Card image
Notícias
Lugar de mulher é atrás do tanque.. de uma Royal Enfield!

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 02/06/2021
  • Por: Ismael Baubeta

Já se foi tempo em que as mulheres se dedicavam exclusivamente ao lar e que gerou frases machistas do tipo: lugar de mulher é no tanque ou, mulher tem que fazer o circuito das águas, do tanque para a pia e vice-versa. Ainda bem!

Mais uma prova disso é ver as mulheres cada vez mais presentes em lugares que não era comum vê-las, o mundo da motocicleta era um lugar quase exclusivo dos homens até um tempo atrás, mas a história tem mudado e, ainda bem que vocês mulheres estão cada vez mais presentes no mundo da moto!

Lugar de Mulher
Geane foi uma das felizardas ganhadoras. (Foto: Rafael Sarno)

Veja também:
Royal Enfield expande rede e inaugura 12ª loja no Brasil
Hanway G30, o clone chinês da Royal Enfield Himalayan
MOTOCICLISMO lança especial Turismo Brasil 2021

A Royal Enfield realizou uma das ações de incentivo às mulheres motociclistas que merece elogio, foi o Royal Enfield Build Train Race, no qual quatro moçoilas foram selecionadas para customizar e competir de Flat Track com uma Royal Enfield Interceptor GT 650.

  • Mulheres de moto

Seleção

Na ação, que teve o processo seletivo iniciado em agosto de 2020, as mulheres foram convocadas a demonstrar através de vídeo sua trajetória no motociclismo e comprovar suas habilidades como pilotas e customizadoras.

Vencedoras

A Royal Enfiled recebeu inúmeros vídeos de candidatas às quatro vagas, e depois de analisar todos, acaba de definir as quatro mulheres que demonstraram ter mais intimidade com motocicletas e maior habilidade para customizar motos. São elas:

Edna Prado (São José dos Campos – SP), motociclista há mais de 23 anos, vai fazer a customização da moto na oficina da família com a ajuda do pai e do irmão. Já participou com moto antiga no evento On Track.

Lugar de Mulher
Edna Prado. (Foto: Guilherme Veloso)

Geane Santana (Brasília – DF), pilota motos há 8 anos e pretende tornar o Flat Track conhecido em sua região, nunca competiu no Flat Track, mas está empolgada com a categoria.

Lugar de Mulher
Geane Santana. (Foto: Rafael Sarno)

Gisele Favaro (Campinas – SP), pilota motos desde 2013 e já participou de corridas no Flat Track, no BMS corrida Maluca e no  On Track, ambas de minimotos.

Lugar de Mulher
Gisele Favaro. (Foto: Guilherme Veloso)

Bruna Wladyka (Curitiba – PR), pilota há três anos e é participante do projeto BMS Motorcycle e do movimento #elaspilotam. Começou no Flat Track em 2020 quando recebeu o convite para participar do Build Train Race nos Estados Unidos, de lá para cá só aumentou o gosto pela categoria.

Lugar de Mulher
Bruna Vladyka. (Foto: Matheus Triaquim)

Na sequência, o projeto Build Train Race vai mandar uma Royal Enfield Interceptor 650 para cada uma e as meninas terão que fazer a customização para colocá-la na pista e iniciar os treinamentos na terra e se preparar para competir na primeira prova da Liga Brasileira de Flat Track em outubro.

Sucesso para essa mulherada arretada!

Conteúdo Recomendado

Comentários