Card image
Especiais
Editorial: Nosso compromisso

1 Minuto de leitura

  • Publicado: 02/03/2016
  • Por: admin

<p>O fato da MOTOCICLISMO fazer parte do <strong>maior grupo de revistas especializadas em motocicletas do mundo</strong> nos enche de orgulho.</p>

<p>Não apenas por nos permitir trazer a nossos leitores, em primeira mão, avaliações com as motos que ainda vão chegar ao Brasil ou testes e comparativos exclusivos (como o da capa da edição 219, por exemplo). Vai muito além disso. <span style="line-height: 1.6em;">Ser uma das <strong>130 revistas da Motorpress Internacional é uma grande responsabilidade</strong>, e somos cobrados, literalmente, com rigor germânico com relação a isso. </span></p>

<p><img alt="Capa da edição 219 da MOTOCICLISMO, já nas bancas" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/capam219_motociclismo_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Mesmo com acesso a toda essa estrutura internacional, seguimos um rigoroso padrão de testes e produções aqui no Brasil. O Superteste, por exemplo, que já fizemos com quase 250 motocicletas, é uma referência no setor. A campanha “Sim à Motocicleta”, as seções “Cultura Motociclística” e “Mercado” — a mais completa e detalhada avaliação do segmento — são só alguns exemplos, muitas vezes até copiados. O objetivo final de cada linha que escrevemos é sempre um só: <strong>informação de qualidade</strong>. </span></p>

<p>Mas, para conseguir essa qualidade que nos propomos a entregar aos leitores, <strong>temos de seguir algumas regras</strong>. Nós, por exemplo, não testamos motos sem placa em vias públicas ou que não estejam seguradas pela fábrica. Exceto pelas apresentações promovidas pelas marcas, <strong>avaliamos cada moto dentro de sua proposta</strong>, isto é, <strong>você não vai ver aqui um comparativo de motos city ou custom em uma pista de competições</strong>.</p>

<p>Para fazer um teste, precisamos da motocicleta por um tempo suficiente para rodar uma boa quilometragem, fazer medições de consumo, passá-la no dinamômetro etc. <strong>Se ela não estiver disponível nas condições que precisamos, preferimos esperar </strong>(e isso não é raro acontecer). Não vamos apenas tirar belas fotos e escrever sobre a moto sem o “tempo de convivência” que julgamos indispensável com aquele modelo, até por respeito à fabricante.</p>

<p>Além dos leitores, nosso compromisso com a transparência se extende também ao mercado e aos parceiros anunciantes, por isso, <strong>somos a única revista especializada em motocicletas do Brasil auditada pelo IVC</strong>. </p>

<p>Um forte abraço!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários