Card image
Notícias
Yamaha FZ-X será a nova aventureira da marca japonesa

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/01/2021
  • Por: Alexandre Nogueira

A Yamaha está com o foco voltado para uma crossover de 250 cm³, pelo menos como indicado pelo “X” no nome FZ-X, que foi recentemente registrado na Índia.

A Yamaha FZ-X é a nova máquina da Casa de Iwata para combater o segmento cada vez mais nutrido das motocicletas aventureiras de 250 cm³, ou quarto de litro, como os gringos gostam de chamar.

Yamaha registra o nome FZ-X (Divulgação)

Veja também:
Os 10 testes mais lidos da Motociclismo online em 2020
Versys-X 300 é pequena aventureira de alma Big Trail da Kawasaki
Honda CB 1100X: a Sport Tourer com motor de Africa Twin

A questão é, se um modelo completamente novo está chegando ou se algum modelo seria usado como base? Muito se especulou sobre a chegada da versão aventureira da MT-03, em uma versão crossover relacionada à família Tracer, ou uma versão com o espírito aventureiro e que carregaria o emblemático nome Ténéré.

Versões digitais já aparecem na web (Divulgação)

A maior preocupação da Yamaha para colocar essa nova máquina no mercado seria a real demanda do público por tais produtos, mas as pesquisas mostraram que há uma forte tendência por motocicletas aventureiras de pequena média cilindrada em países asiáticos, então a Yamaha decidiu entrar no jogo com um novo modelo baseado na usina da FZ25, a nossa conhecida Yamaha Fazer 250.

De olho no gigantesco e exigente mercado indiano, os engenheiros da Yamaha vislumbram tomar como base a FZ25, incorporando um novo chassi com a geometria revisada e de acordo com a nova proposta, suspensões de longo curso e uma roupa com um design aventureiro, moderno e atraente. Contar com uma plataforma pré-existente reduz os custos de desenvolvimento, o que significaria preço mais baixo e mais competitivo. Então, nem Tracer, nem Ténéré.

Yamaha FZ25 na Ásia: a nossa Fazer 250 (Divulgação)

É claro que este motor monocilíndrico de 249 cm³, SOHC, refrigerado a ar com radiador de óleo e injeção eletrônica, que reivindica 20,5 cv de potência a 8.000 rpm e 2,1 kgf.m de torque a 6.000 rpm está longe do motor bicilíndrico de 320 cm³ de última geração da marca, mas sua confiabilidade comprovada e as boas respostas de baixa e média rotação seriam fundamentais para a proposta do novo modelo.

Motor monocilíndrico de 250 cm³ é consagrado pela confiabilidade (Divulgação)

Não se sabe se a Yamaha procurará um perfil mais trilheiro com a adoção de rodas raiadas, ou uma abordagem mais asfáltica com rodas de liga leve. Eu descartaria o uso de rodas de 19 ou 21 polegadas na dianteira, e apostaria que rodas de liga leve com 17 polegadas para um modelo crossover seria a escolha da Yamaha.

Por enquanto, a única coisa concreta é o registro do novo nome e o uso da plataforma FZ25, mas podemos esperar o ABS nas duas rodas e tomara que ele permita a desconexão da roda traseira, iluminação total LED e certamente uma nova instrumentação LCD que permite a incorporação do mais recente pacote de conectividade Bluetooth da Yamaha.

Nova Fazer 250 já foi registrada no Brasil (Divulgação)

A Yamaha Fazer 250 com o visual renovado já foi registrada no Brasil através do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Ela chega com o visual da versão asiática, com novo conjunto óptico frontal, com canhão único de LED para os faróis alto e baixo, junto com uma linha de LED logo acima para a luz de posição diurna e novo painel LCD.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Comentários