Card image
Especiais
Outubro é um mês de peito

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 21/10/2021
  • Por: Elas Pilotam

Na década de 1990, organizações de pesquisa e prevenção ao câncer – em nível mundial -, impulsionadas pela Fundação Susan G Komen, tornaram outubro o mês oficial contra o câncer de mama.

Simbolizado pela cor Rosa, para remeter o gênero feminino que é o mais afetado pela doença, as campanhas desse período envolvem filantropia, ativismo, e, especialmente, educação, buscando ressaltar a importância da mamografia, de hábitos saudáveis, do auto-exame, e dos avanços científicos para a redução no número de casos fatais.

Dentro do espírito de conscientização e ajuda ao próximo, o mês de Outubro não passa batido para os apaixonados por duas rodas. Sendo este, um dos meses do ano com o maior número de eventos com foco social e educativo.

O que para nós é algo importante, uma vez que homens são ainda, a maioria no universo duas rodas, e esse engajamento nos indica o quanto a valorização e o respeito pelas mulheres faz parte de todos os segmentos.

Não é pra menos: o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que em 2021 ocorrerão mais de 66 mil novos casos da doença, o que equivale a uma taxa de incidência de aproximadamente 43 casos a cada 100 mil mulheres”.

Ou seja, todos temos mãe, irmãs, parceiras, esposa, filhas, amigas, tias, avós, aquela melhor amiga e por aí vamos. E todas estão sujeitas a um dia se depararem a doença que afeta tanto a vida pessoal e familiar. O câncer de mama é um assunto de todos, por todas. Então se toque!

Por uma causa, mas com cuidado

O Outubro Rosa é um período importante porque nos ajuda a entender o câncer de mama, suas consequências e formas de prevenção, trazendo o tema para a pauta do dia-a-dia em lugares quase inusitados, como, por exemplo, um rolê de moto.

Os eventos chegam a reunir centenas de motocicletas, dos mais diferentes estilos e tamanhos, em passeios que podem ser em zonas urbanas ou rodovias. Normalmente, nesses encontros os fundos arrecadados são encaminhados para pesquisa, divulgação das técnicas de auto-exame, ou para ajudar financiar mamografias entre mulheres menos privilegiadas.

Leia mais:
Livro LipSpeed conta a incrível jornada das mulheres no motorsport
Mulheres e motos, relação cada vez mais em alta no Brasil
Projeto Motostory: Empoderadas!

Mas com tanta gente envolvida e pronta pra colaborar, passeios assim, exigem atenção redobrada, pois uma pequena distração pode desencadear uma série de outros acontecimentos no “bonde”. 

No Portal #ElasPilotam tem uma matéria sobre “comboio de moto” com dicas importantes sobre etiqueta em um ride em grupo.

E neste sábado, dia 23 de Outubro, o movimento #ElasPilotam marca presença na quarta edição do encontro AC/DC – Antes do Câncer e Depois do Câncer, promovido pela Johnnie Wash, com apoio do Women for the Ride da Triumph.

Com um formato inusitado, o AC/DC reúne motociclistas, e mulheres que estão em tratamento e/ou já venceram o câncer de mama, para um bate papo aberto sobre prevenção, cuidados, consequências, e tratamento. O evento é encerrado com um grande ride pela cidade de São Paulo, no qual as garupas e convidadas são as protagonistas.

As inscrições para as atividades pré ride estão encerradas, mas o convite para participar do passeio é aberto ao público, ou seja, mulheres e homens que desejarem contribuir com a causa podem se reunir no local a partir das 11h e seguir o ride com as participantes.

Vocês podem encontrar mais informações no site e nas mídias sociais da Johnnie Wash.

Você sabia?

E como nosso papel é informar, vale ressaltar que, embora em menor incidência, o câncer de mama pode se desenvolver em homens. E, nesses casos, comumente descoberta em estágio avançado, devido ao preconceito que acarreta em maior negligência na prevenção.

A doença era comum em homens mais velhos, mas vem mudando esse cenário, uma vez que a hábitos de consumo e estilo de vida podem acarretar seu desenvolvimento. Por exemplo, o aumento no uso continuo de hormônios e esteroides, pode ser um agravante para quem possui pré-disposição ao câncer.

E tanto entre as mulheres como entre os homens, o preconceito, o medo e a vergonha ainda são fatores que fazem com que os tratamento seja tardio e muitas vezes irreversível.

Lembrem-se: o cuidado com a nossa saúde faz com que possamos conhecer melhor nosso corpo. Portanto cuidem-se e priorizem-se.

Fotos: Divulgação, Arthur Seraphim e Arquivo #ElasPilotam

Conteúdo Recomendado

Comentários