Card image
Especiais
Opinião: Fuga assassina

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 17/11/2020
  • Por: Ismael Baubeta

A fuga do local do acidente de condutores envolvidos é assassina!

Ninguém gosta de pensar em acidentes. Aqui na redação da MOTOCICLISMO nós também preferimos falar de motos, da história delas, dos lançamentos e muitos outros assuntos relacionados ao excitante e viciante mundo da motocicleta. Mas há momentos em que me sinto obrigado a dividir com você leitor assuntos, digamos, desagradáveis, mas inerentes a este mundo tão bacana.

Um levantamento realizado pelo programa Respeito à Vida, da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo e coordenado pelo Detran mostra que o risco de morte em acidentes de trânsito triplica quando há fuga do condutor envolvido.

Todos temos responsabilidade pelos demais envolvidos no trânsito, devemos cuidar uns dos outros (Gabriel Jabur/ Agência Brasília)

Veja também:
O que muda para motos com alterações no Código de Trânsito?
O que você tem a ver com a Semana Nacional de Trânsito?
Qual exemplo você segue e dá no trânsito?

Na minha humilde concepção de humanidade (compaixão e solidariedade), parece mentira que uma pessoa em sã consciência possa atropelar alguém ou bater em outro veículo e simplesmente ir embora, sem se importar com a outra pessoa envolvida no acidente, mesmo que ela tenha sido a culpada, é imperdoável!

Absurdo

É surreal! Os estudos do Programa Respeito à Vida apontam que no Estado de São Paulo há 57,8 acidentes para cada indivíduo que deixa o plano terrestre em vias urbanas, muito? Então aguenta essa: este número cai para 18,9 acidentes para cada indivíduo que deixa de existir em caso de fuga do envolvido no acidente, ou seja aumenta em 3,1 vezes o índice de óbito. Inaceitável que haja pessoas que abandonam um semelhante à própria sorte nesta condição!

Não é só a responsabilidade pela vida, mas também dar o exemplo de comportamento
pró-ativo, com a pilotagem segura (Icetran)

A omissão de socorro reduz a possibilidade de sobrevivência da vítima, explica o diretor-presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto. “O levantamento traz luz a um problema real de nossas ruas e rodovias. É preciso mudar esse tipo de comportamento, sermos mais prudentes e responsáveis no trânsito”, completa Mascellani.

Fuga assassina

Cerca de 85% dos acidentes com abandono do local pelo condutor foram em vias urbanas, que é onde há a maior parte das fatalidades (54%) que na grande maioria (64%) foram à noite e a ocorrência mais comum é a colisão traseira (26%).

Façamos uma conta de padeiro. De janeiro a setembro (273 dias) foram registrados 4.152 acidentes deste tipo (com fuga de condutor), ou seja 15,2 fugitivos por dia! Os mais vulneráveis neste período pela ordem foram os pedestres (47%), motociclistas (32%), ocupantes de automóveis (13%) e ciclistas (8%).

Penalidades

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a fuga do local do acidente é considerada uma infração passível de multa e de até seis meses de detenção. Caso haja feridos, também pode se configurar a omissão de socorro, elevando a possibilidade de detenção para um ano. Eu acho pouco, afinal ceifar a vida de alguém pela irresponsabilidade de assumir o erro (que pode acontecer e todos estamos sujeitos a cometer) teria que ser um crime hediondo e inafiançável, dada a gravidade da escolha de ser fugitivo e não prestar socorro à vítima.

Pena prevista para evasão do local do acidente – omissão de socorro – vai de seis meses a um ano de prisão (no caso de acidente com vítima) (RCSFM)

Comportamento pró-ativo e positivo

Acidentes acontecem, ninguém gosta de pensar nisso, mas, invariavelmente, todos estamos sujeitos a eles. De todos os acidentes computados, 94% deles acontecem por falha humana, portanto temos que ser mais responsáveis e cuidar dos demais envolvidos no trânsito como se fossem nossos parentes, se quisermos diminuir estas tristes estatísticas. Certamente se mais pessoas valorizarem as demais pessoas no trânsito como se fossem filhos, sobrinhos, tios ou avós, estes números seriam totalmente diferentes.

Vamos mudar nosso comportamento e ajudar o próximo como pessoa da família e, em caso de acidente, chamar ajuda o mais rápido possível, afinal qualquer um de nós ou de nossa família poderia estar no chão precisando do resgate.

A quem recorrer

Em caso de acidente, é importante saber quais são os canais de atendimento para solicitar o socorro. Em vias urbanas, o cidadão pode ligar para o 190 (Polícia Militar) e 193 (Corpo de Bombeiros). Há ainda a opção do 192 (SAMU).

A rapidez na chegada do resgate pode significar o salvamento de vidas (EmergenciaUSP.com.br)

Já nas rodovias, podem ser acionadas as equipes de emergência do DER (0800 055 55 10), Polícia Militar Rodoviária (11 3327-2727) e Artesp (0800 727 83 77). Rodovias operadas pelas concessionárias também possuem canais próprios para atendimento médico e mecânico em pista.

Afinal, ter um Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito é, no mínimo, muito triste.

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter