Card image
Notícias
Poupando na oficina

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 21/02/2011
  • Por: admin

Chegou a hora! Voc&ecirc; comprou seu sonhado carro 0km, e aquela m&aacute;quina dos seus sonhos, que parecia inquebr&aacute;vel, come&ccedil;a a apresentar alguns problemas. Um pneu careca aqui, uma alinhamento e balanceamento ali, somados a uma embreagem desgastada e pronto: um preju&iacute;zo n&atilde;o esperado. Enquanto isso, quem escolheu uma moto para ser o seu ve&iacute;culo de uso di&aacute;rio, pode estar rindo &agrave; toa.<br />&nbsp;Al&eacute;m de promover economia de combust&iacute;vel e permitir que voc&ecirc; percorra o tr&acirc;nsito com agilidade, ganhando horas de seu dia, as motos possuem uma manuten&ccedil;&atilde;o muito mais simples e barata.<br /><br />Para se ter uma vis&atilde;o mais n&iacute;tida da economia que pode ser feita com os cuidados mec&acirc;nicos da motocicleta, comparamos os valores de manuten&ccedil;&atilde;o dos modelos mais vendidos do Brasil de carro e moto (pe&ccedil;as originais). Assim, esta disputa entre duas e quatro rodas ficou entre a best-seller Honda CG 125 Fan, que at&eacute; setembro de 2010 vendeu 284 219 unidades, e o tradicional Gol G4. O famoso hatch brasileiro vendeu em todo o seu mix, englobando as outras vers&otilde;es do Gol, 208 421 unidades (a Volkswagen n&atilde;o divulga n&uacute;meros exatos da porcentagem correspondente ao G4, mas diz que &eacute; o mais vendido), no mesmo per&iacute;odo. A diferen&ccedil;a de pre&ccedil;os entre as <br />pe&ccedil;as de cada ve&iacute;culo &eacute; gritante, sem contar com a m&atilde;o de obra, sempre mais cara nos carros. &ldquo;Escolhi a moto para uso di&aacute;rio, no lugar do carro, por causa da manuten&ccedil;&atilde;o mais barata. Al&eacute;m disso, ganho muito tempo e economizo em combust&iacute;vel&rdquo;, explicou o t&eacute;cnico automotivo, Marcelo de Barros. Propriet&aacute;rio de duas CG, uma 125 e outra 150, Barros nem pensa em deixar de usar as motos, pois a economia &eacute; grande. &ldquo;&Agrave;s vezes, um sensor que quebra em um carro pode custar mais que muitas pe&ccedil;as em uma motocicleta&rdquo;, acrescentou o t&eacute;cnico. Em cota&ccedil;&otilde;es feitas por nossa equipe em concession&aacute;rias Honda e Volkswagen, escolhidas aleatoriamente, constatamos a grande economia que &eacute; gerada pela manuten&ccedil;&atilde;o da motocicleta.<br /><br />&nbsp;Por exemplo, uma cesta de pe&ccedil;as utilizada na manuten&ccedil;&atilde;o preventiva dos ve&iacute;culos mostra um valor quatro vezes maior nos itens do carro. Isso, na verdade, sem contabilizar a m&atilde;o de obra, que possui valor mais alto nos autom&oacute;veis. Em m&eacute;dia, o pre&ccedil;o da hora de servi&ccedil;o nas motos gira em torno de R$ 55, enquanto por um autom&oacute;vel pode ser cobrado R$ 135 a hora. &ldquo;As motos apresentam maior simplicidade de resolu&ccedil;&atilde;o de um problema. O acesso para certas partes de um autom&oacute;vel &eacute; muito mais complicado, enquanto na moto est&aacute; tudo mais ao alcance para se trabalhar. Quando existe um problema, o tempo de oficina &eacute; muito mais curto&rdquo;, afirmou F&aacute;bio de Souza, l&iacute;der de oficina da Honda Moto Remaza.<br />Ao analisar outros itens espec&iacute;ficos, como a troca de uma embreagem, por exemplo, a discrep&acirc;ncia fica ainda mais evidente. Se tiver de trocar a embreagem do Gol, pode ter de desembolsar um total de <br />R$ 805,66, somando as pe&ccedil;as mais a m&atilde;o de obra. J&aacute; o propriet&aacute;rio de uma CG Fan gasta, em m&eacute;dia,<br />R$ 204,45, ou seja, quase quatro vezes mais barato. Al&eacute;m disso, outro fator que pesa, comparando a manuten&ccedil;&atilde;o de ambos, &eacute; o fato de que muitos motociclistas podem fazer o servi&ccedil;o em sua motocicleta. Praticamente, qualquer pessoa est&aacute; habilitada e tem os equipamentos necess&aacute;rios para fazer alguns reparos em uma motocicleta, o que faz economizar na m&atilde;o de obra. No caso de um autom&oacute;vel, fica imposs&iacute;vel voc&ecirc; fazer a troca de &oacute;leo em sua casa, enquanto na moto tudo &eacute; muito simples. <br /><br />Para exemplificar a economia obtida com a moto, ao alcan&ccedil;ar 40 000 km, o usu&aacute;rio de motocicleta ter&aacute; trocado o &oacute;leo de sua m&aacute;quina oito vezes, a cada 5 000 km, e gasto R$ 120. Enquanto o dono de um autom&oacute;vel ter&aacute; gasto <br />R$ 912 em quatro trocas de &oacute;leo, uma a cada 10 000 km percorridos. Com certeza, andando de motocicleta seu bolso ir&aacute; te agradecer!

Conteúdo Recomendado

Comentários