Card image
Notícias
Primeiras impressões da BMW G 310 R

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 11/08/2017
  • Por: Carlos Bazela
(foto: Bruno Guerreiro)

Finalmente, a tão esperada BMW G 310 R foi lançada no mercado brasileiro e chega nas concessionárias da marca a partir deste sábado, 12 de agosto, e nós aqui da Motociclismo tivemos nosso primeiro contato com ela no Brasil na pista do Haras Tuiuti, no interior de São Paulo (SP). Rodamos cerca de duas horas com a moto na pista, incluindo também manobras em baixa velocidade em circuito de cones, montado pela equipe do BMW Rider Experience, que realiza cursos de pilotagem on e off-road no local.

Primeiro de tudo, vale comentar que apesar de todas as críticas nas redes sociais sobre a parceria com a TVS, a nova moto é uma autêntica BMW. Tem ótimo acabamento, design atual e na pilotagem, superou nossas expectativas. O painel, todo digital, é rico em informações e de fácil visualização. A operação é feita por apenas um botão e, entre as informações está  uma lâmpada que indica quando a moto chegou ao limite de rotação do motor (10.500 rpm), quando acende para alertar o motociclista do erro, um recurso preventivo. No entanto, não se pode confundir o recurso com a shift light, que indica quando trocar de marcha.

(foto: Bruno Guerreiro)

A posição de pilotagem é bem confortável, com pedaleiras e guidão posicionados de forma que funciona bem para diferentes estaturas. O assento em peça única garante conforto para rodar bastante sem cansar. Pela concepção do motor, a G 310 R é bem estreita e andando rápido, a sensação é de estarmos em uma moto de potência maior.

A suspensão dianteira é invertida e trabalhou muito bem nas mudanças de direção no circuito e absorveu bem as pequenas irregularidades em alguns pontos dele. A traseira monoamortecida estava com a pré-carga na posição mais macia nas primeiras voltas, o que gerava pequena instabilidade em curvas mais rápidas. Realizamos um ajuste colocando na posição intermediária (5 de 10 posições de pré-carga) e a moto ficou muito melhor, percorrendo com estabilidade diferentes tipos de curva, permitindo andar mais rápido – lembrando que estávamos em circuito fechado.

Motor eficiente

(foto: Bruno Guerreiro)

O propulsor é monocilíndrico de 313 cm³, arrefecido a líquido, mas com a construção invertida do convencional. Vamos explicar mais tecnicamente como ele funciona nas páginas da Motociclismo, mas o que você precisa saber agora é: o motor é eficiente, responde bem ao comando, tem som bonito, principalmente em alta rpm e vibra pouco para um motor de um cilindro. A marca declara 34 cv de potência máxima e no máximo que pudemos acelerar no circuito do Haras Tuiuti, ela não deixou a desejar. O que ficou foi a vontade de levá-la para a estrada e ver do que ela é capaz, algo que faremos em breve. O câmbio de 6 marchas tem engate preciso e suave.

O sistema de freios com ABS de série, aliado aos bons pneus  — com perfil esportivo, que ajuda na fácil mudança de direção e curvas —, garante frenagens fortes e estáveis. O conjunto é da Brybe, uma ‘segunda linha’ da Brembo — sistema que também equipa a KTM Duke 390.

Em resumo, ela cumpre o que a propaganda diz. O primeiro lote de 100 motos foi vendido basicamente para quem já é cliente da BMW, com as motos maiores, seja para ser sua segunda moto, para o dia a dia ou como primeira moto para a parceira. O preço sugerido, R$ 21.900, está alinhado com o das principais concorrentes – como a Yamaha MT-03 (R$ 21.190), Kawasaki Z 300 (R$ 20.890) e KTM Duke 390 (R$ 21.990) – e podemos dizer que ela superou nossas expectativas. A moto estará disponível nas concessionárias a partir de amanhã em branco, azul e preto.

Condições especiais de venda

(foto: Bruno Guerreiro)

A pequena naked da marca bávara chega às concessionárias com condições especiais de financiamento, como parcelas mensais de apenas R$ 499, taxa de juros de 2,08%, saldo em 36 meses e entrada de R$ 7.150 com parcela final de 30%. Ou dividido em 24 meses com parcela final de 40%. Ambos os planos têm garantia de recompra pela BMW.

“Estamos empolgados com a chegada da nova G 310 R às ruas brasileiras. Mais do que marcar o início de uma nova história da BMW Motorrad no Brasil, o modelo reflete o espírito da marca em inovar e quebrar paradigma”, afirma Federico Alvarez, diretor da BMW Motorrad Brasil. “Tecnologia, design, performance e ABS de série, além de manutenções programadas com maior tempo de revisão foram pensados no cliente do Brasil”, finaliza o executivo.

Por: Marcelo Barros – Editor de Testes da Motociclismo

Conteúdo Recomendado

Comentários