Card image
Notícias
Kawasaki lança a Ninja 650R no Brasil

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/01/2011
  • Por: admin

Depois de passar por uma profunda reformula&ccedil;&atilde;o visual &mdash; que a deixou mais atraente e incrementou seu apelo esportivo &mdash; esta Kawasaki de m&eacute;dia cilindrada prepara-se para desembarcar no Brasil. Como voc&ecirc; pode ver nas fotos, no mercado europeu ela &eacute; comercializada com o nome de ER-6f (o &quot;F&quot; vem de &quot;fairing&quot;, algo como carenagem, em ingl&ecirc;s), contudo, ela deve chegar ao nosso pa&iacute;s com a denomina&ccedil;&atilde;o utilizada nos Estados Unidos, Ninja 650R. Dona de um visual que remete aos modelos superesportivos da marca, mas sem perder nem um pouco da versatilidade de sua irm&atilde; naked, trata-se de uma moto muito interessante e que dever&aacute; estar dispon&iacute;vel nas concession&aacute;rias brasileiras da marca verde at&eacute; o final deste ano a um pre&ccedil;o que pode oscilar entre R$ 27 000 e R$ 29 000. Ainda que a Ninja 650R se apresente como uma polivalente sport-touring de m&eacute;dia cilindrada, trata-se de uma moto muito completa e incrivelmente apropriada para uma variedade enorme de situa&ccedil;&otilde;es &mdash; e que fica ainda mais interessante se avaliarmos sua rela&ccedil;&atilde;o custo/benef&iacute;cio. A base da Ninja 650R &eacute; a mesma utilizada por sua irm&atilde; ER-6n, entretanto sua carenagem integral (entre outras pequenas diferen&ccedil;as) consegue aumentar de maneira consider&aacute;vel o raio de a&ccedil;&atilde;o desta fant&aacute;stica Kawasaki. No dia a dia, ela mostrou a mesm&iacute;ssima praticidade e polival&ecirc;ncia da vers&atilde;o naked &mdash; at&eacute; porque a posi&ccedil;&atilde;o de pilotagem &eacute; id&ecirc;ntica nas duas motos &mdash;, com a diferen&ccedil;a de que, a carenagem, al&eacute;m de esconder a mec&acirc;nica da moto e contribuir para criar um impacto visual muito mais sugestivo, protege o piloto do frio e do vento na estrada e, inclusive, do calor naqueles dias mais sufocantes.<br /><br />Gra&ccedil;as ao conjunto frontal que faz clara refer&ecirc;ncia &agrave;s ZX-6/10R, ao painel 100% digital que segue o melhor estilo MotoGP e o j&aacute; conhecido escape sob o motor, o visual &eacute; realmente insinuante para uma moto com as pretens&otilde;es desta 650, ou seja, perfeitamente v&aacute;lida para ser utilizada todos os dias da semana, inclusive com garupa. A falta de concorrentes com as mesmas caracter&iacute;sticas t&eacute;cnicas &eacute; outro aspecto que deixa esta Kawa mais tentadora para n&oacute;s brasileiros. A Suzuki GSX 650F ou a XJ6 F t&ecirc;m propostas similares, mas n&atilde;o podemos esquecer que elas s&atilde;o tetracicl&iacute;ndricas, enquanto nossa protagonista &eacute; impulsionada por um motor de dois cilindros em paralelo. Isso significa que, em rela&ccedil;&atilde;o as &quot;seiscentas&quot; da Suzuki e Yamaha citadas, o piloto da 650 &quot;verde&quot; sente uma moto consideravelmente mais estreita e &aacute;gil entre as pernas. A resposta do bicil&iacute;ndrico tamb&eacute;m &eacute; mais contundente a baixas e m&eacute;dias rota&ccedil;&otilde;es, o que &eacute; favor&aacute;vel em uma infinidade de situa&ccedil;&otilde;es e que nos permite pilotar de forma mais relaxada.<br /><br />Por falar em motor, a Ninja 650R repetiu as mesmas boas impress&otilde;es que a ER-6n j&aacute; havia transmitido em testes anteriores, mostrando um desempenho excelente para uma moto de 650 cm&sup3; e 68 cv (na embreagem, aferidos em dinam&ocirc;metro). Al&eacute;m do propulsor estar fixado ao chassi por coxins, o guid&atilde;o e as pedaleiras (todas) tamb&eacute;m possuem borrachas para &quot;filtrar&quot; as vibra&ccedil;&otilde;es… solu&ccedil;&atilde;o que funciona muit&iacute;ssimo bem! O irrepreens&iacute;vel funcionamento do c&acirc;mbio j&aacute; &eacute; uma constante nos produtos Kawasaki e,desta vez, n&atilde;o foi diferente. Os engates s&atilde;o sempre precisos, e o tato do pedal e da embreagem s&atilde;o adequados. As rela&ccedil;&otilde;es das 6 marchas s&atilde;o as mesmas da ER-6 &quot;made in Brazil&quot;. <br /><br />Pilotar a Ninja 650R &eacute; tarefa das mais agrad&aacute;veis porque, mesmo com um comportamento sempre muito previs&iacute;vel &mdash; e que a torna uma &oacute;tima op&ccedil;&atilde;o para motociclistas iniciantes &mdash; em nenhum momento ela mostra-se insossa ou isola o piloto daquilo que passa sob as rodas, muito pelo contr&aacute;rio. Mesmo que trabalhe em dupla com uma cicl&iacute;stica bastante convencional (mas muito eficiente), o bicil&iacute;ndrico garante ao modelo um car&aacute;ter que nitidamente privilegia a esportividade e, no fim das contas, o conjunto resulta em uma moto insinuante e divertida, como toda Kawasaki. <br />&Eacute; &oacute;bvio que n&atilde;o podemos comparar esta Ninja ao radicalismo de uma ZX-6, mas basta rodar poucos quil&ocirc;metros para termos plena consci&ecirc;ncia de que as doses de adrenalina ao comando desta 650 podem ser elevadas a qualquer momento com um simples movimento do punho direito. <br /><br />O comportamento din&acirc;mico desta Kawa tamb&eacute;m n&atilde;o deixa a desejar. A pilotagem &eacute; muito natural e segura em qualquer condi&ccedil;&atilde;o, contudo &eacute; pela agilidade em trechos mais travados que esta 650 indiscutivelmente se destaca.<br />As pernas encaixam bem no tanque, e o guid&atilde;o alto e com largura ideal facilita nossas a&ccedil;&otilde;es. A &oacute;tima ergonomia &eacute;, sem d&uacute;vida, uma das grandes respons&aacute;veis pelas respostas incrivelmente r&aacute;pidas da moto. Em trechos mais r&aacute;pidos, a<br />nova calibragem das suspens&otilde;es (mais resistente ao afundamento) contribui para que os pneus &quot;pisem&quot; com firmeza e consigam excelente ader&ecirc;ncia no contorno das curvas. Quando trafegamos por asfalto irregular, a suspens&atilde;o traseira<br />mostrou-se um pouco seca, mas a efici&ecirc;ncia do conjunto em asfalto liso acaba compensando. A pot&ecirc;ncia do sistema<br />de freios &eacute; mais que suficiente para a exig&ecirc;ncia da moto, o tato &eacute; adequado e o ABS, cada vez mais indispens&aacute;vel<br />(opcional, que dever&aacute; ser oferecido tamb&eacute;m nos modelos comercializados por aqui), proporciona uma dose extra de<br />seguran&ccedil;a e confian&ccedil;a na pilotagem.<br /><br />A Ninja 650 est&aacute; vestida com uma carenagem integral que a deixa ainda mais vers&aacute;til do que a vers&atilde;o naked. Al&eacute;m da atualiza&ccedil;&atilde;o no visual, no ano passado, esta Kawasaki passou por algumas reformula&ccedil;&otilde;es mec&acirc;nicas, especialmente na inje&ccedil;&atilde;o eletr&ocirc;nica, catalisador e sistema de refrigera&ccedil;&atilde;o do bicil&iacute;ndrico em linha, e &eacute; justamente essa vers&atilde;o que desembarcar&aacute; no Brasil. O chassi tubular do tipo diamante &eacute; bastante compacto e permite alcan&ccedil;ar um conjunto total bem estreito. A fixa&ccedil;&atilde;o do motor com coxins colabora para obter um baix&iacute;ssimo n&iacute;vel de vibra&ccedil;&otilde;es. A calibragem das suspens&otilde;es, bem firme, prioriza o comportamento esportivo. O design das rodas de liga e dos discos de freio segue o estilo das demais Ninjas.O painel de instrumentos da 650 &eacute; diferente em rela&ccedil;&atilde;o a ER-6n. A quantidade de informa&ccedil;&otilde;es &eacute; a mesma, mas o veloc&iacute;metro passa a ser digital e barra do conta-giros tem outro formato. A parte traseira &eacute; exatamente a mesma da naked, inclusive a lanterna de LED.<br /><br />FICHA T&Eacute;CNICA (DADOS FORNECIDOS PELA FABRICANTE)<br />Motor: bicil&iacute;ndrico em linha, 4T, DOHC,<br />8 v&aacute;lvulas, arrefecido a l&iacute;quido, inje&ccedil;&atilde;o<br />eletr&ocirc;nica (dutos de 36 mm), embreagem<br />multidisco em &oacute;leo, 6 marchas, transmiss&atilde;o<br />secund&aacute;ria por corrente.<br />Cilindrada 649 cm3<br />Di&acirc;metro/curso 81 x 66 mm<br />Compress&atilde;o 11,3:1<br />Pot&ecirc;ncia 72 cv a 8 500 rpm<br />Torque 6,7 kgfm a 7 000 rpm<br />Chassi Tipo diamond de a&ccedil;o<br />Balan&ccedil;a Duplo bra&ccedil;o de a&ccedil;o<br />C&aacute;ster/ Trail 25&ordm; / 106 mm<br />Suspens&atilde;o diant. Telesc&oacute;pica conven.<br />Barras 41 mm<br />Curso 120 mm<br />Regulagem N&atilde;o possui<br />Suspens&atilde;o tras. Monoamortecedor lateral<br />Curso 125 mm<br />Regulagem Pr&eacute;-carga da mola<br />Freio diant. 2 discos de 300 mm<br />Pin&ccedil;a 2 pist&otilde;es, ABS<br />Freio tras. Disco de 220 mm<br />Pin&ccedil;a 1 pist&atilde;o, ABS<br />Pneu diant. 120/70-17&quot;/ 3,5&quot;<br />Pneu tras. 160/60-17&quot;/ 4,5&quot;<br />Peso cheio 204 kg (208 kg, ABS)

Conteúdo Recomendado

Comentários