Card image
Notícias
Serviço Secreto ignora Trump e compra Harley-Davidson

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 19/09/2018
  • Por: Carlos Bazela

Trump, Harley-Davidson, Donald Trump, Serviço Secreto dos EUA, Serviço Secreto, FLHTP, Electra Glide Police, impostos, Europa, México, Canadá, União Europeia, taxas, motos, mercado internacional, Brasil, Austrália, Índia, Tailândia, fábrica, produção, números, vendas, motociclismo, Motociclismo Online, Revista Motociclismo

Os apelos de boicote à Harley-Davidson feitos pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, parecem não estar surtindo muito efeito. Nem mesmo dentro do próprio governo. De acordo com informações da CNN e do Milwaukee Business Journal, o Serviço Secreto dos EUA entrou com pedido de compra de uma motocicleta Harley-Davidson FLHTP, que é a Electra Glide Police para substituir outra existente da frota.

As informações foram publicadas no site Federal Business Opportunities, uma espécie de Portal da Transparência, dos EUA, onde o governo de lá posta ordens de compra e licitações para atrair interessados e que é aberto para que o cidadão veja os gastos da administração pública.

Veja também:
Donald Trump entra em rota de colisão com a Harley-Davidson
Harley-Davidson revela a power cruiser FXDR 114
TESTE: HARLEY-DAVIDSON SOFTAIL SLIM

Segundo os documentos, será apenas uma motocicleta adquirida, ano 2018 e sem a necessidade do sidecar que normalmente as acompanha, pelo fato do Serviço Secreto já ter alguns na frota e justificam a necessidade de ser uma Harley pelo fato de já possuir pessoal treinado na manutenção e que abrir para outra marca geraria custos de treinamento para os mecânicos. A ordem de serviço pede orçamentos para concessionárias de motos e pequenos negócios, que faturem até 32,5 millões de dólares por ano.

Harley versus Trump

O embate entre a Harley-Davidson e Donald Trump começou quando a marca de Milwuakee anunciou que pode mover parte de sua produção para a Europa por conta das políticas de importação de matéria-prima sancionadas pelo presidente dos EUA.

Nitidamente enfurecido pela hipótese, Trump usou o Twitter para se manifestar. “Uma Harley-Davidson nunca deveria ser feita em outro país. Nunca! Seus empregados e clientes já estão bem nervosos com eles. Se eles se mudarem, observem, será o início do fim”, escreveu ele na época. Mas, ao que parece, tanto o fim da polêmica como o da H-D ainda estão longe de chegar.

Conteúdo Recomendado

Comentários