Card image
Notícias
Pandemia eleva intenção de compra de motos no Brasil

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 17/05/2021
  • Atualizado: 18/05/2021 às 7:05
  • Por: Willian Teixeira

A pandemia da Covid-19 e o distanciamento social estão mudando o comportamento das pessoas nas grandes cidades, e as motos podem ser parte fundamental nessa transição. Um estudo realizado pelo Mercado Livre indica que há um aumento de 35% na intenção de compra de motocicletas em comparação ao período pré-pandemia.

Segundo o departamento de Veículos, Imóveis e Serviços do Mercado Livre, a busca por transportes individuais apresentou crescimento por conta das mudanças de comportamento causadas pela pandemia, onde as pessoas pretendem evitar as aglomerações no transporte público, além do boom dos serviços de delivery no período.

Na pandemia, mais pessoas pensam em comprar motos
Mais pessoas pensam em comprar motos para fugir do transporte público (Gabriel Jabur/ Agência Brasília)

Veja também:
Produção de motos volta a superar 120 mil unidades

Inspeção gratuita: manutenção preventiva é sinônimo de segurança!
MOTOCICLISMO e Bike Consulting apresentam a Usada da Vez

“Sabemos que esse é um momento de transformação na sociedade e no setor automotivo. Cada vez mais as pessoas buscam diferentes formas de mobilidade, e é nosso papel apontar tendências de mercado e viabilizar negócios. Essa pesquisa mostra a importância do carro para o brasileiro e aponta para o aumento do consumo de motocicletas, refletindo a busca por segurança e por um transporte individual”, explica Luis Paulo dos Santos, diretor de Marketplace de Veículos, Imóveis e Serviços do Mercado Livre.

Na pandemia, mais pessoas pensam em comprar motos
Delivery está entre os motivos que colaboram para a alta na procura por motos, segundo o Mercado Livre (Arquivo)

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Quando questionados sobre qual o meio de transporte priorizam, 69% dos entrevistados responderam carro, enquanto 19% preferem a motocicleta, 7% o transporte público e 5% a bicicleta. Perguntados sobre por que priorizam o carro para se locomover na cidade, 48% apontou a segurança como principal motivo. Além disso, 27% dos participantes afirmam que não querem usar o transporte público.

Segundo a Fenabrave, em abril foram vendidas 248.185 motocicletas usadas, o que representa um recuo de 7,5% sobre o mês de março, que fechou com 268.372 unidades negociadas. Apesar do recuo, 2021 totaliza 1.027.044 motocicletas seminovas vendidas entre janeiro e abril, uma alta de 45% sobre as 707.974 unidades comercializadas em igual período de 2020.

Honda ADV: veja tudo sobre o novo scooter aventureiro
Honda ADV é um dos destaques do mercado brasileiro em 2021 (Divulgação)

Já as motos novas tiveram uma alta no emplacamento em comparação com 2020. Apenas em abril foram registradas 94.696 motocicletas novas, o que representa um crescimento de 52% sobre março e de 235% em relação ao mesmo mês de 2020, períodos que registraram 62.286 e 28.255 unidades emplacadas, respectivamente. Veja as 20 motos mais emplacadas no mês clicando aqui.

Conteúdo Recomendado