Card image
Notícias
Xiaomi produzirá scooter elétrico mais barato que smartphone

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/04/2021
  • Por: Alexandre Nogueira

A chinesa Xiaomi anunciou que está entrando no segmento da mobilidade consciente e fabricará dois scooters elétricos de baixo custo. A fabricante vem ganhando o mundo com aparelhos de telefonia celular de alta especificação com preços bem abaixo dos praticados pela concorrência, diga-se de passagem, Motorola, Samsung e Apple.

Por enquanto, a novidade da Xiaomi será oferecida apenas no mercado chinês, com o modelo A1 custando US$ 424 (cerca de R$ 2.166) e o A1 Pro US$ 566 (cerca de R$ 2.891). Mas esses valores são promocionais e após essa primeira fase de lançamento, o A1 passa a custar US$ 523 (cerca de R$ 2.672) e o A1 Pro, US$ 655 (cerca de R$ 3.346).

Xiaomi A1: mais barato que smartphone (Divulgação)

Veja também:
Mudanças no Código de Trânsito entram em vigor dia 12
Veja as 20 motos mais emplacadas no 1º trimestre
Empresa ajuda motociclistas a encontrarem a moto ideal

Ambos pesam apenas 52 kg e tem velocidade de até 25 km/h, o máximo legalmente permitido na China para um veículo elétrico desta categoria. A autonomia é de 60 km no modelo A1, que tem bateria de 768 W e o A1 Pro chega a 70 km com bateria de 960 W. Os dois modelos recebem comandos de voz e utilizam o sistema de bateria removível, que pode ser retirada e carregada fora do veículo. As funcionalidades também incluem computador de bordo, freio a disco dianteiro e uma interessante câmera integrada para gravar o percurso em 1080p.

Xiaomi A1 e A1 Pro: até 70 km de autonomia (Divulgação)

As vantagens do A1 Pro, além da maior autonomia (70 km contra 60 km da A1 regular), são a memória interna da câmera e o painel colorido sensível ao toque.

Xiaomi A1 e A1 Pro: painel sensível ao toque no A1 Pro (Divulgação)

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– 
Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

A fabricante chinesa vem investindo forte em mobilidade e já produz scooters exclusivamente para o mercado chinês desde 2015, e já anunciou em março deste ano que irá investir US$ 10 bilhões ao longo dos próximos 10 anos em sua divisão de mobilidade movida a energia elétrica.

Xiaomi A1 e A1 Pro: bateria intercambiável (Divulgação)

Outras rivais das telecomunicações, como Huawei e Apple, também estão trabalhando fortemente em suas máquinas para mobilidade consciente e ecológica com motores elétricos e seus produtos devem chegar ao mercado até 2022.

Xiaomi A1 e A1 Pro: até 25 km/h (Divulgação)

E você, é adepto da mobilidade consciente com pequenos veículos elétricos exclusivos para mobilidade urbana? Deixem seus comentários.

Conteúdo Recomendado

Comentários