Card image
Especiais
Indian Motorcycle aquece categoria custom no Brasil

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 24/02/2016
  • Por: admin

<p>Após a estréia no Salão Duas Rodas 2015, a <a href="http://www.motorpress.com.br/moto/especiais/especiais/sobre-a-indian-motorcycle"><strong>Indian Motorcycle</strong></a> realizou evento em Tuiuti (SP) para apresentar os modelos <a href="http://www.motorpress.com.br/moto/testes/testes-testes/conheca-a-indian-scout-a-custom-anti-harley/"><span style="color:#FF0000;"><strong>Scout</strong></span></a>, <strong>Chief Classic</strong> e <strong>Chief Vintage</strong>. As custom são montadas em Manaus (AM) em regime de CKD e estão à venda em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Florianópolis (SC) e Belo Horizonte (MG), nas <strong>quatro concessionárias </strong>da marca. <strong style="line-height: 1.6em;">Chieftain</strong><span style="line-height: 1.6em;"> e </span><strong style="line-height: 1.6em;">Roadmaster</strong><span style="line-height: 1.6em;"> tem início das vendas em abril. </span></p>

<p><img alt="Scout, Chief Classic e Chief Vintage, novidades da Indian para os fãs de custom no Brasil" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_indian_motorcycle_custom_2016_1_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Na operação a marca no Brasil a ‘linha de frente’ é formada por <strong>Rodrigo Lourenço</strong>, diretor geral na América do Sul, <strong>Paulo Brancaglion</strong>, gerente de marketing e produto e <strong>Nuno Fojo</strong>, gerente de produto e responsável pela engenharia no Brasil. A <strong>previsão de vendas para 2016 é de 800 unidades</strong>, somando os cinco modelos. Previsão que representa apenas <strong>11,8 % </strong>do que vendeu a rival Harley-Davidson em 2015, com 6753 motos emplacadas.</span></p>

<p>A marca enfatizou a herança das novidades de motos Indian de 1920 e 1940. <strong>“Se a produção da Indian não tivesse sido interrompida, elas seriam exatamente como estes modelos que temos hoje”</strong>, declarou Fojo na apresentação técnica.</p>

<p><img alt="Indian Scout, a mais leve e mais baixa da categoria" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_indian_motorcycle_custom_scout_2016_1_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p><strong>A Indian não ficou em cima do muro e apontou quais são as rivais diretas na linha Harley-Davidson</strong>. A Scout quer conquistar o público da Harley-Davidson Forty-Eight, com um conjunto tecnicamente superior e oferecendo um desempenho equivalente ao da V-Rod Muscle. A Chief Classic tem como rival direta a Harley-Davidson Fat Boy e a Chief Vintage quer o público da Harley-Davidson Road King.  </p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Todas as Indian têm chassi de alumínio forjado, que garante nível de torção baixo. O motor da </span><strong style="line-height: 1.6em;">Scout</strong><span style="line-height: 1.6em;">, bicilíndrico em V de 1133 cm³, DOHC, arrefecido a líquido, </span><strong style="line-height: 1.6em;">rende 9,96 kgf.m a 5 900 rpm</strong><span style="line-height: 1.6em;">. O motor das novas Chief é o mesmo (assim como o chassi). Batizado de Thunder Stroke 111, é um bicilíndrico em V de 1811 cm³, OHV, arrefecido a ar e óleo, que </span><strong style="line-height: 1.6em;">rende 16,5 kgf.m a 3 000 rpm</strong><span style="line-height: 1.6em;">. Assim como a Harley-Davidson, </span><strong style="line-height: 1.6em;">a Indian não divulga a potência máxima</strong><span style="line-height: 1.6em;">, seguindo a ‘tradição americana’…</span></p>

<p><img alt="Chief Classic, uma custom autêntica, para rodar muitos quilômetros e esquecer do mundo" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_indian_motorcycle_custom_chief_classic_2016_1_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A <a href="http://www.motorpress.com.br/moto/testes/testes-testes/conheca-a-indian-scout-a-custom-anti-harley/"><span style="color:#FF0000;"><strong>Scout</strong></span></a> impressiona pela funcionalidade. Sem garupa, <strong>é leve, ágil, confortável e prazerosa de acelerar</strong>. Está disponível em vermelho, preto fosco ou prata fosco, <strong>por R$ 54 900 </strong>(preço válido a partir de 1/3/2016, com  10% de aumento dos R$ 49 990). A <strong>Chief Classic é uma autêntica custom. </strong>Sem garupa, tem ótimo acabamento e uma usina de torque disponível em baixas rotações. Tem boa estabilidade em mudanças de direção, não vibra e freia bem. Em preto ou vermelho, <strong>custa R$ 79 990</strong>. Na Scout e na Classic<strong> é possível instalar a garupa.</strong> Na Scout, para levar um passageiro, assento e pedaleiras custam <strong>R$ 1940,28</strong> e na Classic, é preciso investir <strong>R$ 2635 </strong>para poder levar alguém no passeio com você. (Cotações de preço de 24/2/16).</p>

<p><img alt="Na Chief Vintage, assento e alforges em couro bege a enchem de estilo. O parabrisa aumenta o conforto na estrada" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_indian_motorcycle_custom_chief_vintage_2016_2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Menos ágil, a <strong>Chief Vintage</strong> é para quem gosta de passear tranquilo por infinitas retas. Com garupa, parabrisa, faróis de milha e alforges de série, pesa 50 kg a mais que a Classic e transmite uma pequena vibração ao piloto — que a Classic não tem — pelo guidão. Em preto sai por <strong>R$ 89 990</strong> e na charmosa cor verde e creme, pode ser sua por<strong> R$ 91 990 (preço a partir de 1/3/2016). </strong></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários