Card image
Testes
Aceleramos a fascinante Ducati 1299 Panigale

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 27/10/2015
  • Por: admin

<p><span style="line-height: 1.6em;">No circuito de Portimão, em Portugal, aceleramos a nova 1299 Panigale, novidade revelada ao mundo no Salão de Milão de 2014 e apresentada para os brasileiros no último Salão Duas Rodas. Com 205 cavalos de potência e recheada de recursos eletrônicos, é um verdadeiro sonho de consumo! </span></p>

<p><img alt="1299 Panigale. Parece a 1199, mas não é!" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_13_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /><span style="line-height: 1.6em;">Quando lançou a 1199 Panigale, no Salão de Milão de 2011, a Ducati surpreendeu o mundo. A moto era leve, potente e esmagadoramente maravilhosa. A mais potente de todas as superesportivas do mercado na época, construída em larga escala, da marca de Bolonha, mesmo com um motor de dois cilindros em L, pela primeira vez era capaz de ser mais veloz nas retas que muitas quatro cilindros em linha. Ela tinha tantos recursos eletrônicos e versões tão exclusivas como a Superleggera, que jamais esperaríamos que a Ducati pudesse ser capaz de nos surpreender tão rapidamente com outra superesportiva.</span></p>

<p><img alt="O conjunto é todo foi projetado para render bem dentro de um circuito, como Portimão" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_9_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Sim, <a href="http://www.motorpress.com.br/moto/galeria/ducati-1299-panigale/#11547"><span style="color:#FF0000;">a 1299 mudou tanto, que podemos dizer que se trata de outra moto</span></a>. Estivemos no lançamento mundial do modelo para a imprensa especializada, realizado no belo, moderno e divertido circuito português de Portimão, que sedia uma das etapas do Mundial de Superbike. Poucos dias antes de os jornalistas conhecerem a novidade, um piloto de testes da marca conseguiu a façanha de virar quatro segundos mais rápido com a 1299 S do que Nicky Hayden e Carlos Checa haviam virado em Mugello, quando testaram a 1199 totalmente preparada. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Com essa informação na cabeça, só poderíamos imaginar que a nova 1299 não ganhou apenas dois pistões maiores, com 4 mm a mais de diâmetro, e sim muito mais recursos na ciclística, o que nos possibilita ir mais rápido e com muito mais facilidade. Os números impressionam e até assustam, pois a Ducati declara para a 1299 nada menos que 205 cv a 10 500 rpm e 14,7 kgf.m a 8 750 rpm, tudo isso para um peso seco de 166,5 kg. </span></p>

<p><img alt=" As entradas de ar embaixo dos faróis estão bem maiores na 1299" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_11_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">O motor Superquadro não ganhou apenas pistões 4 mm maiores. Agora, os pistões correm em camisas de aço em vez de correr em cilindros 100% de alumínio. Isso foi necessário, pois o alumínio não ficaria com uma espessura tolerável em relação à parte externa, já que os pistões são maiores e a largura do motor, não.</span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">São 10% a mais de torque e 10 cv a mais que a 1199. Como um ser humano normal ou um piloto de final de semana poderia domar tanta potência e tanta força sem que a moto seja extremante equilibrada e venha com recursos eletrônicos para manter a roda dianteira no chão?</span></p>

<p><img alt="O novo Superquadro excede em 85 cm³ o limite do regulamento técnico do Mundial de Superbike, onde permanece em ação a 1199 Panigale R" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_12_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Para que ela ficasse, digamos, “pilotável” os responsáveis técnicos da 1299 fizeram modificações internas no motor e na geometria do quadro e implementaram novos recursos eletrônicos. O ângulo de cáster perdeu 0,5° e está agora com exatos 24°, mas para ela não perder estabilidade em altas velocidades foi rebaixado o ponto de fixação das bengalas em 4 mm.</p>

<p>Quanto à eletrônica, agora ela vem com sistema antiempinada regulável e ABS Racing, que dentre tantos parâmetros também é capaz de ser desabilitado na traseira e ainda receber informações sobre a inclinação da moto. Obviamente que tudo pode ser pré-acertado em diferentes níveis. Todas as informações estão disponíveis no painel e podem ser alteradas através de um simples botão.</p>

<p><img alt=" A versão &quot;S&quot; da nova Panigale ganhou botões no punho esquerdo para operar os sistemas DWC, DTC e EBC" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_10_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Outra grande novidade é a adoção de um pedal de câmbio com quick-shifter reversível, que nos possibilita esquecer do manete de embreagem também nas reduções. O controle de tração, o freio motor eletrônico e o sistema antiempinada são automaticamente recalibrados conforme a mudança do perímetro do pneu e da relação de transmissão final.</p>

<p>Visualmente pouca coisa mudou, apenas um vero ducatista consegue enxergar de imediato que a frente está ligeiramente mais larga, que a bolha protege mais que as entradas de ar, ao lado dos faróis, estão maiores e que a rabeta recebeu novo desenho. A versão S ganhou botões extras para um set-up mais rápido do DTC, DWC e EBC.</p>

<p>Essa sopa de letrinhas significa Ducati Traction Control, Ducati Wheelie Control e Engine Brake Control e tudo pode ser calibrado em oito níveis diferentes de acordo com a necessidade do piloto. Com um olhar mais clínico percebemos também que as ponteiras de escape estão diferentes e que a espessura dos tubos das curvas é mais grossa.</p>

<p><img alt=" Com 205 cv de potência e 14 kgf.m de toque empurrando um conjunto muito leve, ela surpreende na pista!" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_14_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p><strong>NA PISTA</strong><br />
<span style="line-height: 1.6em;">Por azar ou por sorte, dependendo do ponto de vista, exatamente no momento de eu entrar na pista, começou a chover. Pena eu não poder sentir imediatamente 100% os 205 cv, mas seria vital para perceber como a atual eletrônica e com essa potência é possível domá-la nessas condições. Basta selecionar o mapa Wet e enfiar a mão que tudo estará superseguro. Nesse mapa ela fica com apenas 120 cv,</span></p>

<p>a resposta do acelerador é suavizada e as suspensões (na versão S) são automaticamente recalibradas para uma condição de pista sem muita aderência. Na verdade, apesar da chuva, tudo colaborava para total segurança, pois além do ABS e do controle de tração, a pista tem uma excelente capacidade de drenagem e na minha frente eu tinha a referência de Allessandro Valia, o mesmo piloto que quebrou o recorde de Mugello. Pensei: vou acreditar e segui-lo de perto, se ele não cair eu também não vou. Arriscado? Nenhum pouco.</p>

<p><img alt="Sempre ‘grudada’ no chão, a 1299 Panigale dá segurança para buscar seus limites na pista" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_3_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Mesmo calçada com Pirelli Supercorsa SP foi possível sentir bem a fácil ciclística da 1299. Mas evidente que seria necessário aguardar a pista secar para sentir os 205 cv. Não precisou esperar muito tempo, pois circuito de primeiro mundo seca rápido e em menos de duas horas a pista já nos ofereceu segurança suficiente para passarmos para o mapa Sport e logo depois para o mapa Race. Para quem não sabe, a pista de Portimão conta com vários pontos que favorecem a empinada involuntária.</p>

<p>Em uma condição normal, com uma moto tão forte e sem sistema antiempinada, teríamos a obrigação de aliviar a mão do acelerador para a frente abaixar, mas com a 1299 isso não acontece, basta torcer a mão com fé que a moto estará sempre pregada no solo. Manete de embreagem? Apenas para sair do Box em primeira marcha, depois podemos segurar a manopla esquerda com todos os dedos e apenas movimentar os pés. Uma verdadeira dádiva na busca de melhores tempos.</p>

<p><img alt=" Agora o sensor do ABS na roda traseira envia muito mais informações à central eletrônica" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_5_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>E o ABS race? Que maravilha! Ele entende exatamente o que estamos fazendo. Em que marcha estamos, em que velocidade, se estamos acelerando, freando ou em que grau de inclinação. Um verdadeiro controle de estabilidade. Quanto ao motor, ele surpreende por ser tão forte, mas ao mesmo tempo tão suave na resposta do acelerador e na entrega de potência no solo. Não existe degrau na curva de potência, não há explosão entre baixos, médios e altos giros, o piloto tem sempre total controle da potência.</p>

<p><img alt=" " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_1_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>E que potência? Na reta principal é preciso muita habilidade para não deixar a moto ir mais rápido que você. Se você não se esconder atrás da bolha e não utilizar os pés para se manter em cima da moto, não vai ser com o braços que poderá segurar o míssil. Agora ela entra melhor em curvas e não abre a trajetória quando retomamos a velocidade. Forte, ágil e segura. Jamais imaginei que iria afirmar isso um dia, mas a 1299 é muito mais forte (muito mesmo) e mais fácil de pilotar que a 1199. Acredite!</p>

<p><strong style="line-height: 1.6em;">CONCLUSÃO, por Eduardo Zampieri</strong><br />
<span style="line-height: 1.6em;">Ainda não pilotei a nova Yamaha R1, nem as Aprilia RSV4 RR e RF e nem levei a nova BMW S 1000 RR ao limite, mas não tenho dúvidas que se a ideia for virar tempos rápidos dentro da pista, a <a href="http://www.motorpress.com.br/moto/videos/todos/ducati-1299-panigale-na-pista"><span style="color:#FF0000;">Ducati 1299</span></a> tem todos os ingredientes para ser a mais veloz. É fato que a 1199 era potente e leve, mas, quando queríamos realmente ir ao limite, ela apresentava uma pequena imprecisão nas entradas de curvas e não mantinha a frente no chão nas saídas. Isso foi resolvido.</span></p>

<p><img alt=" Neste ângulo, é possível notar as diferenças entre as Panigale 1299 e 1199" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/ducati_1299_panigale_motociclismo_6_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Frente às atuais concorrentes, uma legítima Panigale também não poderia deixar de contar com quick-shifter bidirecional e ABS Race. O caráter do motor L2 sempre foi de extremo torque em baixos giros, mas fico sem palavras para comentar sobre a estupidez desse da 1299. Como ela seria com seus 14,7 kg de torque a 8 750 rpm se não tivesse um sistema antiempinada? Agora, pode vir as quatro cilindros em linha na reta, que ela fica na vácuo!</p>

<p> </p>

<p><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/aNXR009MzBw" width="620"></iframe></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários