Card image
Notícias
Conheça a Ducati 1198 S com controle de tração

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 20/02/2009
  • Por: admin

<p>Se a 1098 R criou as bases para uma nova era das hi&shy;&shy;&shy;peresportivas, sendo a primeira a introduzir o controle de tra&ccedil;&atilde;o em uma moto de venda ao p&uacute;blico, mas feita para as pistas, a 1198 S &eacute; a primeira a ser homologada para as ruas. Para este teste, tivemos a oportunidade de rodar ao lado de Troy Bayliss e ainda ser assessorado pelo mesmo nos boxes. O local n&atilde;o poderia ser melhor, pois andamos no circuito de Portim&atilde;o, em Portugal. </p>
<p>&Eacute; uma verdadeira montanha-russa! O aut&oacute;dromo tem desn&iacute;veis de at&eacute; 12%, com diversas curvas cegas. Em um circuito t&atilde;o exigente, a 1198 S demonstrou porque tem os genes da moto Campe&atilde; do Mundo de SBK. Re&uacute;ne como poucas: uma ergonomia esportiva, uma eficaz parte cicl&iacute;stica, um alto rendimento, mas tudo isso assessorado por um fant&aacute;stico controle de tra&ccedil;&atilde;o. Isso a converte em uma moto realmente f&aacute;cil de pilotar, al&eacute;m de torn&aacute;-la ainda mais segura e tranq&uuml;ila de explorar os limites. </p>
<p>No comando, &eacute; como se estiv&eacute;ssemos na 1098 S, porque s&oacute; disting&uuml;imos a diferen&ccedil;a quando olhamos para as inscri&ccedil;&otilde;es na carenagem. E, como naquela vers&atilde;o, nos encaixamos perfeitamente ao conjunto, abra&ccedil;ando um tanque longo e estreito, apoiando o peso justamente sobre os semiguid&otilde;es e o traseiro sobre&nbsp; um assento que permite uma excelente liberdade de movimentos. As pernas envolvem o chassi tubular, realmente estreito, que nos ajuda a mudar de posi&ccedil;&atilde;o perfeitamente durante a pilotagem. </p>
<p>Sua elevada rigidez proporciona uma excelente estabilidade nos trechos mais r&aacute;pidos e o bom trabalho das mesas e bengalas nos permite explorar os limites nas curvas. Podemos tamb&eacute;m&nbsp; nos apoiar com muita confian&ccedil;a nos poderosos freios Brembo e nos pegajosos pneus Pirelli Supercorsa SC2. As suspens&otilde;es dianteiras estavam muito moles, pois afundavam muito forte quando acion&aacute;vamos bruscamente o freio dianteiro. </p>
<p>Por&eacute;m, apenas uns cliques na compress&atilde;o e algumas voltas na regulagem da pr&eacute;-carga foram suficientes para resolver o problema sem que isso prejudicasse a precis&atilde;o e a agilidade da moto ao &quot;enfi&aacute;-la&quot; nas curvas. Uma agilidade que, por sinal,&nbsp; melhorou muito em rela&ccedil;&atilde;o a sua antecessora, gra&ccedil;as &agrave; redu&ccedil;&atilde;o de peso. Isso tamb&eacute;m pode ser notado em marcha, porque, apesar de todo seu potencial e do tra&ccedil;ado extremamente t&eacute;cnico, ela n&atilde;o cansa como poder&iacute;amos supor. </p>
<p>Atr&aacute;s, o amortecedor &Ouml;hlins (n&atilde;o &eacute; o TTX de dupla c&acirc;mara da 1098R, mas um outro mais convencional) trabalha a pleno vapor e, com seus m&uacute;ltiplos ajustes, pode-se deix&aacute;-lo com a regulagem mais adequada ao seu estilo de condu&ccedil;&atilde;o. Trabalhando nele, podemos manter a roda dianteira mais colada no asfalto e somente s&atilde;o produzidos leves &quot;cabeceios&quot; excitantes, control&aacute;veis e muito divertidos, especialmente quando aceleramos forte nas m&uacute;ltiplas subidas ou mudan&ccedil;as de dire&ccedil;&atilde;o desta pista. </p>
<p>Sem d&uacute;vida, a alta qualidade do amortecedor &eacute; fundamental na hora de transmitir toda a pot&ecirc;ncia do poderoso bicil&iacute;ndrico ao solo, e uma pot&ecirc;ncia que pode ser controlada eletronicamente. Os 170 cv declarados da 1198 S s&atilde;o entregues com muita suavidade, sendo especialmente destac&aacute;veis as boas sensa&ccedil;&otilde;es transmitidas no momento de acelerar. As &quot;mil&quot; s&atilde;o um tanto bruscas, umas mais, outras menos, mas a Ducati realmente conseguiu um grande compromisso sem atrasar a rapidez nas respostas. </p>
<p>Al&eacute;m disso, podemos utilizar bem o c&acirc;mbio, pois este reponde com rapidez e precis&atilde;o. A embreagem antibloqueio tamb&eacute;m ajuda muito, porque dosa perfeitamente a reten&ccedil;&atilde;o do motor para evitar que a roda traseira trave. O painel de instrumentos tem quatro leds, que indicam quando o motor Testastretta Evoluzione est&aacute; chegando ao m&aacute;ximo das rota&ccedil;&otilde;es. &Eacute; &uacute;til como em todas as motos, ainda que pelo car&aacute;ter deste motor ,normalmente, passamos uma marcha antes de percebermos que o mesmo deixa de empurrar. </p>
<p>Esses leds tamb&eacute;m indicam quando entra em funcionamento o DTC (Ducati Traction Control). O DTC tem oito n&iacute;veis de regulagem, assim atende bem a qualquer n&iacute;vel de pilotagem em qualquer situa&ccedil;&atilde;o, porque n&atilde;o &eacute; a mesma coisa rodar na pista ou pelas estradas. Dependendo do n&iacute;vel escolhido, este sistema permite um elevado deslizamento da roda traseira sem chegar a ser perigoso, como foi o caso em que elegemos o n&iacute;vel 2. O &uacute;nico problema do DTC, al&eacute;m de requerer um pouco de pr&aacute;tica na hora de manuse&aacute;-lo, &eacute; que n&atilde;o se pode mudar o n&iacute;vel enquanto estamos rodando. <br /></p>
<p>Diante de suas rivais, segue sendo uma moto para poucos. Entretanto, est&aacute; muito mais pr&oacute;xima das motos japonesas. Sobretudo, tendo em conta o que ela oferece. Na Espanha, ela custa 22 mil euros, apenas quatro mil euros a mais que a vers&atilde;o b&aacute;sica da 1198, que n&atilde;o possui o DTC , as suspens&otilde;es &Ouml;hlins, nem as rodas forjadas, que s&atilde;o 2 kg mais leves.&nbsp; Com certeza, ser&aacute; muito interessante esta batalha para sabermos qual &eacute; melhor esportiva de 2009. Mas devemos relembrar que a 1198 S &eacute; a moto de rua que mais se aproxima tecnologicamente das m&aacute;quinas do Mundial de SBK!</p>