Card image
Notícias
Produção de motos supera 100 mil unidades em janeiro

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/02/2020
  • Atualizado: 14/02/2020 às 8:47
  • Por: Willian Teixeira

A indústria nacional de motos continua aquecida. Após encerrar 2019 com o melhor desempenho desde 2015, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus produziram 100.292 unidades em janeiro, de acordo com dados apresentados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

O volume produzido no primeiro mês de 2020 representa um avanço de 19,5% em relação a igual período de 2019, que teve 83.920 unidades produzidas, e de 45,2% sobre as 69.062 fabricadas em dezembro de 2019.

Fábrica da Harley-Davidson em Manaus (Divulgação)

Veja também:
Emplacamentos de motos tem leve alta em janeiro
Yamaha XMAX surpreende na pilotagem
Harley-Davidson registra crescimento no Brasil

Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, esse resultado reforça a previsão da entidade de um crescimento de 6,1% para este ano. De acordo com as projeções, serão produzidas 1.175.000 motocicletas em 2020. “A procura por alternativas que garantam a maior eficiência na mobilidade urbana tem impulsionado o setor, já que muitas pessoas estão trocando o seu veículo pela motocicleta para se deslocar com maior flexibilidade nas médias e grandes cidades”, afirma o executivo.

Vendas de scooters em alta

As vendas no atacado em janeiro, que correspondem ao repasse das fábricas para as concessionárias, totalizaram 90.874 motocicletas, alta de 11,3% em relação ao mesmo mês de 2019 (81.681 unidades) e de 26,8% sobre dezembro de 2019 (71.672 unidades).

Produção de motos em alta. Scooters registram crescimento em vendas
Vendas de scooters estão em alta e marcas apostam em novidades para o segmento, como o XMAX, da Yamaha (Renato Duraes)

A categoria que registrou maior crescimento em vendas foi a Scooter, com o repasse de 7.792 unidades às concessionárias em janeiro, uma alta de 80,4% em relação às 4.319 unidades repassadas no mesmo mês de 2019 e de 1,08% com relação a dezembro de 2019 (7.709 unidades). Fermanian lembra que a categoria segue em expansão contínua nos últimos meses. “Esses modelos se tornaram uma opção para quem compra a primeira motocicleta e também para aquelas pessoas que desejam uma alternativa mais rápida, eficiente e econômica de locomoção”, avalia o presidente da Abraciclo.

Conheça os sete scooters mais vendidos em janeiro, segundo a Fenabrave:

  • Vendas de motos em janeiro, scooters mais vendidas
  • Vendas de motos em janeiro, scooters mais vendidas
  • Vendas de motos em janeiro, scooters mais vendidas
  • Ranking das motos mais vendidas: Yamaha NMax
  • Honda, Elite 125, Yamaha, Neo 125 UBS, Neo, Honda Elite, Yamaha Neo, scooter, moto, PCX 150, PCX, motociclismo, mobilidade, Motociclismo Online, Revista Motociclismo, scooter de entrada, motociclista iniciante, teste, primeiras impressões, Suzuki, Haojue, Lead 110, Lindy 125, Burgman 125
  • Vendas de motos em janeiro, scooters mais vendidas

Em janeiro de 2020 a categoria Off-Road alcançou o volume de 977 motocicletas vendidas no atacado, significando um crescimento 18,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado (827 unidades) e recuo de 17,2% frente a dezembro de 2019 (1.180 unidades). A categoria mais comercializada segue sendo a Street, com 52,9% de participação. Em janeiro, foram comercializadas 48.071 unidades, representando um aumento de 8,9% ante as 44.146 unidades registradas no mesmo mês de 2019, e alta de 43,9% na comparação com dezembro de 2019 (33.406 unidades).

Somente as exportações de motos andam em baixa. Em janeiro, foram exportadas 1.701 unidades, volume 62,8% inferior ante as 4.570 unidades registradas no mesmo mês do ano passado. Na comparação com dezembro de 2019 (3.054 unidades), a queda foi de 44,3%. De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, o principal destino foi a Argentina, com 1.890 unidades, o que correspondeu a 62,7% participação em relação ao total exportado pelo setor. Na sequência aparecem Estados Unidos (575 unidades e 19,1%) e México (192 unidades e 6,4%).

Projeções da Abraciclo indicam que as exportações devem continuar em queda este ano. A entidade estima que 28.000 motocicletas devem ser enviadas ao exterior, um volume 27,5% maior em relação às mais de 28 mil motos exportadas em 2019. Isso ocorre por conta das dificuldades enfrentadas pela Argentina, que tradicionalmente é o principal destino das motocicletas fabricadas em Manaus.