Card image
Competições
Ezpeleta admite que MotoGP pode não correr em 2020

5 Minutos de leitura

  • Publicado: 06/04/2020
  • Atualizado: 10/04/2020 às 10:42
  • Por: Willian Teixeira

O ano de 2020 trouxe muita incerteza para todos por conta da pandemia do coronavírus, ainda mais com o cancelamento de diversos eventos para evitar a disseminação da doença. E em virtude disso, o CEO da Dorna, empresa que organiza a MotoGP, já admite o risco de não ter campeonato este ano. “É o pior dos cenários. Obviamente não podemos correr, mas espero que isso não ocorra. Não pelas corridas, mas pela humanidade”, afirmou o Carmelo Ezpeleta ao jornal espanhol La Razon.

Na entrevista, Ezpeleta disse viver o desafio mais difícil de sua carreira como comandante da MotoGP. Inclusive ele afirma não saber quando poderá começar o campeonato, cujo início era previsto para março. Porém, uma sequência de cancelamentos levou ao atual cenário, que prevê seu começo no fim de maio em Mugello, na Itália. Porém, um novo adiamento não é descartado, já que atualmente o mundo tem outras prioridades.

CEO da Dorna, organizadora da MotoGP, Carmelo Ezpeleta
Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, organizadora da MotoGP (Divulgação/MotoGP)

“Essa é a questão de um milhão de dólares. Veremos corrida por corrida. Se algum dia tivermos luz verde, vamos ver em qual condição podemos fazer. A preocupação agora é manter as equipes vivas”, comenta o dirigente.

Carmelo diz manter conversas diárias com fábricas e equipes para ver como estão as coisas, sobre a saúde financeira dos times e como a Dorna pode ajudá-los a se manter nesse período. “Se não houver corridas eles não recebem dinheiro dos patrocinadores. No entanto eles precisam de ajuda para pagar os funcionários, e precisamos ajudá-los para que possam sobreviver”, comenta Ezpeleta. Dorna Sports, FIM e IRTA já se comprometeram a enviar uma ajuda que pode chegar a 4,5 milhões de euros para as equipes independentes da MotoGP, Moto2 e Moto3.

Temporada 2020 da MotoGP segue sem data de início definida
Temporada 2020 segue sem data definida para começar (Divulgação)

O dirigente também comentou sobre o número mínimo de corridas para o campeonato ser considerado válido. “Em condições normais é preciso fazer no mínimo 13 corridas, mas esse não é o caso. Estamos em contato com a FIM e faremos o que pudermos, como pudermos e quando pudermos. Se conseguirmos ter um campeonato de dez corridas, eu já ficaria emocionado. Tentaremos fazer mais, mas se já conseguirmos correr dez vezes significa que a humanidade já está bem, o que é mais importante no momento”.

Nova corrida virtual da MotoGP

Enquanto o campeonato segue indefinido, os pilotos da MotoGP se preparam para disputar a segunda corrida virtual da categoria, que está marcada para este domingo.

A primeira, que teve participação de 10 competidores, foi vencida por Alex Marquez. Para a segunda corrida virtual teremos um novo nome de peso entre os confirmados: o italiano Valentino Rossi. Veja abaixo a lista completa:

Repsol Honda Team: Marc Marquez, Alex Marquez
Ducati: Danilo Petrucci, Michele Pirro
Monster Energy Yamaha MotoGP: Valentino Rossi, Maverick Viñales
Petronas Yamaha SRT: Fabio Quartararo
Pramac Racing: Francesco Bagnaia
LCR Honda Idemitsu: Takaaki Nakagami
Reale Avintia Racing: Tito Rabat