Notícias
  • 30/03/2020
Suzuki mostra GSX-R1000R com pintura da MotoGP

A casa de Hamamatsu apresenta virtualmente a nova Suzuki GSX-R1000R com o grafismo da MotoGP GSX-RR 2020 de Alex Rins e Joan Mir. Com a pandemia do coronavírus, o Tokyo Motorcycle Show 2020 está de portas fechadas. Por isso, o fabricante criou um site que replica fielmente o estande do evento, permitindo que os fãs visitem o salão no conforto de suas casas.

Suzuki GSX-R1000R 2020: inspirada na MotoGP de Rins e Mir (Divulgação)

O novo modelo é destinado primeiramente ao mercado japonês. Uma decoração que reproduz as motos de corrida da Suzuki dos anos 1960, quando participou do TT da Ilha de Man.

Veja a nova Suzuki GSX-R1000R em ação!

À esquerda a moto que estreou no TT da Ilha de Man em 1960 (Divulgação)

Veja também:
Alex Marquez vence MotoGP Virtual Race
Empolgantes, novas Honda CB 650 partem de R$ 37.900
Dafra lança Citycom HD 300 para encarar Yamaha XMAX

A Suzuki Loom Works foi fundada em 1909 por Michio Suzuki (1887-1982), numa pequenina vila do litoral japonês e fabricava enormes teares para a indústria da seda. Eram máquinas altamente sofisticadas para a época e revolucionou a indústria têxtil com sua alta capacidade de transformar fios em tecido. Eles eram tão bons que não quebravam e isso trouxe problemas para a fabricante porque eles não precisavam ser substituídos.

Diante de tal situação, Sr. Michio Suzuki empenhou uma nova estratégia, então em 1937 começou a produzir automóveis, porém o advento da segunda guerra mundial a produção foi interrompida porque o governo japonês achava os automóveis dispensáveis. A Suzuki apresentou sua primeira bicicleta motorizada com 36 cm³ em 1952, após a segunda guerra mundial, pois o povo japonês precisava de um meio de locomoção prático, econômico e de baixo custo. Em 1954, a Suzuki já produzia seis mil motos por mês.

A Suzuki fabricou os melhores teares do início do século XX (Divulgação)
Primeira bicicleta motorizada da Suzuki com motor de 36 cm³ (Divulgação)

O famoso “S” da Suzuki surgiu em 1958 através de um concurso para escolher o melhor logotipo. Com 105 anos de história e 62 anos na produção de motocicletas, a Suzuki segue a filosofia de aprimoramento da tecnologia para oferecer produtos de alto valor agregado alimentando o legado, a paixão e o entusiasmo que transformam prazer de pilotar em diversão.

Suzuki GSX-R1000R: excelente opção para iniciantes nas superesportivas (Divulgação)

A Suzuki GSX-R1000R é uma motocicleta muito equilibrada e com uma incomparável combinação de confiabilidade, usabilidade e desempenho geral, com excelente potencial para corridas e que funciona perfeitamente para os pilotos de rua e pilotos de track-day, iniciantes ou experientes. O motor é um quatro cilindros em linha de 999,8 cm³ é compacto e leve, refrigerado à líquido, com duplo comando variável no cabeçote para acionar 16 válvulas de titânio. Ele rende 202 cavalos de potência a 13.200 rpm com torque máximo de 12 kgf.m a 10.800 rpm, mais que suficientes para empurrar o conjunto de 202 kg.

Motor compacto rende 202 cv para 202 kg de peso (Divulgação)

A eletrônica embarcada conta com unidade de medição inercial IMU que monitora em frações de segundo o movimento da motocicleta em 6 direções ao longo de 3 eixos, inclinação frontal na frenagem e na aceleração), inclinação lateral em curvas e direção (Virar para Esquerda e Direita). O pacote eletrônico inclui um acelerador com três modos de pilotagem, controle de tração com dez níveis, sistema ABS dos freios, sistema de assistente de baixo RPM para o motor não apagar nas arrancadas, controle de largada para as competições e Quick Shift bidirecional.

GSX-R1000R: conjunto muito equilibrado para rua e pista (Divulgação)

Para os trabalhos de suspensão, vem agregados ao leve e compacto chassi de alumínio, um garfo dianteiro Showa Big Piston Front BPF sem cartucho, com um pistão de grande diâmetro que corre diretamente por dentro do tubo interno, oferecendo amortecimento mais eficiente, especialmente nas frenagens mais fortes. O garfo é totalmente ajustável na pré carga da mola, na compressão e na velocidade do retorno. Pinças de freio monobloco de fixação radial da Brembo, com quatro pistões de 32 mm trabalham em conjunto com discos de 320 mm de diâmetro.

Suzuki GSX-R1000R: suspensões Showa e painel multifuncional (Divulgação)

Na traseira, uma balança bilateral de alumínio montada com um monoamortecedor Showa também multiajustável garante a roda colada no chão. Um disco de freio de 220 mm casado com uma pinça de pistão único garante a estabilidade adicional nas frenagens em altas velocidades. O sistema de freios conta com Motion Track Brake System, para reduzir a elevação da roda traseira nas frenagens fortes ou descidas.

Freios da italiana Brembo com sistema Motion Track Brake System (Divulgação)

A Suzuki GSX-R1000R possui instrumentação LCD multifuncional fácil de ler e incorpora o modo S-DMS e os indicadores de nível de movimento TCS, bem como um medidor de nível de combustível, consumo instantâneo ou médio, posição de marcha, odômetros, velocímetro, relógio, tempo de volta, temperatura do motor, temperatura ambiente e lembretes de serviço.

Painel LCD multifuncional mostra tempo de volta (Divulgação)

A Suzuki GSX-R1000R é uma moto muito equilibrada, com desempenho excelente e que agrada à todos os pilotos, seja nas ruas ou nas pistas, transmitindo muita confiança e segurança. Está disponível no Brasil com preço à vista de R$ 68.984 e sete esquemas de cores. Como dissemos no início do texto, a versão com grafismos da MotoGP foi lançada para o mercado asiático, ou seja, não há previsão de chegada da versão em nosso país.