Card image
Notícias
Brasil é onde a Triumph mais cresceu no ano passado

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/07/2018
  • Atualizado: 23/07/2018 às 19:03
  • Por: Carlos Bazela

Triumph, Moto de Ouro, Categoria Clássicas, Street Scrambler, motos, naked, retrô, prêmio, Scrambler 1200, Royal Enfield, Bonneville T100, Classic 500, Harley-Davidson, Roadster, naked, off-road, clássica moderna, conteúdo patocinado, Thruxton R, Bonneville T120, Bonneville Bobber, Moto de Ouro 2018, skate, skatista, Bob BurnquistA subsidiária brasileira da Triumph divulgou na noite de ontem os resultados de seu ano fiscal 2017 / 2018 (que, segue o calendário inglês e foi 01 de julho do ano passado até 30 de junho deste ano) e anunciou um crescimento de 9% nas vendas em relação ao ano passado. Ao todo, a Casa de Hinckley comercializou no Brasil 4 244 unidades contra as 3 949 do ano fiscal anterior. “Com este resultado, fomos a subsidiária da Triumph com o maior crescimento no mundo”, afirma Waldyr Ferreira, gerente geral da Triumph no Brasil. No mundo todo, a Triumph vendeu mais de 61.000 motocicletas.

Além de ter sido o país no qual a marca inglesa mais cresceu no mundo, o Brasil ocupa lugar de destaque no ranking dos maiores mercados para a Triumph. Aqui, a fabricante morde uma fatia de 13,7% do share, que segundo a montadora é a terceira maior participação do mundo, perdendo apenas para a Índia, que vem em segundo e para a matriz, na Inglaterra.

Na apresentação, a marca também enfatizou seu esforço no segmento de Clássicas, categoria na qual recebeu o prêmio Moto de Ouro pela Street Scrambler, inclusive. No último ano a Triumph comercializou 891 motocicletas desse estilo, chegando bem próximo da meta que havia estipulado anteriormente, de 1 000 modelos entre as suas Clássicas Modernas. No ano anterior, a montadora vendeu 621 motos desse segmento, o que correspondeu a um crescimento de 43,4%. “Temos qualidade, muita tradição e uma grande variedade de modelos para diferentes estilos de pilotagem. Queremos ser referência no segmento de motocicletas clássicas no mercado brasileiro”, explica Waldyr Ferreira.

Além da Street Scrambler, a linha de clássicas da Triumph traz ainda a Street Twin e a Bonneville T100, que chegou recentemente ao mercado e partilha o motor de dois cilindros de 865 cm³ com as outras duas motos. Já a Thruxton R, a Bonneville T120, Bonneville T120 Black e a Bonneville Bobber trazem uma versão maior do bicilíndrico, com 1 200 cm³.

Conteúdo Recomendado

Comentários