Card image
Especiais
Daimler Reitwagen, a primeira moto da história

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 15/12/2015
  • Por: admin

<p>É sempre bom deixar clara a diferença entre inovação e invenção, assim como entre evolução e revolução.</p>

<p>Os primeiros termos das comparações — inovação e evolução — são usados para descrever o avanço e o aperfeiçoamento de algo já existente, já os segundos termos — invenção e revolução —, determinam a criação de algo que nunca existiu, ou uma mudança conceitual total baseada em uma necessidade, o que demanda um olhar muito especial.</p>

<p>Pois bem, aqui começa a história que culmina com a invenção da precursora de nossas queridas motocicletas.</p>

<p><img alt="Daimler Reitwagen, a primeira moto do mundo" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_daimler_reitwagen-011_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Décadas antes da revolução industrial, o homem estava impaciente quanto à melhor forma de se mover para onde quisesse. O cavalo, o meio mais comum de transporte da época era lento e entediante.  O ideal seria um cavalo que conseguisse galopar a toda velocidade sem se cansar, horas a fio, dia após dia.</p>

<p> O primeiro a se aventurar nessa mudança foi um barão, chamado Carl Von Drais, que colocou uma tábua entre duas rodas e convenceu algum maluco a subir e se auto-empurrar com os pés nessa geringonça.</p>

<p><img alt="Outro ângulo, para ver mais detalhes da Daimler Reitwagen" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_daimler_reitwagen-021_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Você percebeu que nada havia mudado? Além de se matar de empurrar a engenhoca, aquilo acabava com as costas do sujeito, além de ser mais lento do que o cavalo. Genial!</p>

<p>Calma, esse foi só o começo… Finalmente, em 1861, durante a Guerra Civil Americana, um francês resolveu instalar uma manivela e pedais na roda da frente da invenção do Barão Drais, colocou um guidão e uma espécie de colher que pressionava a roda traseira, hoje chamada de freio.</p>

<p>O “comedor de croissants” se chamava Pierre Michaux. O então nomeado velocípede se tornou um sucesso absoluto, e logo Monsieur Pierre começou a fabricar a “incrível” marca de 400 peças por ano.</p>

<p><img alt="O projeto da primeira moto da história, em desenho" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_daimler_reitwagen-031_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O final do século 19 foi marcado pelo uso do vapor como combustível, então, nada mais natural do que pensar em adaptar uma caldeira à engenhoca de duas rodas. Mas, propulsores a vapor eram extremamente grandes naquele tempo, o que parecia inviabilizar o projeto.</p>

<p>Pierre, então, chamou L. G. Perreaux para ajudá-lo, outro francês já havia inventado o sistema de eclusas (obra que permite que embarcações subam ou desçam em locais onde há desníveis) em rios, a arma de tambor com seis balas e a serra circular. Perreaux criou um motor com um cilindro, dois tanques de água e uma caldeira instalada perigosamente próxima do assento, que lembrava uma sela de cavalo.</p>

<p>A fumaça produzida era lançada para trás através de tubos. Sim, escapamentos! A máquina atingia 14,5 km/h, e por medidas de segurança o “Detran” da época começou limitar a velocidade de 6,5 km/h no campo, afinal um cavalo, o rei da estrada naqueles tempos, poderia ser atropelado ou incomodado com a fumaça.</p>

<p><img alt="Relato de acidente com moto na época" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/moto_daimler_reitwagen-091_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A lei também dizia que a pretensa motocicleta poderia desenvolver sensacionais 3,2 km/h nas cidades. Entidades de trânsito parecem continuar com essa coerente lógica até os dias de hoje.</p>

<p>Foi em 1882 que um visionário alemão, Gottlieb Daimler, decidiu experimentar uma combustão interna com benzeno, também conhecido como “petrol”, produto usado para limpar tecidos. Dois anos depois de árduo trabalho, o alemão e seu parceiro Wilhelm Maybach construíram o primeiro motor refrigerado a ar, com um cilindro de 264 cm³.</p>

<p>Tentaram instalar em uma carruagem, mas era muito fraco para empurrar o pesadíssimo veículo de quatro rodas. Foi então que resolveram instalar em uma espécie de quadro de motocicleta, proveniente do velocípede francês.</p>

<p>Claro que motociclistas atuais rolariam de rir face ao produto final, chamado “one-track” (mas pensem que também rirão de nós em 2115…). Um banco alto demais para que o piloto alcançasse o chão fez com que rodinhas fossem instaladas ao lado para não se esborrachar quando parasse.</p>

<p>O próprio filho de Daimler, Paul, teve o assento incendiado no meio de uma viagem em 1885 por um defeito de projeto ou proximidade do motor às nádegas do rapaz. Problemas atuais, como motoristas alcoolizados, estradas mal sinalizadas e congestionamentos não eram as maiores preocupações, mas sim, um conjunto de problemas totalmente ignorado por nós.</p>

<p><img alt="Em 2015, a revolucionária invenção completou 130 anos" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_daimler_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O maior deles era o sistema direto de transmissão, que fazia com que cada vez que a moto parasse o motor também interrompesse o ciclo de trabalho.</p>

<p>A máquina utilizava as então chamadas válvulas “cogumelo” e produzia meio cavalo de potência a 750 rpm. Daimler desenvolveu o “bluherohezuendung”, ou mais simples: “tubo quente”, um método de ignição que consistia em um cano de platina projetado dentro do cilindro que era esquentado por fora por um bico de bunsen aceso.</p>

<p>O motor possuía dois pêndulos fixados em cada um dos lados do virabrequim e era encapsulado em um molde de alumínio. Maybach, o parceiro de Daimler, desenvolveu também um carburador flutuante, e com o milagre da abundância de combustível da época lançou a indústria de motocicletas para sua primeira “real” era, o que logo propiciou empresas como Indian e Harley-Davidson surgissem e prosperassem.</p>

<p><img alt="Criador e criativa, imortalizados em museu" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_daimler-1-motorcycle-11_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Voltando ao que falamos no início do texto,<strong> Daimler e outros pioneiros da motocicleta, merecem menção honrosa por serem hábeis inventores, construtores, e empreendedores que mostraram ao mundo outra forma de olhar para o transporte urbano </strong>sem a utilização de trabalho animal e abrir as portas para uma indústria viável e próspera!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários