Card image
Especiais
Crônica | Viva la vida: experiências para levar

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 01/07/2016
  • Por: admin

<p>Baseado em fatos reais. “E” não era um homem de muitas surpresas. Há anos sonhava em fazer algo transformador, cujas imagens seriam guardadas para sempre em sua memória, seja lá onde fosse, aqui, lá ou no sempre. Decidiu então fazer algo marcante, desafiador, movimentado, para elevar sua paixão, muitas vezes escondida sob as sombras do rotineiro cotidiano. </p>

<p>Ele não era um homem de muitas surpresas. Trabalhava em uma instituição no centro de São Paulo. Seus colegas de trabalho nunca imaginavam que “E” pudesse surpreendê-los e, por vezes, consideravam chistes os planos que ele lhes contava na hora do almoço. Falava com entusiasmo, e isso o ajudava, peça por peça, a construir em realidade a fantasia que cada vez mais lhe parecia verdadeira, colorida e intensa. </p>

<p><img alt="Motocicleta é um instrumento modificador e libertador. Não saia da vida sem perceber isso! (foto: Gustavo Epifanio) " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/nc4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>“E” não era um homem de muitas surpresas. Ir ao Atacama! Mais de 8 mil quilômetros rumo ao sul do continente. Isso seria demais para ele alguns meses atrás. E a cereja do bolo: ir de moto! Peito ao vento, chuva, granizo e frio. Era isso. A família, embora preocupada, ficou feliz por essa empreitada que saía totalmente do padrão e da previsibilidade. Então foi assim, e “E” saiu para surfar no asfalto.</p>

<p>Enquanto pilotava, dentro do capacete, estava lá ele inteiro. Fazendo uma adaptação livre de um dito de um mestre de ioga: “O corpo fica no passado, a mente reside no futuro. Pilotar traz mente e corpo para o presente.” A cada chuva, trechos de rípio (estradas de pedregulhos) e até mesmo pequenas quedas.</p>

<p>“E” se sentia vivo. Ele, a moto, seus companheiros de viagem, a paisagem e a vida como companhia. A cada dia, a cada parada, seus olhos pareciam mais lúcidos e brilhantes.</p>

<p>“E” não era um homem de muitas surpresas. Mas a vida o surpreendeu com seu inexorável ponto final, porém, como quem surpreende mais surpreende melhor, antes de sublimar-se, “E” surpreendeu a vida com um sonho e o tornou concreto, vivo, livre e emocionante… em duas rodas, um motor e muita vida, como a vida deve ser. </p>

<p><img alt=" Que tal pegar a sua moto e sair para uma volta? (foto: Stephan Solon/Yamaha)" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/yamaha_motociclismo1_620x467.jpg" style="margin: 0px auto; display: block; width: 620px; height: 467px;" /></p>

<p>Hoje ele continua viajando, longe e presente ao mesmo tempo, e, se for possível pilotar sobre nuvens, “E” deve estar passeando por lá. Da mesma forma que foi no sonho vivido, duas rodas agora lhe conduzem no interior do mesmo sonho sonhado, como uma boa sequência de filme.</p>

<p>Que privilégio ele teve! Em uma das últimas oportunidades, viver intensamente a vida em uma viagem de moto, transformar-se através de seu olhar, descobrir nuances que se escondiam nas sombras do cotidiano. E você, camarada?! </p>

<p>Que tal fazer uma pausa agora? Pegar a sua moto e sair para uma volta? Pode ser no quarteirão. Sinta que ela pode ser um instrumento de liberdade e de transformação e que a vida pode ser curta, belíssima e infinita ao mesmo tempo. <br />
Keep Riding! </p>

<p>*Para Elie Bautzer (in memoriam) </p>

Conteúdo Recomendado

Comentários