Card image
Especiais
Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 14/04/2021
  • Por: Ismael Baubeta

As motos do segmento premium, como as marcas gostam de denominar, variam muito em relação a seus tipos e preços.

Mesmo podendo considerar motos que custam mais de R$ 60 mil ou R$ 70 mil como tais, esta matéria vai se ater às motocicletas mais caras em linha comercializadas pelas marcas em nosso país, isto é, modelos cujos preços estão acima de R$ 110.000 e que ainda assim possuem volumes de emplacamentos expressivos.

Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil
A exclusividade nem sempre tem o preço mais alto. A Triumph Rocket 3 R custa R$ 101.100 na versão “comum”. Na foto temos a edição limitada Black, que não tem previsão para chegar por aqui (Divulgação)

Veja também:
Honda CB 1000R Neo Sports Café: potência e conforto em harmonia
Veja as 20 motos mais emplacadas no 1º trimestre
Yamaha registra nova esportiva baseada na MT-07

Diferente do que você pode estar pensando, o desempenho de vendas de alguns modelos exclusivos e caros é bastante significativo o que faz girar uma boa quantidade de milhões de reais no segmento e o torna um grande negócio no Brasil.

Vamos colocar os modelos por ordem de quantidade nos emplacamentos de acordo com o relatório da Fenabrave que considera os números acumulados no primeiro trimestre de 2021. Confira a lista abaixo:

1º: BMW R 1250 GS Adventure – R$ 115.500 / 438 unidades

Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil
A família GS da BMW é objeto de desejo principalmente dos que buscam longas viagens (Divulgação)

A BMW é uma das marcas do segmento premium que emplaca uma boa quantidade de suas motos de maior valor. Sua Maxitrail de maior cilindrada é sucesso de vendas no mundo todo e por aqui não é diferente. As 438 motos emplacadas significam um faturamento (na ponta final) de mais de 51 milhões de reais, mesmo depois do desconto dos impostos, o negócio para a marca é muito significativo.

2º: BMW S 1000 RR – R$ 110.500 / 200 unidades

Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil
A BMW S 1000 RR está entre as esportivas mais vendidas do Brasil. A desta foto é a versão com pacote M (Foto: Gustavo Epifânio)

Assim como a irmã aventureira, a marca da hélice é líder no segmento das superesportivas e sua S 1000 RR emplacou 200 unidades no trimestre, mostrando a força da marca e o desejo que o modelo causa aos amantes das motos superesportivas. Neste total de emplacamentos não foram separadas as unidades da versão com pacote M lacradas, que custa R$ 135.500.

3º: Harley-Davidson Ultra Limited – R$ 137.150 / 43 unidades

Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil
Apesar de estar entre as mais caras da marca norte-americana, a Ultra Limited emplacou 43 unidades em 2021 (Divulgação)

A Harley-Davidson recentemente retirou alguns modelos de linha para manter somente as que, segundo a marca, são as motocicletas mais desejadas. Entre as que ficaram, destaca-se a Ultra Limited, que mesmo custando mais de 137 mil reais, emplacou 43 unidades no período.

4º: Ducati Panigale V4 S – R$ 146.990 / 39 unidades

Conheça as motos mais caras e mais vendidas do Brasil
A Ducati parece ter acertado com a Panigale V4, pois suas vendas vão muito bem no Brasil (Divulgação)

A Ducati Panigale V4 causou furor ao entrar em linha de produção, esta superespotiva é empurrada pelo poderoso motor em V com impressonantes 217 cv. Sua temporada de estreia no campeonato mundial de SuperBike foi triunfal, faturou a vitória nas primeiras onze etapas do certame de 2019.

5º: Honda GL 1800 Gold Wing / R$ 142.012 / 11 unidades

A touring Gold Wing é o modelo mais caro do line-up da Honda no Brasil (Divulgação)

A Honda Gold Wing é uma moto que parte de 142 mil reais e tem público cativo, embora não emplaque tanto quanto as demais aqui mostradas, suas vendas são consideráveis. Cinco das onze foram da versão Touring, que custa R$ 165.468.

Estes são alguns dos números que comprovam que o Brasil é muito importante para as marcas, não só no segmento das motocicletas de baixa cilindrada, onde o volume anual já foi de dois milhões de unidades, as motos do segmento premium também têm números significativos, o que reforça nossa importância para as marcas que nele atuam.

Há uma enorme quantidade de modelos com preços entre 60 e 100 mil reais com volume de emplacamentos importantes, para estes cabe outra matéria.