Card image
Notícias
Editorial 178: Além de falar, é preciso saber ouvir. Ou a culpa é só nossa?

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 03/10/2012
  • Por: admin

&Eacute; importante lembrar da nossa responsabilidade no tr&acirc;nsito. Mas quando vamos discutir vias mais seguras para os motociclistas?<br style="font-weight: bold;" /><br />Entre os dias 18 e 25 de setembro, diversas entidades realizaram campanhas com o objetivo de conscientizar os cidad&atilde;os sobre a necessidade de respeitar as regras de tr&acirc;nsito. Foi a t&atilde;o discutida &quot;Semana Nacional do Tr&acirc;nsito&quot;. &Oacute;timo, legal, important&iacute;ssimo lembrar motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres sobre sua responsabilidade. Pena que, mais uma vez, n&atilde;o vimos nem uma linha ou uma palavra sequer sobre algum plano para eliminar das vias estruturas que podem agravar severamente as consequ&ecirc;ncias de um acidente envolvendo motocicletas. Na Europa, j&aacute; existe uma jurisprud&ecirc;ncia que responsabiliza a administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica ou as concession&aacute;rias quando, por exemplo, um guard-rail agrava as les&otilde;es de um motociclista que se acidentou. E aqui? Apesar de haver cada vez mais motocicletas nas ruas, as obras vi&aacute;rias continuam sendo pensadas exclusivamente para autom&oacute;veis e seus derivados. S&atilde;o viadutos com muros de conten&ccedil;&atilde;o baixos, faixas exclusivas delimitadas por tach&otilde;es enormes, e assim vai. H&aacute; algum projeto de lei abordando o assunto? Algu&eacute;m discutindo isso na televis&atilde;o quando falam do n&uacute;mero de acidentes envolvendo motociclistas e das sequelas desses acidentes? N&atilde;o, mas j&aacute; est&aacute; na hora de come&ccedil;ar. Bom, agora vamos falar um pouco de coisas boas.<br /><br />Nesta edi&ccedil;&atilde;o voc&ecirc; encontra uma reportagem especial sobre a Triumph, que, como voc&ecirc; j&aacute; sabe, volta ao Brasil e quer fazer isso com o p&eacute; direito. Fui um dos integrantes do selet&iacute;ssimo grupo de jornalistas que, a convite da marca, foram at&eacute; a Inglaterra conhecer a fundo a cultura, a situa&ccedil;&atilde;o mercadol&oacute;gica e a estrutura da Triumph, a marca que mais cresce no segmento de m&eacute;dia-alta cilindrada no mundo. Ela retorna ao Brasil com planos audaciosos, mas sem megalomania. A filial brasileira est&aacute; ciente de que tem em m&atilde;os um produto espetacular e que o momento das motos dessa categoria &eacute; bom, mas que ter&aacute; que reconquistar os brasileiros depois de uma hist&oacute;ria recente, no m&iacute;nimo, atrapalhada enquanto a marca esteve representada pelo Grupo Izzo. Confira tudo no especial da p&aacute;gina 48. Trazemos tamb&eacute;m, com exclusividade e pelo 4&ordm; ano consecutivo, um ranking com as melhores concession&aacute;rias do Brasil.<br /><br />Durante nossa pesquisa pudemos notar que ainda h&aacute; muito a melhorar, mas, finalmente, parece que aos poucos as marcas v&atilde;o entendendo que o p&oacute;s-venda &eacute; t&atilde;o importante quanto vender motocicletas. Bom para n&oacute;s, consumidores. No mesmo dia em que esta revista chega &agrave;s bancas, a equipe de MOTOCICLISMO embarca para a Alemanha. Vem a&iacute; a Intermot, o Sal&atilde;o de Col&ocirc;nia! Fique ligado, porque al&eacute;m de uma reportagem especial na pr&oacute;xima edi&ccedil;&atilde;o, faremos uma cobertura on-line no nosso site a partir do dia 2 de outubro! A promessa &eacute; de uma enxurrada de novidades, sendo que muitas delas devem chegar por aqui j&aacute; no ano que vem. <br /><br />Para finalizar, tamb&eacute;m queria aproveitar este editorial para dar as boas-vindas ao Lucas Paschoalin que, depois de um per&iacute;odo dedicando-se a projetos pessoais, volta a fazer parte da equipe de MOTOCICLISMO, o que muito nos orgulha. Piloto e instrutor de pilotagem, Lucas ser&aacute; o respons&aacute;vel pelos testes aqui na revista. Boa leitura e at&eacute; o m&ecirc;s que vem! Abra&ccedil;o.

Conteúdo Recomendado

Comentários