Card image
Notícias
Ajudando os carros

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 28/07/2008
  • Por: admin

<p>Imagine a seguinte situa&ccedil;&atilde;o: voc&ecirc; est&aacute; viajando com a sua fam&iacute;lia e se encontra naqueles habituais engarrafamentos que precedem feriados. O seu carro come&ccedil;a a apresentar problemas e subitamente p&aacute;&shy;ra no meio de uma via, que &eacute; de dif&iacute;cil acesso, com o tr&acirc;nsito parado. Mas, e agora, como o socorro vai chegar aonde voc&ecirc; est&aacute; se n&atilde;o h&aacute; espa&ccedil;o para o guincho passar? A solu&ccedil;&atilde;o para casos assim &eacute; o procedimento feito por motocicletas, servi&ccedil;o que cada vez mais as prestadoras de assist&ecirc;ncia e seguradoras enxergam como solu&ccedil;&atilde;o, principalmente para ocorr&ecirc;ncias nas grandes cidades.</p>
<p>&quot;Com o uso das motos, a nossa rede ganhou com a redu&ccedil;&atilde;o no tempo de atendimento, especialmente com o problema do tr&acirc;nsito. A produtividade aumentou cerca de 40% nas assist&ecirc;ncias. A satisfa&ccedil;&atilde;o do cliente tamb&eacute;m cresceu, j&aacute; que muitas vezes o socorro mec&acirc;nico feito com a motocicleta, evita que o ve&iacute;culo seja removido, permitindo ao cliente seguir viagem sem aborrecimentos&quot;, explica Mauro Cavaleiro, coordenador de log&iacute;stica da Brasil Assist&ecirc;ncia.</p>
<p>Em casos como falta de carga da bateria, troca de fus&iacute;vel, alternador, pneu e at&eacute; mesmo da correia, os t&eacute;cnicos de assist&ecirc;ncia est&atilde;o aptos a resolver os problemas e os motoristas podem continuar a viagem.</p>
<p>Al&eacute;m da satisfa&ccedil;&atilde;o do cliente, outro ponto importante na utiliza&ccedil;&atilde;o das motocicletas &eacute; o custo/benef&iacute;cio que elas proporcionam. &quot;A rela&ccedil;&atilde;o quil&ocirc;metros rodados e litros de combust&iacute;vel gastos &eacute; muito mais vantajosa nas motos; principalmente se comparada aos reboques &mdash; que em sua grande maioria s&atilde;o movidos a diesel. A mesma coisa vale para a manuten&ccedil;&atilde;o, que no caso de um caminh&atilde;o &eacute; muito maior. Entretanto, vale ressaltar que um n&atilde;o substitui o outro, pelo contr&aacute;rio, se complementam&quot;, afirma Edison Kinoshita, diretor do Contact Center da SulAm&eacute;rica Seguros e Previd&ecirc;ncia.</p>
<p>H&aacute; tamb&eacute;m os casos em que as motocicletas servem como apoio quando ocorrem acidentes com os ve&iacute;culos dos segurados. Ao sofrer um acidente, o cliente aciona o guincho para ir at&eacute; o local do sinistro. Como muitas vezes o percurso para a chegada do reboque pode ser demorado, as seguradoras encaminham um funcion&aacute;rio com a moto para tranq&uuml;ilizar o cliente.</p>
<p>Por exemplo, a Mar&iacute;tima Seguros conta com uma frota de 30 Honda Bros que rodam uma m&eacute;dia de 5 250 quil&ocirc;metros por m&ecirc;s cada e se locomovem rapidamente at&eacute; o local do acidente. Enquanto esperam a chegada do guincho, um representante da empresa passa tranq&uuml;ilidade para o usu&aacute;rio, j&aacute; que &eacute; um momento em que as pessoas ficam fragilizadas. Al&eacute;m disso, fornece as orienta&ccedil;&otilde;es completas sobre a documenta&ccedil;&atilde;o exigida para o andamento do proces&shy;so, faz a vistoria de constata&ccedil;&atilde;o de sinistro do segurado e, se houver, do terceiro envolvido e fotografa os danos causados aos autom&oacute;veis.</p>
<p>De olho nessa nova tend&ecirc;ncia que otimiza os servi&ccedil;os, as empresas come&ccedil;am a se mexer para a in&shy;tro&shy;du&ccedil;&atilde;o dos servi&ccedil;os com as mo&shy;tos. &quot;Desde 1999, prestamos o servi&ccedil;o de apoio a acidentes com nossos Ecosport. Mas, muitas vezes os autom&oacute;veis n&atilde;o conseguiam chegar antes dos guinchos para dar assist&ecirc;ncia pr&eacute;via aos segurados. Assim, come&ccedil;amos a fazer um projeto piloto com as motocicletas&quot;, acrescenta Ginez Carrasco, gerente de sinistros do&nbsp; Unibanco AIG Seguros e Previd&ecirc;ncia.A seguradora trabalha, no momento, com tr&ecirc;s motos na regi&atilde;o da Grande S&atilde;o Paulo, elas servem de apoio aos segurados e tamb&eacute;m auxiliam qualquer pessoa que estiver em apuros com o seu ve&iacute;culo nas ruas.</p>
<p>&quot;O objetivo &eacute; satisfazer o cliente e, com os socorros, tamb&eacute;m conseguir novos segurados&quot;, diz Carrasco. Na primeira fase do projeto, a empresa pretende apenas utilizar as motos como apoio, para posteriormente come&ccedil;ar a praticar servi&ccedil;os mec&acirc;nicos.</p>
<p>A preocupa&ccedil;&atilde;o com os clientes &eacute; priorit&aacute;ria e sempre a inten&ccedil;&atilde;o &eacute; chegar o mais r&aacute;pido poss&iacute;vel ao local de um acidente ou uma pane mec&acirc;nica. Mas todas as seguradoras e prestadoras de assist&ecirc;ncia deixaram claro a preocupa&ccedil;&atilde;o com a seguran&ccedil;a dos motociclistas. Tanto com os equipamentos de seguran&ccedil;a como para n&atilde;o haver exageros no tr&acirc;nsito.O importante &eacute; a harmonia entre os ve&iacute;culos. Com o socorro feito por motocicletas aos autom&oacute;veis, o tr&acirc;nsito e a popula&ccedil;&atilde;o s&atilde;o beneficiados.<br /></p>