Card image
Notícias
Volta ao mundo de scooter passa pelo Brasil

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 07/04/2010
  • Por: admin

<p>Na segunda-feira, 6 de abril, tivemos o prazer de receber na redação da MOTOCICLISMO a visita do mototurista mexicano Antonio Rodriguez Cortez, que depois de passar por outros 18 países do continente americano com seu pequeno scooter de 125 cm³, está agora de passagem pelo Brasil.<br />
<br />
A jornada começou em Acapulco, no México, no dia 2 de outubro de 2008, data em que Antonio embarcou com a sua Honda Elite 125 em um avião com destino a Vancouver, no Canadá, de onde efetivamente partiu pilotando em direção ao Alasca. Uma vez alcançado o seu objetivo mais ao norte, rumou com seu pequeno scooter para o sul, passando por Estados Unidos, Canadá, México e todos os países da América Central.<br />
<br />
Exceto pelo desvio que fez para conhecer à Bolívia, o determinado mexicano foi contornando a costa do Pacífico (inclusive visitando, com a moto, a Ilha de Páscoa) até o Chile. Na patagônia, o piloto e seu valente scooter encararam 380 km de rípio e ventos fortíssimos antes de chegar à cidade de Ushuaia, ponto mais austral da viagem. Voltando a “subir” pela costa do Atlântico, era a vez de conhecer a capital argentina, Buenos Aires, o Uruguai e o Paraguai.<br />
<br />
Agora no Brasil, depois de passar pelas Regiões Sul e Sudeste, Rodriguez pretende seguir contornando o litoral até alcançar Belém, no Pará. As Guianas e a Venezuela são as últimas “escalas” antes de pegar um avião para a África do Sul. Até agora, já são 16 meses longe de casa e mais de 59 000 km rodados, contudo, até o fim de sua volta ao mundo — que, além da África, ainda deve passar pela Ásia e Europa — Antonio e seu scooter deverão percorrer, no total, mais de 156 000 km por 56 diferentes países.<br />
<br />
Com 49 anos de idade, o empresário e arquiteto mexicano nos comentava que uma longa viagem em motocicleta é um antigo sonho: “ Um dia, revirando uma caixa com documentos antigos, encontrei uma foto onde eu aparecia, sorridente, ao lado de minha primeira moto. Naquele instante decidi que era hora de, finalmente, deixar de apenas sonhar em desbravar o mundo em cima de uma moto, e, de uma vez por todas, partir!”, disse Antonio.<br />
<br />
“Com o rumo a seguir traçado, juntei alguns dólares que tinha guardado e estava pronto para partir com a minha CBR Fireblade. Porém, poucos dias antes de embarcar para o Canadá, uma concessionária Honda da minha cidade me ligou e disse que tinha um presente para mim. Fui para lá pensando que iriam me dar alguma ajuda em peças ou até mesmo uma pequena quantia em dinheiro, mas, na verdade, eles me ofereceram um Honda Elite 125 0km e assistência mecânica das concessionárias Honda pelo mundo. Topei na hora!”, complementou o viajante mexicano.<br />
<br />
Durante a sua visita à editora, ficou claro que muito mais que uma viagem tradicional — daquelas em que definimos um destino, vamos até lá, retornamos e voltamos à rotina do dia a dia —, Rodriguez “encara” sua aventura como uma oportunidade única de viver novas experiências nas mais diversas culturas e, principalmente, construir uma cadeia de ajuda ao motociclista que viaja pela América, desde o Alasca até a Patagônia.</p>

<p>No site <a href="http://www.elpatagonio.webs.com">www.elpatagonio.webs.com</a>, você pode ver fotos, dicas, roteiros e todos os detalhes sobre a corrente de apoio e solidariedade ao motociclista viajante.<br />
<br />
<strong>por Gabriel Berardi</strong></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários