Card image
Notícias
Yamaha realiza recall da R3 no Brasil

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 18/03/2020
  • Atualizado: 19/03/2020 às 12:36
  • Por: Willian Teixeira

A Yamaha Motor da Amazônia convocou recall da R3 para verificação dos suportes das mangueiras do freio dianteiro. Por uma inconformidade na fabricação das peças, as mangueiras podem se desprender e encostar na suspensão, podendo ocasionar desgaste gradual em decorrência do atrito gerado e, no pior dos casos, vazamento do fluido de freio, reduzindo a capacidade de frenagem da motocicleta, elevando os riscos de acidente e lesões aos usuários e/ou terceiros.

Estão envolvidas no recall 40 motocicletas, todas modelo 2020, com chassis de 9C6RH0940L0000101 até 9C6RH0940L0000140. Os proprietários devem comparecer a uma concessionária para agendar a realização do reparo, que não terá custos aos clientes.

recall Yamaha R3
Sport: Yamaha YZF-R3 (121 unidades)

Veja também:
Yamaha R3: pequena esportiva agrada pilotos profissionais
Produção de motos nos dois primeiros meses do ano cresce 5%
Opinião: recall, “mal” necessário para evitar acidentes

Segundo a Yamaha, o tempo médio para realização do serviço pode variar de 15 minutos (se for necessária apenas a troca do suporte) até 1h45 minutos (caso a mangueira tenha de ser substituída). Mais informações sobre o recall da R3 podem ser obtidas no site da Yamaha ou no telefone 0800 774 3738 – ligações em horário comercial.

Fábricas da Yamaha fechadas por causa do coronavírus

A Yamaha paralisou suas linhas de produção na Itália e na França por causa da pandemia do coronavírus. Segundo a MOTOCICLISMO Itália, ambas unidades vão ficar fechadas até dia 22 de março. Após o prazo, a situação será revisada semanalmente, e a marca dos três diapasões retomará a produção quando a situação estiver estabilizada em ambos países.

A Casa de Iwata não foi a única a paralisar suas atividades por causa do covid-19. Marcas como Ducati e KTM também fecharam suas fábricas na Europa por causa da doença, que já registra ocorrências em mais de 160 países.