Card image
Especiais
Veja dicas para pilotar um scooter com segurança

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 26/08/2015
  • Por: admin

<p><span style="line-height: 1.6em;">Os scooters são uma ótima opção para quem busca um veículo urbano inteligente, ágil e versátil. No entanto, para curti-lo é preciso ficar atento a alguns detalhes. O MOTOCICLISMO ONLINE preparou algumas dicas que tornarão sua condução mais prazerosa e segura. Veja:</span><br />
<br />
<img alt="TEM UM BURACO NO CAMINHO" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/1scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;"><strong>Quanto menores as rodas de um scooter, mais instável ele é</strong>. Isso acontece porque o tamanho da roda está ligado diretamente a quanto ela produz de "efeito giroscópio", que é responsável por manter a veículo em pé quando em movimento. Por isso, scooters pequenos são mais suscetíveis a instabilidades causadas por buracos e ondulações no asfalto.</span></p>

<p>Ainda há outra desvantagem nas rodas de pequeno diâmetro: a maior dificuldade para transpor pequenos obstáculos. O raciocínio é simples: um buraco parece ser bem maior para um scooter com rodas pequenas do que para outro cujos diâmetros são maiores. <span style="line-height: 1.6em;">A atenção total não é só aos carros e aos sinais de trânsito, mas também <em>por onde</em> você passará com o scooter.</span></p>

<p><img alt="NO BALANÇO DAS CURVAS" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/2scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Este é outros aspecto em que os scooters de roda pequena pedem mais atenção: fazer curvas. <strong>Apesar de serem mais ágeis nas mudanças de direção, nas curvas os scooters de baixa cilindrada que adotam rodas pequenas costumam ser mais instáveis</strong>, apresentando leves oscilações mesmo quando as irregularidades do piso são mínimas (por exemplo, simples emendas de asfalto).<br />
<br />
O ideal é, além de buscar um caminho o menos acidentado possível, reduzir a velocidade antes da curva para contorná-la acelerando de forma branda. Isso porque imprimir maior velocidade aumenta o já citado efeito giroscópio.</p>

<p>Fazer o contrário, ou seja, desacelerar no meio da curva, poder ser perigoso, pois sem o empuxo da aceleração o scooter pode se comportar de maneira ainda mais instável.</p>

<p><img alt="NA DESCIDA, MÃOS NO FREIO!" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/3scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Quase todos os scooters produzidos atualmente são automáticos. Quando se para de acelerar, o motor trabalha em marcha lenta e a transmissão funciona como em ponto morto. <strong>Isso é um inconveniente quando se encontra pela frente um declive acentuado: é preciso conter o veículo apenas nos freios</strong>, pois não há freio-motor para reduzir a velocidade.</span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Ao se encontrar numa situação como essa, é preciso reduzir a velocidade e dividir a carga de frenagem entre as duas rodas. Nem é preciso dizer que revisões periódicas nos freios jamais devem ser esquecidas ou ignoradas.</span></p>

<p><img alt="OLHE O MUNDO AO SEU REDOR" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/4scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Quando se pilota em grandes centros urbanos, território típico dos scooters, <strong>é imprescindível que o motociclista fique atento ao que acontece ao redor</strong>. No entanto, há um detalhe que se tornou quase uma característica nesse tipo de veículo: a ineficiência dos retrovisores. Ao que tudo indica, o típico guidão estreito do scooters – propositalmente dessa forma para facilitar sua movimentação entre os carros – é o principal responsável pelo inconveniente.<br />
<br />
<span style="line-height: 1.6em;">É preciso redobrar a atenção nas mudanças de faixa ou conversões, jamais esquecendo de sinalizar tais ações. Isso pode evitar desde um mero aborrecimento até algo mais sério. Mas não é só isso: entre os veículos automotores que circulam por nossas vias, os scooters são os mais compactos. Não bastando, também são os mais silenciosos.<br />
<br />
O que isso significa? Que são os mais suscetíveis a não serem vistos.</span></p>

<p>Para amenizar a situação, deve-se vestir equipamentos coloridos e se fazer visto sinalizando suas ações. Para fugir do perigo do ponto cego do retrovisor dos outros veículos, é fundamental manter distância. Andar colado nas laterais dos carros é quase a mesma coisa que se camuflar.</p>

<p><img alt="ANTES SÓ DO QUE ACOMPANHADO" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/5scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Nos scooters de baixa cilindrada, <strong>circular com um passageiro (o garupa) pede cuidados</strong>. Além de a agilidade ser reduzida drasticamente, a combinação de peso extra e baixa potência resulta também em acelerações e retomadas bem mais lentas, muitas vezes incompatíveis para a velocidade de algumas vias urbanas.</span></p>

<p>Algo parecido acontece com o poder de frenagem. Com dois ocupantes, scooters pequenos precisam de bem mais espaço, percorrendo uma maior distância para chegar totalmente à imobilidade. <span style="line-height: 1.6em;">Lembre-se: você é responsável por quem transporta, por isso bom senso e prudência nunca são demais.</span></p>

<p><img alt="PEQUENOS DETALHES, GRANDES PERIGOS" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/6scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O perfil de quem utiliza um scooter é bem diferente do dono de uma motocicleta, desde roupas e equipamentos até a manutenção e limpeza de suas máquinas. No geral, os scooters circulam mais bem-cuidados e limpos. <strong>Para deixar seu veículo mais bonito, porém, muitos proprietários comentem erros que podem comprometer a segurança</strong>.<br />
<br />
Nos scooters, é frequente passar silicone ou produtos que melhorem a aparência do assoalho, que neste tipo de veículo, mesmo com pouco tempo de uso, ganham um aspecto de desgastado e malcuidado. O problema é tornar escorregadio o local de apoio para os pés, que podem deslizar e até causar um acidente.<br />
<br />
Por isso, ao mandar lavar seu scooter (ou ao fazê-lo você mesmo), não utilize silicone ou produtos oleosos no assoalho e também nos pneus, que podem ter sua aderência comprometida. Lembre-se: a segurança vem antes da aparência!</p>

<p><img alt="PNEU MURCHO = BOLA MURCHA" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/7scooter_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Seja qual for o veículo, <strong>manter os pneus calibrados é algo que jamais deve ser negligenciado</strong>. Justamente por serem mais sensíveis às imperfeições no piso, nos scooters a calibragem baixa (ou seja, pneu murcho) é ainda mais perigosa. Nessas condições, o controle é reduzido, assim como a segurança, pois até as frenagens podem ser comprometidas.</span></p>

<p>Diante de um risco como esse, criar o habito de calibrar os pneus periodicamente é tarefa fácil, principalmente porque é a própria integridade do piloto que está em jogo.</p>

<p>A favor da segurança, vale tudo!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários