Card image
Competições
SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 25/09/2020
  • Por: Willian Teixeira

A temporada 2020 do SuperBike Brasil terá sua terceira temporada realizada neste final de semana no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Após duas provas, uma na pista da capital paulista e outra em Goiânia, o campeonato fez uma pausa de 15 dias e está de volta, seguindo os protocolos de saúde e segurança por conta do coronavírus, e não contará com a presença do público.

Quem lidera a disputa na categoria principal é Eric Granado, da Honda Racing, com 52 pontos, seguido de seu companheiro, o gaúcho Pedro Sampaio, com Matheus Barbosa na 3ª colocação.

SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos
Eric Granado e Pedro Sampaio (Ricardo Santos/Mundo Press)

Granado segue com sua maratona de provas no Brasil e no exterior, onde disputa a MotoE. “Será minha quinta prova seguida. Depois dessas quatro semanas em ritmo intenso, a sensação é de que corri há pouco tempo em Interlagos. Estou com bom ritmo e muito animado. As últimas experiências lá fora serviram de muito aprendizado e quero buscar bons resultados aqui”, diz o atual tricampeão do SuperBike Brasil.

Já na SuperSport 600, quem lidera é Leo Tamburro, vencedor das duas provas realizadas até o momento no campeonato. “Estou muito confortável, e isso me ajuda a extrair sempre mais do equipamento. Venho imprimindo um ritmo forte, constante e agradeço a equipe que teve papel crucial nessas duas primeiras conquistas. Vou seguir pensando nos pontos e no campeonato até o fim da temporada”.

SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos
Léo Tamburro (VGCOM/LZPhotos And Media)

Outra categoria que vem se destacando é a Copa Pro Honda CBR 650, e a marca anunciou um novo incentivo para a classe: os três mais rápidos das corridas receberão uma premiação em dinheiro. O vencedor da bateria da Copa Pro Honda CBR 650R irá ganhar mil reais, enquanto o segundo e o terceiro colocados receberão R$ 700 e R$ 500, respectivamente. O campeonato de estreia da Copa Pro Honda CBR 650R tem Guilheme Britto na liderança, com 51 pontos, 10 a mais do que o vice-líder Rafael Rigueiro. Em terceiro aparece Theo Manna, com 32 pontos.

SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos
Copa Pro Honda CBR 650R (Ricardo Santos/Mundo Press)

Enquanto isso, na Honda Junior Cup, a primeira posição na tabela do campeonato é de João Teixeira, que busca o inédito bicampeonato da categoria-escola para crianças e adolescentes entre oito e 16 anos, com a CG160 Titan. Guilherme Foguetinho está em segundo na corrida pelo título, seguido de Cauã Buzzo.

SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos
João Teixeira, líder da Junior Cup (Ricardo Santos/Mundo Press)

As corridas serão neste domingo, sendo que a prova da categoria principal terá transmissão da Rede TV! a partir das 13h (de Brasília). As demais podem ser vistas no canal oficial do SuperBike Brasil no YouTube, com início às 9h (de Brasília).

Kawasaki anuncia Ninja 400 Cup no SuperBike Brasil

A Kawasaki retorna ao SuperBike Brasil como patrocinadora e anuncia o lançamento da Ninja 400 Cup, nova categoria que terá suas provas realizadas no evento. O calendário 2020 conta com cinco etapas, sendo que a primeira será realizada em 18 de outubro, em Interlagos. A maior concentração das provas será em SP, gerando assim menor custo com viagens para os atletas e equipes, e melhor infraestrutura do país.

Um dos diferenciais da Ninja 400 Cup é que os pilotos não precisam adquirir as motos. Eles podem pagar apenas uma taxa de inscrição para participar, e nela estão inclusos pneus, inscrição e locação da moto. Após a assinatura de um contrato, é possível utilizar a moto para treinos privados e track days além das provas oficiais do campeonato.

SuperBike Brasil parte para 3ª etapa em Interlagos
Niko Ramos corre na SuperSport 400 com uma Kawasaki Ninja 400. Modelo da Ninja 400 Cup ainda não foi apresentado (VGCOM/Sampa Fotos)

Para que a locação seja em contrato de comodato não oneroso, o piloto deve procurar e estabelecer vínculo com uma das mais de 30 equipes homologadas pelo campeonato. Interessados podem adquirir a lista de equipes com a organização do SuperBike Brasil, pelo e-mail info@superbike.com.br.

Para correr será necessário investimento de R$ 3 mil por etapa, valor especial de lançamento. Nesta quantia estão inclusos 1 par de pneu, inscrição e a moto. Não está incluído neste valor o transporte dos pilotos e das motos, as hospedagens, a taxa de dinamômetro, o combustível, as pastilhas de freios, possíveis acidentes, serviços de pista e a montagem da moto.

O kit “homologado” completo de montagem da moto custa R$ 8 mil – podendo ser dividido no cartão de crédito em até 10 parcelas de R$ 800 no cartão – incluindo carenagem, bolha, pintura, pedaleira, guidão, coroa, protetor de freio, escapamento, slider e suporte de cavalete. A moto não possui garantia, e deve ser devolvida em perfeitas condições ao fim da temporada.

Um dos diferenciais da Ninja 400 Cup é que a moto ficará com o piloto, fazendo com que ele possa utilizá-la sempre que tiver interesse. As motos disponibilizadas serão todas zero km. Para 2020, o grid será limitado a 20 motos, mas em 2021 a intenção é dobrar, contando com 40 motocicletas na pista. O calendário também deve ser ampliado, para 10 etapas no ano.

A premiação aos vencedores será em dinheiro, com valores entregues aos cinco primeiros colocados em cada etapa. O vencedor leva R$ 1.500; 2º colocado ganha R$ 1.300, 3º fatura R$ 1.100, 4º lugar vai pra casa com R$ 900, enquanto o 5º leva R$ 700.

Não será possível mexer nos motores e na eletrônica da moto, mas pilotos e equipes poderão desenvolver acertos próprios de suspensão, além de outros ajustes personalizados, como na relação. Nas provas, o piloto poderá ficar na garagem da equipe de sua preferência. Os pneus serão oferecidos a preços subsidiados, assim como peças de reposição. Macacão e capacete da Ninja 400 Cup também poderão ser comprados por preço subsidiado.

Existirá também a possibilidade de correr na equipe oficial Kawasaki Brasil por R$ 1.000 adicionais. Mais detalhes devem ser consultados com o próprio time JC Racing. Todas as partes envolvidas na categoria darão início a um programa de talentos, para encaminhá-los ao motociclismo internacional. Os melhores pilotos poderão correr no Mundial de SuperBike (WSBK) subsidiados pelos patrocinadores brasileiros do programa. Mais detalhes serão informados em breve pela organização.

Equipe Kawasaki do SuperBike Brasil (VGCOM/Sampa Fotos)

Acompanhe a MOTOCICLISMO também pelas redes sociais!
– Instagram – Facebook – YouTube – Twitter