Notícias
  • 11/10/2019
Triumph Street Triple RS 2020: roadster inglesa chega ainda melhor

A Triumph Street Triple surgiu a doze anos, aproveitando o embalo do sucesso da Daytona 675 com seu poderoso motor de três cilindros em linha de pegada explosiva e um corpo esguio. Ela chega em versão 2020 mais refinada e certamente seguirá o legado de sucesso, sendo um dos modelos mais importantes da marca inglesa em números de vendas.

Primeiramente chega a versão RS, mais apimentada e com equipamentos de grife para otimizar a performance e a segurança, mas é certo que as versões S e R, de especificações mais soberbas, devem chegar logo em seguida.

Veja também:
Waldyr Ferreira é novo diretor da Harley-Davidson
Começou o Moto de Ouro 2019. Participe você também!
Salão Duas Rodas 2019 terá número recorde de atrações

Particularmente eu acho a Triumph Street Triple uma naked perfeitamente na medida, ainda mais com o novo motor de 765 cilindradas, que deixou o leve conjunto à beira da perfeição em se tratando de equilíbrio entre peso e potência. Por isso, não apostaria que ela sofresse alterações para 2020, mas as novas normas Euro5 tornaram inevitáveis as mudanças no motor para obter menores índices de emissões sem perder potência. Aproveitando o embalo, a marca inglesa também fez pequenos ajustes na eletrônica e no design.

O motor é onde aconteceram as maiores mudanças, com um novo comando para as válvulas de escapamento, virabrequim e balanceiro mais leves e um sistema de escapamento de duplo catalisador de fluxo livre, no lugar do catalisador único. O aumento no pico de potência chega a ser insignificante e continua na casa dos 121 cavalos a 11.750 rpm, mas a grande melhoria veio no aumento do torque que passa de 7,7 para 7,9 kgf.m em 9.350 rpm, 1.650 mais baixo que a versão anterior. Isso representa respostas mais rápidas e nítidas ao menor toque do acelerador eletrônico que disponibiliza cinco modos de pilotagem, sendo um deles personalizável com as preferências do piloto. O câmbio de seis marchas também foi revisto, está mais preciso ainda e conta com o quick shift de funcionamento perfeito e suave.

O chassi continua o mesmo da versão anterior, reconhecidamente excelente, no entanto o body kit foi atualizado com um trabalho de ourives. As mudanças são bem sutis, mas a primeira diferença que se nota são os faróis com a aparência de olhos franzidos e irados, com LEDs de posição diurna na parte superior, dando o visual característico da Street Triple.

Uma pequenina carenagem com entrada de ar cobre o painel digital com regulagem de inclinação. O painel inclui conectividade MyTriumph Bluetooth, oferecendo navegação ao smarthphone e ao inédito sistema GoPro exclusivo da marca, permitindo todo o acesso e controle da câmera pelo punho do guidão. Os gráficos do painel também são novos. Também foram redesenhados os painéis laterais e a rabeta.

Ainda na parte mecânica, um kit de freios de alta qualidade, com pinças dianteiras monobloco Brembo M50, garfo Showa BPF e amortecedor traseiro Öhlins STX40, que garantem a excelente performance e estabilidade do conjunto.

O novo sistema de escapamento remodelado também contribui com o visual com um lindo acabamento na extremidade em fibra de carbono, acentuando a esportividade. Demais alterações ficam mesmo por conta do acabamento das peças em alumínio como as pedaleiras, suporte do guidão e espelhos.

Os preços ainda não foram revelados, e esperamos ansiosos que a Triumph do Brasil apresente a nova Street Triple no próximo Salão Duas Rodas que acontece no mês de novembro.