Card image
Especiais
Viagem de moto pela Estrada real: uma aventura real

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 08/05/2022
  • Por: Redação

Pilotando um KTM Duke 390, Ozzy, nosso colunista em moto turismo de aventura, ousou em desbravar a maior rota turística do Brasil. Com mais de 1.600 km de extensão, a estrada real, construída no início de XVIII, passa pelos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro

Texto e fotos: Oswaldo Fernandes Jr. (Ozzy)

A Estrada Real é relacionada à era colonial vivenciada no Brasil. A vinda da família real portuguesa para o Brasil, em 1.808, está ligada diretamente a era Napoleônica. A ameaça do imperador francês em invadir o reino de Portugal, que estava em uma profunda crise econômica, e a dívida com a Inglaterra pela defesa de Portugal dos franceses fizeram com que o príncipe regente Dom João VI decidisse pela fuga para o Brasil, e ter o compromisso de honrar a gigantesca conta com os inglesas, com milhões de diamantes e inúmeras carroças de ouro de solos brasileiros. 

Desta forma, a exploração de minas de ouro e diamantes, pelo regime de escravidão dos negros africanos seguiam de cidades mineiras de Diamantina, Ouro Preto e tantas outras com destino a Paraty, onde eram embarcadas para a Europa pelos navios, uma rica e triste história de nosso país.

Instituto Estrada Real

O Instituto Estrada Real (www.institutoestradareal.com.br) foi criado em 1.999 pela FIEMG, no intuito de fomentar e divulgar a história, tradições, culturas, pontos turísticos, gastronomia, lindas paisagens e a aventura em grandes trechos de muita terra e aventuras, por enormes fazendas, minúsculas cidades, pessoas carismáticas e histórias da colonização brasileira.

A entidade registrou as 4 principais rotas da Estrada Real, onde foram instalados 1.818 marcos no eixo principal dos 4 caminhos que a formam – Velho, Novo, dos Diamantes e Sabarabuçu – e 726 placas rodoviárias em sua área de abrangência.

Também foi criado um passaporte de viagem aos aventureiros pelas 4 rotas, onde em pontos determinados se retiram os passaportes, e ao se aventurarem pelas rotas dos 4 caminhos, o passaporte deve ser utilizado para registro, com carimbos, as passagens pelos pontos pré-determinados, tornando a aventura um desafio a ser superado.

Ao final de cada rota, o Instituto Estrada Real recebe registros das passagens e concede aos viajantes um merecido certificado relacionado a rota realizada.  Desafiadores caminhos para quem busca emoções e aventuras, assim são as características das rotas.

Confira um pouco de cada uma delas:

Caminho Velho: é a passagem oficial realizada pela Coroa desde o século XVIII, também chamada de Caminho do Ouro. Rota de Ouro Preto a Paraty ao longo de mais de 100 municípios e 710km fazem parte do traçado.

Caminho Novo: surgiu alguns anos depois, prezando pela maior segurança da mercadoria transportada, a fim de evitar saques de piratas na rota marítima Paraty/Rio. Rota de Ouro Preto a Petrópolis, passando por 18 cidades e totalizando 515km estão no seu horizonte.

Caminho dos Diamantes: local estabelecido para controlar a rota de diamantes da sede da Capitania, Ouro Preto, à principal cidade exploradora de diamantes. Diamantina. Rota de Diamantina a Ouro Preto, passa por 19 cidades e totaliza 395km a formam. Este percurso tem praticamente 90% em estrada não pavimentada, onde planejamento, habilidade e sangue frio são essenciais para encarar subidas de tirar o fôlego e descidas de arrepiar.

Caminho Sabarabuçu: é a rota mais curta, com apenas 160km de extensão, e foi criada depois de exploradores avistarem um brilho no topo de Serra da Piedade, que imaginaram ser ouro, mas na verdade era de minério de ferro. Restou uma estrada de belas paisagens, que atravessa 7 cidades.

Desafios e experiências

A KTM Duke 390 utilizada, mesmo sendo uma motocicleta de uso urbano, deu show!  Com muito torque, construção robusta e de fácil manuseio, proporcionou muita emoção. Fizemos uma parceria de dar saudades: eu e a moto. Por vezes fiquei em dúvida da capacidade desta “monstrinha”, mas ela literalmente me levou onde eu determinei, mesmo encarando muita chuva, intermináveis trechos de lama, bastante areia, trechos de pedras e cavas, conseguimos os registros ao passaporte, e juntos fomos certificados pelo Instituto Estrada Real, por Daniel Junqueira, diretor executivo da organização.

As rotas da Estrada Real são desafiadoras. A aventura de percorrer a Estrada Real de motocicleta provoca instintos, revalida valores, gera muitas emoções e estabelece novos limites.  Cada uma das rotas tem suas características diferentes, então desafie-se, planeje suas rotas, pegue seu passaporte, respire fundo e venha viver uma estrada, no seu destino: a estrada real.

Agradecimentos são mais que merecidos, são necessários. Obrigado Daniel, da KTM Brasil, e a tantas pessoas que conheci pelas rotas reais.  Indivíduos que se propuseram a ajudar, compartilhar e conviver comigo mais esta grande aventura.

É isto aí, viva a vida propondo muito mais sentido, em grandes aventuras e com grandes emoções.

Nos vemos pelas estradas, sempre!

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas mídias sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter

Conteúdo Recomendado

Comentários