo na hora da compra é a garantia de três anos sem limite de quilometragem e o Honda Assistance, com assistência 24 horas nos países do Mercosul.

Honda NC 750X traz lanterna e farol em LED
Farol e lanterna em LED, mas setas ainda são convencionais

Dados de fábrica
Motor bicilíndrico paralelo | OHC | 8 válvulas |câmbio de 6 velocidades

Cilindrada: 745 cm³
Potência máxima: 54,5 cv a 6,250 rpm
Torque máximo: 6,94 kgf.m a 4.750 rpm
Diâmetro x curso do pistão: 77 mm x 80 mm
Taxa de compressão: 10,7:1
Quadro: Diamond em aço
Cáster: 27°
Trail: 110 mm
Suspensão dianteira: Garfo telescópico com 153,5 mm de curso
Suspensão traseira: Monoamortecedor com Pro-Link, curso de 150 mm e ajuste de pré-carga
Freio dianteiro: Disco de 320 mm, pinça de 2 pistões (ABS)
Freio traseiro: Disco de 240 mm, pinça de 1 pistão (ABS)
Modelo do pneu: Dunlop TrailMax
Roda dianteira: 120/70 R 17 (61H)
Roda traseira: 160/60 R 17 (80H)

Medidas
Comprimento: 2.228 mm
Largura: 844 mm
Altura do assento: 832 mm
Entre-eixos: 1.534 mm
Tanque: 14,1 litros
Peso: 210 kg
Preço: R$ 33.980 (em 16/05/2020)

Primeira impressão: por Alexandre Nogueira

A Honda NC 750X é uma excelente opção para as correrias do dia a dia. Uma grande companheira, pronta para atender a todas as solicitações do piloto, seja na cidade, seja na estrada ou numa vaga incursão fora de estrada. Os principais itens diferenciais são o compartimento para pequena bagagem e a eficiência do motor, aliando bom desempenho com muita economia de combustível. Fato curioso é que normalmente os pneus de uso misto são muito bons na chuva, mas, neste caso, os pneus Dunlop não me transmitiram a menor confiança.

Honda NC 750X tem boa ergonomia e permite horas montado com muito conforto
A ergonomia é um dos pontos fortes da NC 750X e permite horas montado com muito conforto
No punho esquerdo o útil pisca-alerta
Honda NC 750X tem assento bipartido amplo e confortável
Assento bipartido é amplo e confortável

Veja também:
Honda X-ADV, muito mais do que um scooter
Haojue Nex 115: seu nome é praticidade
Yamaha Tracer 900 GT: artilharia atualizada