Card image
Especiais
Crônica: Primeira moto? Pense maior!

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 19/04/2017
  • Por: admin

<p>É inevitável o mantra de jovens pais quando descobrem que tenho certo envolvimento no mundo das motos. A pergunta começa assim: "sabe, Roberto, tenho um filho que vai completar 18 anos e é aficionado por motos…" Já pulo o resto da conversa e vou para o final:"… <strong>Ok, velhinho, e você quer saber qual moto comprar para o pequeno vivente, certo? Está pensando numa pequena de 125 cm³, certo?</strong>" Em 90% dos casos acerto…</p>

<p>Bem, aqui vamos nós… A moto certa é aquela com duas rodas e um motor no meio. Não existe moto certa para começar, tudo depende de como vai ser usada, mas algumas dicas podem ser úteis.</p>

<p>Há uma falsa sensação de segurança em optar por motos pequenas, achando que por serem maislentas são menos propensas a acidentes. Talvez sejam mais baratas de um modo geral, mas muitas vezes não são as mais adequadas ou seguras.</p>

<p><img alt="Começar por uma moto ou scooter 125? " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_primeira_moto_125_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Vou explicar em poucas linhas o que parece óbvio: devido ao baixo desempenho, as pequenas andam quase no limite para acompanhar o trânsito das grandes avenidas, e acima dele (do limite) na estrada, ou seja, não há nenhuma "reserva" para encarar uma ultrapassagem, vento lateral ou escapar de uma situação de risco.</p>

<p>Se falarmos das bem pequenas mesmo, a coisa pode ficar mais séria e até perigosa. Algumas das charmosas scooters têm rodas minúsculas, o quepode contribuir para um "duplo carpado invertido" caso o jovem piloto tenha o azar de cair com a roda dianteira em uma de nossas crateras.</p>

<p><strong>Ah, então o negócio é comprar uma gigante Honda Gold Wing ou uma Harley-Davidson Electra Glide para o aprendiz de piloto? </strong>Peraí! Motos grandes são pesadas, geralmente, mais caras e difíceis de manobrar no trânsito, além do mais, geram um medo adicional: de cair e não conseguir levantar a "jamanta", ficando preso sob amoto. Se isso acontecer em um local ermo, pode ser que a ossada do vivente seja achada por um arqueólogo do século XXII. </p>

<p><img alt="Quer começar com uma GoldWing? Veja bem…" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/goldwing1_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Exageros à parte, se a pessoa for do estilo "mignon", é possível que todas as questões que levantei anteriormente sejam amplificadas. Então voltamos paras as menores, que nos quesitos peso e agilidade, são leves e fáceis de conduzir. As scooters, filhas da saudosa Lambreta, ajudam ainda mais nessa questão, pois possuem o centro de massa baixo, o que a torna fácil de manobrar, segurar ou levantar se ela inclinar (princípio do "joão bobo"). Mas essas duas categorias ficam nos extremos do espectro das motos.</p>

<p>Deixei as versáteis para o final, que são as médias, aquelas de 250 cm³ a 400 cm³. Para mim, tecnicamente, e sem considerar a questão financeira, são as mais interessantes para um iniciante. Ficam no meio do caminho. Possuem um valor mediano, manobram bem, são resistentes, de manutenção fácil, acessível e acompanham bem o trânsito, seja em avenidas, seja na estrada.</p>

<p>Outra coisa a se considerar é não comprar a moto nova, afinal, pode ser uma moto de transição, e o valor é substancialmente mais baixo fora das concessionárias. Espero não ter confundido em vez de ajudar. <strong>De uma forma ou de outra, o intuito é desmistificar a ideia que moto pequena sempre é boa para iniciantes. </strong>Keep Riding!</p>

Conteúdo Recomendado

Comentários