Card image
Especiais
Clássicas Motociclismo: DKW Auto Union SB 350

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 27/01/2015
  • Por: admin

<p>No momento em que Jayme Szyflinger estacionou sua DKW SB 350 no Pátio do Colégio, São Paulo, SP, para o 5º Encontro Moto e Cia Classic, as atenções de todos voltaram-se para esta bela máquina alemã de guerra. O que muitos não sabiam é que esta veterana de guerra não só combateu  durante a Segunda Guerra Mundial, mas também faz parte da história da família de Jayme.</p>

<p>A moto originalmente pertencia a seu pai e chegou as suas mãos de uma forma fascinante. Judeu austríaco, Sr. Leyzor estava no Japão a trabalho quando Hitler invadiu a Aústria. Sabendo que a vida em sua terra natal não seria possível, vendeu suas posses e depois de passar pela Inglaterra e Argentina, veio ao Brasil em uma motoneta Puch que padeceu antes do destino final. Em 1942, alistou-se como voluntário para lutar, na Europa, pelo Exército britânico. Como espião, incorporou-se no Exército alemão e lutou até o fim do conflito. Antes de dar baixa e voltar ao Brasil, quis conhecer os locais nos quais sua família havia sido morta pelos nazistas. Foi aí que encontrou esta motocicleta. Em um galpão da cidade de Bonn, onde eram guardados veículos alemães, disseram-lhe que escolhesse qualquer “coisa” que funcionasse.</p>

<p><img alt="DKW Auto Union SB 350" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/dkwtexto_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A “coisa” era uma DKW SB 350.  Produzida em uma época na qual a DKW era uma das maiores fabricantes de motocicletas do mundo, “a pequena maravilha” (Des Kleine Wunder), como eram conhecidas as motos da marca, foi utilizada pelo Exército alemão, possivelmente pela cor e configurações originais, na 21ª Divisão Panzer, no norte da África. Era equipada com sidecar, metralhadora e afins, seu motor forte a tornava ideal para missões no deserto. Ao retornar para o Brasil, Leyzor ia abandoná-la no porto de Hannover, mas ao embarcar pensou ouvir seu nome, como se a moto o tivesse chamando. Trazendo-a de volta para casa, foi mantida na família até o presente, passando da mão do pai ao filho como uma autêntica joia.</p>

<p><img alt="No detalhe, o motor monocilíndrico da DKW SB 350" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motor2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">A DKW SB350 possuí motor monocilíndrico, dois tempos, com 349 cm³ de cilindrada, que produzia 14 cv de potência</span><span style="line-height: 1.6em;">, chegando a 110 km/h de velocidade máxima em sua versão equipada com sidecar. O propulsor era considerado forte na época, para atravessar as dunas do Saara.</span></p>

Conteúdo Recomendado

Comentários