Card image
Notícias
RC213V-S, a MotoGP de rua

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 11/06/2015
  • Por: admin

<p><span style="line-height: 1.6em;">A Honda apresentou no dia 11 de junho, a RC213V-S, o modelo mais exclusivo da sua linha de motos a nível mundial. Para os fãs de motos esportivas, este lançamento é um marco, pois a moto é uma versão de rua da RC213V, utilizada pelos pilotos oficiais da HRC (Honda Racing Corporation), Casey Stoner e Dani Pedrosa, na temporada de 2012 da MotoGP, com algumas diferenças técnicas, para reduzir o custo, e com partida elétrica, farol, setas, lanterna e suporte para placa, para poder rodar em vias públicas. </span></p>

<p><img alt="Honda RC213V-S" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto216_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A primeira exibição pública da RC213V-S – como protótipo – foi durante o Salão de Milão (EICMA), em novembro de 2014 e despertou a atenção por seu design muito próximo da moto usada no Mundial de Motovelocidade, campeã nas temporadas de 2013 e 2014. O desenvolvimento contou com a colaboração do ex-piloto japonês da MotoGP, Tohru Ukawa, e representa o resultado do trabalho conjunto entre a Honda no Japão e a HRC, divisão esportiva da marca.</p>

<p>O projeto da RC213V-S traz toda experiência da marca adquirida nas pistas, desde 1959, quando a Honda estreou em uma corrida oficial, na Ilha de Man e uma das preocupações no desenvolvimento foi oferecer uma autêntica moto de competição, mas que fosse equilibrada, fácil de pilotar por motociclistas comuns, sem qualquer experiência em corridas. Alguns componentes são equivalentes aos do protótipo da MotoGP, como o quadro tipo diamante. O motor é novo, um DOHC V4 de 999 cm³, com inclinação a 72º, que segue o mesmo conceito do V4 a 90º (ou L4 se preferir) da MotoGP usado por Márquez, porém com menor potência, mais adequada para a utilização fora dos circuitos fechados. Na RC213V-S são 159 cv a 11 000 rpm, com torque de 10,4 kgf.m a 10 500 rpm. O motor não tem as válvulas pneumáticas e nem o câmbio ultra rápido (seamless) da MotoGP, que dá lugar a um convencional, com seis velocidades. O peso é de 170 kg, garantindo bom desempenho.</p>

<p><img alt="Honda RC213V-S sem a carenagem. Muitos itens são iguais ao da MotoGP de Márquez" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto58_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>As suspensões e freios também são similares aos usados na moto de Márquez. Na dianteira, garfo telescópico invertido e na traseira, suspensão monoamortecida, do tipo Pro-Link, ambos, da Öhlins. Os freios são Brembo, com dois discos na dianteira e um na traseira. O assento é monoposto – somente para o piloto -, com altura de 830 mm e está integrado à rabeta. As demais alterações foram realizadas com o objetivo de adequar o uso do modelo às ruas, como a adoção dos pneus Bridgestone RS10, além do trabalho "invisível" da engenharia da Honda em criar um novo motor, com durabilidade, lembrando que um motor de MotoGP dura muito pouco.</p>

<p><img alt="No detalhe, a mesa da RC213V-S, onde será gravado o número da moto" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto38_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A RC213V-S sairá tricolor (vermelha, branca e azul, as cores da HRC) e também com a carenagem sem pintura, em carbono. Haverá ainda um kit esportivo – que não será comercializado em todos os países, como nos Estados Unidos, com 21 itens,  incluindo um outro módulo de controle da injeção, que aproxima o modelo ainda mais da versão das pistas, permitindo alterações na geometria da moto, potencializando o seu uso em circuitos fechados e competições. Com ele o peso cai para 158 kg (12 kg mais leve) e o desempenho do modelo atinge 215 cv a 13 000 rpm, com torque de 12,1 kgf.m a 10 500 rpm.</p>

<p><img alt="Marc Márquez, Shuhei Nakamoto e Dani Pedrosa, na apresentação da moto" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto105_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A produção será praticamente artesanal e realizada apenas na unidade Honda em Kumamoto, no Japão. O volume de fabricação será de uma unidade diária. O início de vendas está previsto para outubro deste ano, com comercialização direcionada apenas para o mercado Europeu, Estados Unidos, Japão e Austrália, mas a Honda também analisará propostas de interessados de outros países (algum brasileiro interessado?).</p>

<p>No período entre 13 de julho e 30 de setembro, os interessados poderão manifestar interesse em adquirir o modelo, que no primeiro momento será uma edição especial limitada, com previsão de encerramento da produção no final de 2016, totalizando cerca de 500 unidades e que terá na mesa do guidão, o número da unidade. Marc Márquez já declarou que quer a unidade número 93 (seu numeral no Mundial de Motovelocidade). Para isso, basta acessar www.rc213v-s.com e preencher um formulário de interesse. O preço de tanta exclusividade obviamente seria alto, para poucos. Nos Estados Unidos, cada unidade custará US$184 000, o equivalente a cerca de R$ 576 500 (dólar cotado a R$ 3,1332 no dia 11 de junho). Na Espanha, o preço da RC213V-S com o kit sport custa cerca de 12 mil euros a mais que o preço da versão padrão, cotada por 191 000 euros.</p>

<p><img alt="Será que a Honda RC213V-S será a redenção da marca no Mundial de Superbike?" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto67_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Um ponto interessante sobre este lançamento é que a Honda poderá utilizar a RC213V-S no Mundial de Superbike, substituindo a atual CBR 1000RR, que está tecnicamente um passo atrás das rivais Kawasaki ZX-10R e Ducati 1199 Panigale R, e conquistou apenas um terceiro lugar nesta temporada, até a sétima rodada. Talvez este seja o real motivo da criação desta motocicleta, pois o desempenho não é o maior, e o preço é apenas para milionários. Lembrando que o regulamento do campeonato exige que no mínimo 125 motocicletas sejam produzidas por ano, para o modelo poder competir. Vamos aguardar os próximos capítulos!</p>

<p>Confira abaixo alguns vídeos oficiais da Honda, sobre o novo modelo.</p>

<p><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/F-o4EBZFH0Q" width="620"></iframe><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/2kEDanXqM1s" width="620"></iframe><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/vYtInAVVakI" width="620"></iframe><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="349" src="https://www.youtube.com/embed/zPSKkSUNcAk" width="620"></iframe></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários