Card image
Notícias
Yamaha Fazer 250 agora também é flex

1 Minuto de leitura

  • Publicado: 13/07/2012
  • Por: admin

A Yamaha apresentou nesta sexta-feira, 13, a nova Fazer 250 BlueFlex, com tecnologia que permite o abastecimento com etanol, gasolina ou mistura dos dois combust&iacute;veis em qualquer propor&ccedil;&atilde;o. O modelo &eacute; bem parecido com a vers&atilde;o a gasolina, que continua em linha. A cicl&iacute;stica e o motor s&atilde;o os mesmos. As principais diferen&ccedil;as s&atilde;o o novo grafismo, a luz indicadora BlueFlex no painel e mudan&ccedil;as sutis como na tampa do combust&iacute;vel, acr&eacute;scimo de um filtro de combust&iacute;vel e vela de igni&ccedil;&atilde;o, entre outros pequenos detalhes t&eacute;cnicos.<br /><br />&ldquo;Desde 2005, quando a Fazer estava em processo de desenvolvimento, a equipe de engenharia j&aacute; trabalhava com a possibilidade de tornar essa motocicleta bicombust&iacute;vel&rdquo;, comentou Marcelo Dias, um dos engenheiros respons&aacute;veis pelo novo projeto. De acordo com informa&ccedil;&otilde;es da marca, um dos apelos da nova Fazer &eacute; o meio ambiente, j&aacute; que a vers&atilde;o dotada com esta tecnologia emite, em m&eacute;dia, 40% menos CO na atmosfera.<br /><br />O funcionamento da tecnologia &eacute; simples. O piloto s&oacute; deve observar o painel no momento em que a chave &eacute; ligada antes de sair. Se a luz BlueFlex n&atilde;o acender, significa que a motocicleta est&aacute; apta para rodar imediatamente. Com a luz piscando &ndash; indicativo de que a temperatura est&aacute; abaixo de 20 graus Celsius &ndash;, a moto tamb&eacute;m pode ser pilotada. A terceira possibilidade &eacute; a luz ficar acesa &ndash; especialmente entre 0 e 5 graus Celsius &ndash; e avisa que a moto, embora d&ecirc; a partida, n&atilde;o deve ser pilotada naquele instante. O condutor deve esperar a luz apagar, o que leva cerca de 30 segundos, para ent&atilde;o engatar a marcha e sair.<br /><br />A Fazer 250 BlueFlex chega &agrave;s concession&aacute;rias da marca em todo o Brasil com pre&ccedil;o sugerido de R$ 11 790 (R$ 500 mais cara que a Fazer normal) nas cores preta e prata. Na pr&oacute;xima edi&ccedil;&atilde;o da MOTOCICLISMO teremos um teste com mais informa&ccedil;&otilde;es sobre o modelo.

Conteúdo Recomendado

Comentários