Card image
Notícias
Carta do Editor: Mercado de motos – o 1º mundo não é aqui?

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 02/02/2009
  • Por: admin

<p>Em números absolutos, já estamos en­­­­tre os cinco maiores países do mun­­­do em produção e vendas de motos, ao lado de China, Índia, Ja­­pão e Indonésia. Em 2008, foram qua­­se 2 milhões de motos licenciadas e 2 140 907 de unidades produzidas. Ao finalizarmos o Balanço de 2008, segundo os dados da Fenabrave, constatamos que em cilindradas mais al­­­­tas, nós também figuramos entre os maiores do planeta.</p>

<p>Acima de 200 cm3, os nossos números são bem expressivos, 235 110 motos licenciadas, e já vendemos mais motos que 4 países líderes da Europa (França, Espanha, Alemanha e Reino Unido, nesta ordem) perdendo ape­nas para a primeira colocada daquele continente, a Itália, com 262 460 unidades. Para se ter uma ideia, a França vendeu 119 851 motos acima de 125; a Espanha (até novembro) licenciou 198 174 motocicletas em todas as cilindradas; o Reino Unido fechou com 139 715 modelos, entre motos e ciclomotores.</p>

<p>Já a Alemanha, até setembro, tinha somado 146 965 unidades e, em 2007, tinha encerrado o ano com 166 883 motos. Ou seja, deixamos de ser apenas o país das motos pequenas para também se destacar entre os líderes mundiais de motos de média e grande cilindradas. O Brasil é o maior vendedor de Honda Hornet do mundo e, no caso da Yamaha MT-03, com 1350 unidades emplacadas, é o triplo do vendido na Espanha.</p>

<p>Citando outros modelos esportivos, nós comercializamos mais Honda CBR 600RR do que a Espanha e a França, por exemplo. Ainda falando da categoria Sport e comparando com a Espanha, aqui licenciamos mais que o dobro de Yamaha R1, Suzuki GSX-R 1000 e Honda CBR 1000RR do que eles. Entre as Maxitrail, a nossa líder, a Yamaha XT 660R emplacou mais que o triplo dos espanhóis.</p>

<p>Dentre as custom, a nossa Honda Shadow, 2 507 licenciamentos, vendeu mais que a líder espanhola, a Kawasaki VN 900 (1 722), e quase seis vezes o volume do próprio modelo por lá, com 433 motos. Enfim, em todas as categorias de grande cilindrada, nós temos nível europeu! Até quando nós seremos desprezados ou desmerecidos?</p>

<p><strong>Mais números</strong></p>

<p>Quando falamos das marcas, a Honda abre muita distância para as demais. Se pensarmos apenas acima de 200 cm3, a marca da asa dourada, vendeu 133 019 motos. É um número maior que a maioria dos países europeus antes mencionados, acima de 125 cm3. A Yamaha, com 237 568 máquinas emplacadas, só fica atrás do mercado italiano, superando os demais em números totais.</p>

<p>A Suzuki com 141 857 emplacamentos, que aqui é representada pela J. Toledo, é maior que o mercado britânico, alemão e francês, se não contarmos os ciclomotores desses países. A Harley do Brasil já é a oitava do mundo. Imagine se a Hornet custasse o mesmo que lá? Ela custa € 7 549 na Espanha ou R$ 23 400. Teríamos fila de espera!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários